Avaliação microbiológica e da perda de peso durante a maturação de queijos prato (lanche) e colonial de uma agroindústria da serra gaúcha – RS / Microbiological evaluation and weight loss during the maturation of dish (snack) and colonial cheeses of an agro-industry in the gaucho sierra – RS

Authors

  • Jeferson Aloísio Ströher
  • Luís Carlos Oliveira dos Santos Jr
  • Sabrina Caxambu
  • Rosiele Lappe Padilha
  • Magnólia Martins Erhardt
  • Joseane Vogel

DOI:

https://doi.org/10.34115/basrv4n6-022

Keywords:

Avaliação microbiológica, perda de peso de queijos, queijos maturados.

Abstract

Os queijos colonial e prato (lanche), são queijos maturados, pois passam por um processo de maturação onde ocorrerão transformações físicas, bioquímicas e microbiológicas que alteram sua composição química. Na maturação dos queijos, a perda de umidade é um fenômeno comum e intrínseco que está relacionada a diversos parâmetros de processo. O presente estudo tem como objetivo avaliar a perda de peso diária de queijos prato (lanche) e colonial e a verificar o rendimento final durante a etapa de maturação em câmara-fria com condições controladas de uma agroindústria situada na região da Serra Gaúcha no Estado do Rio Grande do Sul (RS), frente às legislações brasileiras para as análises microbiológicas dos queijos (BRASIL, 1996; BRASIL, 2001). Foram analisadas 20 amostras de cada gramatura de queijo prato (700g, 1Kg e 2 Kg) e 20 amostras de queijo colonial (700g, 1Kg e 2 Kg), respectivamente, totalizando 60 amostras de cada tipo de queijo, durante 10 dias de maturação para o queijo colonial (tempo definido pela empresa fabricante para que o queijo colonial atinja umidade entre 36,0 e 45,9%) e 25 dias de maturação para o queijo prato (lanche), já embalado e estocado em câmara de maturação. Os resultados obtidos permitem concluir que houve perda de peso tanto no queijo prato (lanche), quanto no queijo colonial ao longo de 10 dias de maturação mesmo em câmara-fria com umidade e temperatura controlada. E de acordo com os resultados microbiológicos os queijos estudados não apresentam risco à saúde ao serem consumidos, sendo que não houve crescimento de micro-organismos ao longo de sua maturação.

References

ANVISA, 2013 – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Guia para Comprovação da Segurança de Alimentos e Ingredientes. Brasília – DF, Fevereiro de 2013. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/2b84a5004eb5354885fb878a610f4177/Guia+para+Comprova%C3%A7%C3%A3o+da+Seguran%C3%A7a+de+Alimentos+e+Ingredientes.pd f?MOD=AJPERES. Acesso em: 22 jul. 2020.

ARFI, K.; LECLERQ-PERLAT, M. N.; BAUCHER, A. et al. Contribution of several cheese-ripening microbial associations to aroma compound production. Le Lait, v. 84, n. 5., p. 435-447, 2004.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regulamento Técnico para Fixação de Identidade e Qualidade do Queijo Prato: aprovado pela Portaria nº 358, de 04 de setembro de 1997. Disponível em: <https://www.defesa.agricultura.sp.gov.br/legislacoes/portaria-ma-358-de-04-09-1997,674.html>. Acesso em: 21/07/2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. RDC n. 12 de 02 de janeiro de 2001. Regulamento técnico sobre padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2001.

BRASIL. Portaria n° 146, de 07 de março de 1996. Aprova regulamentos técnicos de identidade e qualidade dos produtos lácteos. Diário Ofcial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 11 mar. 1996. Disponível em: http://www.crmvgo.org.br/legislacao/leite/POR00000352.pdf. Acesso em: 21/07/2020.

COELHO, M. A. Z.; SALGADO, A. M & RIBEIRO, B. D. Tecnologia Enzomática. Ed. EPUB, 2008, p.288. Petrópolis – Rio de Janeiro.

DAS DORES, M. T. Queijo Minas Artesanal da Canastra Maturado à temperatura ambiente e sob refrigeração. Dissertação, 2007. Universidade Federal de Viçosa, Viçosa – Minas Gerais. Disponível em: http://www.tede.ufv.br/tedesimplificado/tde_arquivos/39/TDE- 2009-08-03T080615Z-1927/Publico/texto%20completo.pdf. Acesso em: 21/07/2020.

DELAMARE, A. P. L.; ANDRADE, C. C. P.; MANDELLI, F.; ALMEIDA, R. C.; ECHEVERRIGARAY, S. Microbiological, physico-chemical and sensorial characteristics of Serrano, an artisanal Brazilian cheese. Food and Nutrition Sciences, Campinas, v.3, n.8, p.1068-1075, 2012.

DELAMARE, A. P. L.; ANDRADE, C. C. P.; MANDELLI, F.; ALMEIDA, R. C.; ECHEVERRIGARAY, S. Microbiological, physico-chemical and sensorial characteristics of Serrano, an artisanal Brazilian cheese. Food and Nutrition Sciences, Campinas, v.3, n.8, p.1068-1075, 2012.

