Trajetórias de partos no Amazonas: considerações em série histórica com base nos dados do Sinasc / Datasus/ Children's trajectories in amazonas: historical series considerations based on data from Sinasc /Datasus

Authors

  • Rúbia Silene Alegre Ferreira
  • Quezia Corrêa de Oliveira Sampaio
  • Consuelo Pinheiro de Farias
  • Matheus Pio Torres
  • Viviana Pinheiro Lira de Oliveira
  • Brenno Santos do Rêgo

DOI:

https://doi.org/10.34115/basrv4n6-028

Keywords:

Partos, Amazonas, Idade, Instrução, Mães.

Abstract

Este artigo tem como objetivo apresentar por meio de série histórica, os tipos de parto por cor/raça no estado do Amazonas. O estudo considera os partos normais e cesarianos para as questões relacionadas à idade das mães no primeiro momento, e em segundo, por escolaridade (anos de estudo). Os dados são extraídos do Sistema de Informações de Nascidos Vivos – SINASC/DATASUS. Como resultado, tem-se que o comportamento reprodutivo das mulheres amazonenses (indígenas, brancas, amarelas, pretas e pardas) segue uma tendência refletindo que as mulheres mais novas são as que tiveram mais filhos, e que a escolaridade possui fator inverso à quantidade de partos: quanto maior o grau de instrução, menor a participação das mulheres em partos. Mostrou ainda que os partos normais são uma prática mais usual das indígenas e das pardas. Estas últimas por serem maioria na população brasileira. As indígenas, por sua vez, por se tratar de uma prática cultural. Nas demais etnias, há tendencia de oscilação entre as opções de tipo de parto no período observado.

References

AMAYA, Jairo, BORRERO, Claudia, & UCRÓS, Santiago. (2005). Estudio analítico del resultado del embarazo en adolescentes y mujeres de 20 a 29 años en Bogotá. Revista Colombiana de Obstetricia y Ginecología, 56(3), 216-224

ATHIAS, Renato. Corpo, fertilidade e reprodução entre os Pankararu: perspectivas e alcances. In: MONTEIRO, S., and SANSONE, L., org. Etnicidade na América Latina: um debate sobre raça, saúde e direitos reprodutivos [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2004, 344 p. ISBN: 978-85-7541- 615-0.

BIANCO A, Stone J, LYNCH L, Lapinski R, BERKOWITZ G, BERKOWITZ RL. Pregnancy outcome at age 40 and older. Obstet Gynecol 1996; 87:917-22.

BRASIL, Estatuto da criança e do adolescente. – Brasília : Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017. 115 p.

BRASIL, Lei nº 13.798/2.019: art. 8º-A à Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente - Brasília : Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2019.

CABRAL, Cristiane da Silva; BRANDÃO, Elaine Reis Brandão. Gravidez na adolescência, iniciação sexual e gênero: perspectivas em disputa. Cadernos de Saúde Pública. 36 nº.8. Rio de Janeiro, Agosto 2020.

CAETANO, André Junqueira. A relação entre cor da pele/raça e esterelização no Brasil: análise dos dados da Pesquisa Nacional sobre Demografia e saúde. In: MONTEIRO, S., and SANSONE, L., org. Etnicidade na América Latina: um debate sobre raça, saúde e direitos reprodutivos [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2004, 344 p. ISBN: 978-85-7541- 615-0.

CARNEIRO, Alcides; SANTOS, Lúcia; LOZZI, Rosana. Maternidade adiada – novos pasrões reprodutivos. Coleção Estudos Cariocas. V. 1 n. 20111201; Rio de Janeiro,1974-7203.http://portalgeo.rio.rj.gov.br/estudoscariocas/download/3128_MaternidadeAdiada_Novospadroesreprodutivos.pdf

CARVALHO, Vanessa Franco; KERBER, Nalu Pereira; AZAMBUJA, Eliana Pinho de; BUENO, Fabiely Fialho; SILVEIRA, Rosimeiry Silva da; BARROS, Alessandra Mendes de. Direitos das parturientes: conhecimento da adolescente e acompanhante. Saúde Soc. São Paulo, v.23, n.2, p.572-581, 2014.

CDSS (2010). Redução das desigualdades no período de uma geração. Igualdade na saúde através da acção sobre os seus determinantes sociais. Relatório Final da Comissão para os Determinantes Sociais da Saúde. Portugal, Organização Mundial da Saúde.

COIMBRA, Carlos. GARNELO, Luíza. Questões de saúde reprodutiva da mulher indígena no Brasil. In: MONTEIRO, S., and SANSONE, L., org. Etnicidade na América Latina: um debate sobre raça, saúde e direitos reprodutivos [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2004, 344 p. ISBN: 978-85-7541- 615-0.

