Sindrome de Burnout e a fadiga da compaixão: das vulnerabilidades dos profissonais de veterinária / Burnout's syndrome and the fatigue of compassion: the vulnerabilities of veterinary professionals

Giordanna Lourdes Zani, Camila Lima Rosa, Marco Antônio Machado

Abstract


Veterinários estão expostos a sintomas negativos, causados pelos sentimentos de incapacidade de cura ou pela dificuldade em lidar com a dor e sofrimento de animais sob seus cuidados, e de seus tutores. Desse modo, tornam-se suscetíveis a um estresse crônico, uma fadiga crônica que pode refletir negativamente em sua saúde física, psíquica e social. Objetivos: realizar uma síntese desses contextos, evidenciar as principais discussões e delimitar os conceitos sobre os temas propostos. Método: revisão narrativa teórica da literatura, de caráter exploratório e qualitativo. Conclusão: Foi possível concluir que, os médicos veterinários estão dentre os grupos de risco para desenvolvimento de Burnout e Fadiga por Compaixão, causados pelas características da profissão que os expõe às situações de stress, sofrimento e dor, devido à afeição e forte empatia pelos animais e seus tutores, principalmente quando se trata de eutanásia.


Keywords


Burnout, Fadiga por Compaixão, Veterinários, Medicina Veterinária, Empatia.

References


KANAANE, R.. Comportamento humano nas organizações: o homem rumo ao século XXI. São Paulo: Atlas, 1995.

MASLACH, C.; JACKSON, S. E. Maslach Burnout Inventory Manual. Palo Alto: University of California. CA: Consulting Psychologists Press. 1986

CHERNISS, C. - Professional burnout in human service organizations. Praeger, New York, 1980.

FIGLEY, C. R. Compassion fatigue: psychotherapist's chronic lack of selfcare. Journal of Clinical Psychology, v. 58, n. 11, p. 1433-1441, 2002. 4

CARVALHO, P.; SÁ, L. Estudo da Fadiga Por Compaixão nos Cuidados Paliativos em Portugal: Tradução e adaptação cultural da escala “Professional Quality of Life 5”. Dissertação apresentada ao Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, para obtenção de grau de Mestre em Cuidados paliativos, orientada pelo Professor Doutor, Luís Octávio de Sá, Porto. 2011

BARBOSA, S. da C.; SOUZA, S.; MOREIRA, J. S. A fadiga por compaixão como ameaça à qualidade de vida profissional em prestadores de serviços hospitalares. Revista Psicologia Organizações e Trabalho. v. 14, n. 3, set/2014

LAGO, K.; CODO, W.. Fadiga por compaixão: o sofrimento dos profissionais em saúde. Editora Vozes: Petrópolis. 2010

FIGLEY, C. Compassion Fatigue: Secondary Traumatic Stress Disorders from Treating the Traumatized. New York: Brunner/Mazel. 1995

RODRIGO, M. L. Estrés de los profesionales de enfermaria: sobre qué o quien repercute? Revista ROL de Enfermaria, 201, 65-68. 1995

FREUDENBERGER, H. Staff Burnout. Journal of Social Issues, v.30, n.1, p.159- 165.1974

PLATT, B.; HAWTON, K.; SIMKIN, S.; MELLANBY, R.J. Systematic Review of the prevalence of suicide in veterinary surgeons. Occupational Medicine, v.60, n.6, p.436-446. 2010

NAURATH, P. E. A eutanásia na prática clínica veterinária: conflitos bioéticos envolvidos na tomada de decisão Niterói- RJ. 92 f. Orientador: Rita Leal Paixão Dissertação - Universidade Federal Fluminense, Faculdade de Medicina, 2015.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

ROTHER, E. T. Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta Paulista de Enfermagem. 2007; 20(2): vii-viii.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

FREUDENBERGER, H. J. . The issues of staff burnout in therapeutic communities. Journal of Psychoactive Drugs, 18(2), 247-25l.1986

MASLACH, C. Burned-out. Human behavior. 9(5),16-22., 1976

MASLACH, C.; JACKSON, S. The measurement of experienced burnout. Journal of Occupational Behaviour, 2, 99-113.1981

