Ensino de ciências e tecnologias: um relato de experiência sobre a utilização dos princípios do ensino híbrido na aprendizagem do conceito de pressão / Teaching science and technology: an experience report about the use of hybrid teaching principles in learning the concept of pressure

Authors

  • Isabella Guedes Martinez
  • Elias Batista dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.34115/basrv3n3-011

Keywords:

ensino de Ciências, ensino híbrido, experimentação, metodologias ativas, Tecnologias de Informação e Comunicação, conceitos, pressão.

Abstract

O presente trabalho se insere no contexto do ensino de Ciências por meio das metodologias ativas, especialmente, o ensino híbrido, em que a interação, o ritmo individual e a colaboração são ações que podem contribuir com a melhoria do processo ensino-aprendizagem. Nesse sentido, em consonância com a perspectiva do sujeito que aprende, defendemos que o processo ensino-aprendizagem é complexo e se desenvolve na confluência das relações interpessoais, da ambiência, da produção coletiva do conhecimento escolar e da interdependente tríade ciências, tecnologia e sociedade. Ao elaborar a presente investigação, nosso intuito foi descrever e analisar as situações de aprendizagem em que os estudantes participaram e que desenvolveram interpretações sobre o conceito de pressão a partir da realização de experimentos investigativos. Neste caso, o grupo de estudantes se voluntariou para participar de uma ação pedagógica inspirada nos princípios do ensino híbrido. Para isto, utilizamos o espaço-tempo de uma instituição escolar que trabalha com metodologias ativas em seu cotidiano pedagógico. Desenvolvemos esta pesquisa com estudantes de todos os anos do ensino fundamental II e utilizamos como estratégia pedagógica a rotação de estações. Os resultados indicaram que os estudantes, ao subjetivarem as situações de aprendizagem desenvolvidas no espaço-tempo destinado às metodologias ativas, exercitaram a autonomia de pensamento, a utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação para a (re)elaboração individual e coletiva do conceito de pressão, a abertura ao diálogo e a convivência com a diversidade no contexto da sala de aula.

 

 

References

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

BACICH, Lilian. MORAN, José (Orgs.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática [recurso eletrônico]. Porto Alegre: Penso, 2018. e-PUB.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GONZÁLEZ REY, F. L.; MITJÁNS MARTÍNEZ, A. Subjetividade: teoria, epistemologia e método. Campinas: Alínea, 2017.

MORTIMER, E. F. Linguagem e Formação de Conceitos no Ensino de Ciências. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2000.

POZO, J. I.; CRESPO, M. A. G. A aprendizagem e o ensino de ciências: Do Conhecimento Cotidiano ao Conhecimento Científico. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

TACCA, M. C. V. R.; GONZÁLEZ REY, F. L. Produção de sentido subjetivo: as singularidades dos alunos no processo de aprender. Psicologia: ciência e profissão, v. 28, n. 1, p. 138-161, 2008.

VICENTIN, J., SANTOS, S. A. Ciências: o ensino do conceito de pressão a partir de uma abordagem integradora, com o apoio de mapas conceituais, diagramas adi (atividades demonstrativo-interativas) e experimentos alternativos no 9º ano do ensino fundamental. Aprendizagem Significativa em Revista/Meaningful Learning Review – V5(1), pp. 75-100, 2015.

Published

2019-07-01

Issue

Section

Artigos originais