Políticas públicas de esporte x educação física:uma lógica de mercadorização e espetacularização do fenômeno esportivo / Public sport policies x physical education: a logic for marketing and spectacularization of the sports phenomenon

Petra Schnneider Lima dos Santos, Georgia Sobreira dos Santos Cêa, Fabiana de Moura Cabral Malta, Edna Cristina do Prado, Geisa Carla Gonçalves Ferreira, Elione Maria Nogueira Diógenes

Abstract


O presente artigo traz uma reflexão sobre as Políticas Públicas de Esporte e a Educação Física apresentando como o fenômeno esporte aparece de maneira mercadorizada e espetacularizada no chão da escola na atual conjuntura devido aos megaeventos esportivos. O Programa de Formação Esportiva Atleta na Escola aparece no contexto escolar enquanto possibilidade de selecionar atletas para representar o país nas Olímpiadas em 2016. É possível constatar que as Políticas do Esporte Educacional historicamente vem sendo inseridas numa lógica de mercadorização e espetacularização esportiva sem nenhuma articulação com a prática de esporte nas escolas brasileiras nos possibilitando refletir sobre o ensino deste conteúdo a partir de princípios que garantam o acesso ao mesmo.


Keywords


Educação Física, Esporte, Políticas Públicas de Esporte

References


Atleta na Escola. http://atletanaescola.mec.gov.br/. Acesso em: 21de maio de 2015

BARBIERI, César Augusto; BITTAR, Ari Fernando (orgs.). Esporte educacional: uma proposta renovada. Recife: Universidade de Pernambuco/ UPE-ESEF – MEE/INDESP, 1996.

BUENO, Luciano. Políticas públicas de esporte no Brasil: razões para o predomínio do alto rendimento. São Paulo, 2008.

BRASIL - LEI Nº 9.615, de 24 de Março de 1998.

BRASIL – Constituição da República Federativa do Brasil. 05 de outubro de 1988.

BRACHT, Valter. Sociologia crítica do esporte: uma introdução. 3 ed. Ijuí: Unijuí, 2005.

CARNOY, M. Estado e Teoria Política. 3. ed. Campinas, SP: Papirus. 1990.

CAZORLA Prieto, L. M. — Deporte y estado. Madrid: Editorial Labor, 1979.

ESCOBAR, Micheli Ortega & TAFFAREL, Celi Nelza Zülke. Cultura Corporal e os dualismos necessários à ordem do capital. Rascunho digital. www.faced.ufba/rascunhodigital.

LÉONTIEV, A. et al. Desporto e Desenvolvimento Humano. Introdução à edição portuguesa de Arnaldo Pereira. Tradução: Maria da Graça Morais Sarmento. Seara Nova, 1977.

MANHÃES, Eduardo Dias. Política de esportes no Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. In: MARX, Karl. Manuscritos econômico filosóficos e outros textos escolhidos. 5ª Ed. São Paulo: Nova Cultural, Coleção os Pensadores, 1991.

MELO, M. de P. Esporte e juventude pobre: políticas públicas de lazer na Vila Olímpica da Maré. Campinas: Autores Associados, 2005.

MÉSZAROS, I. Marx: A Teoria da alienação. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

NEVES, Lúcia Maria Wanderley; SANTÁNNA, Ronaldo. Introdução: Gramsci, o Estado educador e a nova pedagogia dahegemonia. In:______. (org). A nova pedagogia da hegemonia: estratergias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005. P.19-39.

RUBIO, Kátia. Valores Olímpicos no recreio nas férias. OLIVEIRA, Amauri e PIMENTEL, Giuliano (org.) Recreio nas férias e os valores olímpicos. 1 ed. Maringá, Eduem, 2010.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas. SP: Autores Associados, 2008.

TAFFAREL, Celi Nelza Zülke. Megaeventos Contradições e Premiações. Disponível em: . Acesso em: jan. 2016.

__________. Esporte na escola e o esporte de rendimento: reafirmando o marxismo contra as ilusões e as imposturas intelectuais. Disponível em: . Acesso em: jan. 2016.




DOI: https://doi.org/10.34117/bjdv6n1-379

Refbacks

  • There are currently no refbacks.