DE NARDI, S.; FURLANETTO, P. & GOGGI, B. P.A.T.I - Regione Veneto, Provincia di Treviso. Relazione Agronomico Ambientale. Março de 2009. Disponível em http://www.comune.paderno.tv.it/alfstreamingservlet/streamer/resourced/f362d86cd87a4df4-80f0-8f607c2ed2db/23.PDF Acesso em: 22 jul. 2020.

EL-SODA, M.A. The role of lactic acid bacteria in accelerated cheese ripening. FEMS Microbiology Reviews, Amsterdam v. 12, n. 1-3, p. 239-252, 1993.

FERNANDEZ, V. N. V. Avaliação da qualidade do leite e de queijos produzidos pela agricultura familiar, em sistemas de produção ecológico e convencional no leste do Rio Grande do Sul. 2010. 99 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) – Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

FOX, P.F.; GUINEE, T.P.; COGAN, T.M.; MCSWEENEY,P.L.H. Fundamentals of Cheese Science. An Aspen Publication.Gaithersburg, Maryland, 2000. 587 p.

FURTADO, M. M. Principais problemas dos queijos: causas e prevenção. Edição Revisada e Ampliada. São Paulo: Fonte Comunicação e Editora, 2005. 200 p.

HOORDE, K. V.; HEYNDRICKX, M.; VANDAMME, P. et al. Influence of pasteurization, brining conditions and production environment on the microbiota of artisan Gouda-type cheeses. Food Microbiology, v. 27, n. 3, p. 425-433, 2010.

LAWRENCE, R. C.; CREAMER, L. K. & GILLES, J. Texture development during cheese ripening. Journal of Dairy Science, v. 70, p. 1748-1760. 1987.

KROLOW, A. C. R.; RIBEIRO, M. E. R. Obtenção de leite com qualidade e elaboração de derivados. Documentos 154 Pelotas: Embrapa Clima Temperado, p. 66, 2006.

LUCAS, S. D.M et al. Padrão de Identidade e Qualidade de Queijos Colonial e Prato, Comercializados na Cidade de Medianeira-PR. Revista Instituto Laticínio Cândido Tostes. Medianeira-PR, v 67, n. 386, p.38-44. Mai/Jun.2012.

MARIOT, E.J. Produtos Agroalimentares Típicos (Coloniais): Situação e Perspectivas de Valorização no Município de Urussanga, Santa Catarina, Brasil. 2002. Dissertação (Mestrado Internacional em Gestão do Desenvolvimento Rural) - Universidade de Santiago da Compostela. Vila Real, Mar.2002.

MARTINS, J. Características físico-químicas e microbiológicas durante a maturação do queijo minas artesanal da região do Serro. Pós-Graduação em Ciências dos Alimentos. Universidade Federal de Viçosa, 2006, 158 p. (Tese de doutorado).

OLIVEIRA, D. F.; PORTO, M. A. C.; BRAVO, C. E.C.; TONIAL, I. B. Caracterização físico-química de queijos minas artesanal produzidos em diferentes microrregiões de Minas Gerais. Revista Brasileira de Econômica Doméstica, Viçosa, v. 24, n. 2, p.185-196. 2013, 11p.

ORDONEZ, J.A. Tecnologia de Alimentos. Alimentos de origem animal. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, v.2, 2005.

PARK, Y. W. Proteolysis and Lipolysisof Goat Milk Cheese. The American Dairy Science Association, 2001. Vol. 84, E. Suppl., 2001 E84.

PERRY, K.S.P. Queijos: Aspectos Químicos, Bioquímicos e Microbiológicos.

Química Nova, v.27, n.2, p.293-300. Belo Horizonte, 2004.

ROCHA, A. M. P. Controle de Fungos Durante a Maturação do Queijo Minas Padrão. 2004. 96 f. Dissertacao de Mestrado – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2004.

SPERAT-CZAR, A. Os queijos de Leite Cru. Sertão Bras., 2012. http://media.sertaobras.org.br/livro/OsQueijosDeLeiteCruFinalWEB.pdf. Acesso em: 22 jul. 2020.

ZAFFARI, C. B.; MELLO, J. F.; COSTA, M. Qualidade bacteriológica de queijos artesanais comercializados em estradas do litoral Norte do Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência Rural, Santa Maria, v.37, n.3, p.862-867, 2007.

ZEGARRA, J. J. Q.; BOTTEON, R. C. C. M.; OLIVEIRA, B. C. R. S.; BOTTEON, P. T. L.;

SOUZA, M. M. Pesquisa de micro-organismos em utensílios, leite e queijos de produção artesanal em unidades de produção familiar no município de Seropédica, Rio de Janeiro. Ciência Animal Brasileira, Goiânia, v.10, n.1, p.312-321, 2009.

Published

2020-11-23

Issue

Section

Artigos originais