MASLACH, C. Burnout: a multidimensional perspective. In W. B. SCHAUFELI; C. MASLACH; T. MARCK (Eds.). Professional Burnout: recent developments in theory and research. Washington: Taylor & Francis, 19-32. 1993

MASLACH, C.; LEITER, M. The truth about burnout: How organizations cause personal stress and what to do about it. San Francisco: Jossey-Bass Publishers.1997

CODO, W.; VASQUES-MENEZES, I. O que é burnout? In: CODO, Wanderley Coord. Educação, carinho e trabalho. Petrópolis, RJ: Vozes; Brasília, DF: CNTE; UnB. p. 237-254. 1999

QUEIRÓS, P. J. Burnout no trabalho e Conjugal em Enfermeiros Portugueses. Coimbra: Formasau, 23-283.2005

CHERNISS, C. . . Professional burnout in human service organizations. New York: Praeger. 1980

STAMM, B. The Concise ProQOL Manual, 2nd Ed. Pocatello, ID: ProQOL.org. 2010

FIGLEY, C. R. . . Catastrophes: An overview of family reaction. In C. R. Figley & H. I. McCubbin (Eds.), Stress and the family: Vol. 2.Coping with catastrophe (pp. 3-20). New York: Brunner/Maze!. 1983

LAGO, K. C. Fadiga por Compaixão: quando ajudar dói. Dissertação de mestrado, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil. 2008. Recuperado em 12 julho, 2011, de http://repositorio.unb.br/handle/10482/1291

LAUTERT L. O desgaste profissional do enfermeiro. Tese. Salamanca (ES):Universidade Pontifícia de Salamanca, Faculdade de Psicologia; 1995

BARBOSA, S.C; SOUZA. S; MOREIRA. J.S. A fadiga por Compaixão como ameaça à qualidade de vida profissional em prestadores de serviços Hospitalares. Revista Psicologia: Organizações e trabalho, pp. 315-323 ISSN 1984-6657, v.14, n.3, Florianópolis. 2014

LAGO, K.; CODO, W. Fadiga Por Compaixão: Evidências De Validade Fatorial E Consistência Interna Do Proqol-Br. Estudos De Psicologia, v.18(2), 213-221). Universidade Federal do Rio Grande do Norte Natal, Brasil. 2013

IGNATTI, C. Sofrimento psíquico de enfermeiros – um olhar mitológico. Científica Integrada. 2012; 1(1):1-12. 2012

PULZ, R.S.; KOSACHENCO, B.; BAGATHINI, S.; SILVEIRA, R.S; MENEGOTTO, G.N; SCHNNEIDER, B.N. A eutanásia no exercício da medicina veterinária: aspectos psicológicos. Veterinária em Foco, Canoas, v. 9, n. 1, p.88-94, jul. 2011.

COHEN, S.P. Compassion Fatigue and the Veterinary Health Team. Veterinary Clinics Small Animal Practice, v.37, p.123-134, 2007

CONRAD, D.; KELLAR-GUENTHER, Y. Compassion fatigue, burnout, and compassion satisfaction among Colorado child protection workers. Child Abuse and Neglect, v.30, p.1071-1080, 2006.

DEJOURS, C. O. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. 5. ed. São Paulo: Cortez-Oboré, 2000.

FOGACA, M. de C.; CARVALHO, W. B. de; CITERO, V. de A.; NOGUEIRA-MARTINS, L. A.. Fatores que tornam estressante o trabalho de médicos e enfermeiros em terapia intensiva pediátrica e neonatal: estudo de revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Terapia Intensiva. vol.20, n.3, pp.261-266. ISSN 0103-507X. 2008

FARACO, C. B.; SEMINOTTI, N. A relação homem-animal e a prática veterinária. Revista do Conselho Federal de Medic. Veterinária, v.32, p.57-61. 2004

BARTRAM, D.J.; BALDWIN, D.S. Veterinary surgeons and suicide: influences, opportunities and research directions. Veterinary Record, v.162, pp. 36-40; pp. 10, 2008

SCHAUFELI, W. B. Past performance and future perspectives of burnout research. SA Journal of Industrial Psychology, 29(4), 1-15. 2003

DEJOURS, C.; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola Dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-292