Aspectos epidemiológicos das arboviroses no município de Vitória da Conquista - Bahia, Brasil, no período de 2015 a 2020/ Epidemiological aspects of arboviroses in the municipality of Vitória da Conquista- Bahia, Brazil, in the period from 2015 to 2020

Authors

  • Aléxia David Santos Soares
  • Daiana Silva Lopes
  • Fabrício Santos Sousa
  • Jeová Bispo da Trindade Júnior
  • João Victor Amorim Cordeiro
  • João Victor Silva Souza
  • Ana Maria Viana Ferraz de Oliveira
  • Andréa Lorena Santos Silva de Castro
  • Ana Paula Steffens
  • Edi Cristina Manfroi
  • Luís Cláudio Oliveira Moura
  • Poliana Vieira Amaral Rodrigues
  • Márcio Borba da Silva

DOI:

https://doi.org/10.34115/basrv5n2-044

Keywords:

Arboviroses, Vitória da Conquista, Perfil epidemiológico.

Abstract

O aumento de doenças infectocontagiosas como as arboviroses tem crescido significativamente no Brasil, especificamente, nas últimas décadas como consequência de diversas mudanças decorrentes da complexa relação homem-natureza, a exemplo do desmatamento, as alterações climáticas e as condições sanitárias precárias. Assim, esta pesquisa tem como escopo analisar e descrever os aspectos epidemiológicos de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, entre os anos de 2015 a 2020. Para tal fim, desenvolveu-se um estudo epidemiológico quantitativo, descritivo e de série histórica, no qual foram coletados dados das arboviroses no município por meio do Sistema de Informações Único de Saúde (DATASUS), disponibilizados pela Secretaria Municipal de Saúde, no período mencionado. Dentre os achados desta pesquisa, destaca-se que a dengue é a arbovirose com maior número de casos notificados no município, sendo essa prevalência constatada em cada ano analisado, destacando os anos de 2016 e 2020 com 2.985 e 6.874 casos notificados, respectivamente. Ademais, percebeu-se que a distribuição dos casos notificados se concentra nos intervalos dos meses de janeiro e junho, prevalecendo entre os adultos com faixa etária de 20 a 49 anos. A Chikungunya, por sua vez, foi a que registrou um menor número de casos. Conclui-se, portanto, a partir dos dados coletados e da análise posterior, que apesar de o número elevado de notificações de dengue em 2020, devem ser consideradas as semelhanças dos quadros sintomatológicos das demais arboviroses investigadas, bem como, a possibilidade de diagnósticos e notificações equivocadas.

References

BRASIL. Combate ao Aedes Aegypti: prevenção e controle da Dengue, Chikungunya e Zika. Disponível em: <https://antigo.saude.gov.br/informes-de-arboviroses>. Acesso em: 20 Out. 2020.

DONALISIO, M. R.; FREITAS, A. R. R.; ZUBEN, A. P. B. V. Arboviruses emerging in Brazil: challenges for clinic and implications for public health. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 51, 30, 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102017000100606&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 19 out. 2020.

GOULD, E. et al. Emerging arboviruses: Why today? One health (Amsterdam, Netherlands), 4, 1–13. 2017, disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5501887/> Acesso em: 18 out. 2020.

LOPES, N.; NOZAWA, C.; LINHARES, R. E. C. Características gerais e epidemiologia dos arbovírus emergentes no Brasil. Rev Pan-Amaz Saude, Ananindeua, v. 5, n. 3, p. 55-64, set. 2014. Disponível em: <http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2176-62232014000300007&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 10 out. 2020.

SANTOS, N. F. et al. Análise epidemiológica da dengue no município de Vitória da conquista - Bahia, no período de 2011 a 2014. C&D-Revista Eletrônica da FAINOR, Vitória da Conquista/BA, v.9, n.2, p.111-123, 2016.

GUSMÃO, C. M. G. DE; PATRIOTA, A. C. DE L. S.; CARVALHO, I. DE L. Aedes aegypti e arboviroses no brasil: uma revisão bibliográfica focada no Zika Vírus. Revista Brasileira de Inovação Tecnológica em Saúde, p. 23, 17 abr. 2019. Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/reb/article/view/16340> Acesso em: 10 out. 2020.

Published

2021-04-23

Issue

Section

Artigos originais