CORREIA, Maria de Jesus. Sobre a maternidade. Análise Psicológica (1998), 3 (XVI): 365-371

DIAS, Marcos Augusto Bastos. Humanização do parto: política pública, comportamento organizacional e ethos profissional. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 27, n. 5, p. 1042-1043, May 2011 .

DINIZ, Carmen Simone Grilo. (2005). Humanização da assistência ao parto no Brasil: os muitos sentidos de um movimento. Ciência & Saúde Coletiva, 10(3), 627-637. https://doi.org/10.1590/S1413-81232005000300019

FIEDLER, Milla Wildemberg Fiedler; ARAÚJO, Alisson; SOUZA, Márcia Christina Caetano de. A prevenção da gravidez na adolescência na visão de adolescente. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 2015 Jan-Mar; 24(1): 30-7

FRY, Peter. As aparencias enganam: reflexões sobre raça e saúde no Brasil. In: Monteiro, Simone (org.) Etnicidade na América Latina: um debate sobre raça, saúde e direitos reprodutivos / Organizado por Simone Monteiro e Livio Sansone. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2004.

HAIDAR, Fátima Hussein; OLIVEIRA, Urânia Fernandes; NASCIMENTO, Luiz Fernando Costa. Escolaridade materna: correlação com os indicadores obstétricos. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 17, n. 4, p. 1025-1029, Aug. 2001.

HERNÁNDEZ, Tanya Katerí. Subordinação racial no Brasil e na América Latina: o papel do Estado, o Direito Costumeiro e a Nova Resposta dos Direitos Civis / Tanya Katerí Hernández; tradução Arivaldo Santos de Souza, Luciana Carvalho Fonseca. – Salvador: EDUFBA, 2017.

JAHROMI BN, Husseini Z. Pregnancy outcome at maternal age 40 and older. Taiwan J Obstet Gynecol. 2008;47(3):318-21.

KOTTWITZ, Fernanda. GOUVEIA, Helga Geremias; GONÇALVES, Annelise de Carvalho. Via de parto preferida por puérperas e suas motivações. Esc Anna Nery 2018;22(1):e20170013.

LEMOS. Adriana. Direi

tos sexuais e reprodutivos: percepção dos profissionais da atenção primária em saúde. Saúde Debate | Rio de Janeiro, V. 38, N. 101, P. 244-253, abr-jun 2014.

LOPES, Fernanda. Para além da barreira dos números: desigualdades raciais e saúde. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 21, n. 5, p. 1595-1601, Oct. 2005 .

MAIA, Mônica B. Humanização do parto: política pública, comportamento organizacional e ethos profissional. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2010. 189 p.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. Relatório de recomendação. Brasília-DF, 2016.

MONTESHIO, Lorenna V; OLIVEIRA, Rosana R; LATORRE, Maria do R; PELLOSO, Sandra; MATHIAS, Thais Aidar. Tendencia temporal de via de parto de acordo com a fonte de financiamento. Revista Brasileira de Ginecol Obstet. 2014; 36 (12): 548-54.

Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento. Rev. Bras. Saude Mater. Infant., Recife , v. 2, n. 1, p. 69-71, Apr. 2002 .

ROSA, Rosiane da et al . Mãe e filho: os primeiros laços de aproximação. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro , v. 14, n. 1, p. 105-112, mar. 2010 .

SAHM - Positions of the Society for Adolescent Health and Medicine, 2017. Abstinence-Only-Until-Marriage Policies and Programs: An Updated Position Paper of the Society for Adolescent Health and Medicine. Journal of Adolescent Health, 61 (2017).

SANTOS, Fabiane Vinente dos. (2005). "Brincos de ouro, saias de chita": mulher e civilização na Amazônia segundo Elizabeth Agassiz em Viagem ao Brasil (1865-1866). História, Ciências, Saúde-Manguinhos, 12(1), 11-32. https://doi.org/10.1590/S0104-59702005000100002.

SANTOS, L. G. “A ARTE DE PARTEJAR”: Das parteiras tradicionais à medicalização do parto no Amazonas (1970-2000). Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em História (Mestrado em História). Universidade Federal do Amazonas – UFAM. Manaus, 2016.

SILVA, Maria Raquel Cruz da. Dor e violencia no parto: maus tratos a mulheres em uma maternidade de Manaus. Dissertação de Mestrado em Serviço Social e Sustentabilidade na Amazonia – Universidade Federal do Amazonas, Manaus – Amazonas, 2019.

UNESCO. Declaração sobre Raça e os Preconceitos Raciais. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/direitos/sip/onu/discrimina/dec78.htm

Vyas DA , Jones DS , Meadows AR , DIOUF K , Nour NM , Schantz-Dunn J . Challenging the Use of Race in the Vaginal Birth after Cesarean Section Calculator. Women's Health Issues 2019 ; 29: 201 – 204.

Published

2020-12-02

Issue

Section

Artigos originais