As principais características profissionais e pessoais de um diretor de uma organização com foco na ação educativa / The main professional and personal characteristics of a director of an organization focused on educational action

Authors

  • Sandra dos Anjos Canário Custódio Ribeiro

DOI:

https://doi.org/10.34115/10.34115/basrv6n4-006

Keywords:

estilo de liderança, perfil de gestão, competências, diretor de uma organização educativa.

Abstract

Na literatura estrangeira encontramos alguns trabalhos de investigação que nos podem ajudar a percecionar o perfil de competências de desempenho dos líderes das organizações educativas, contudo, muitos deles referem-se a standards, recomendações, guidelines e frameworks. Há também documentos institucionais e os relatórios da OCDE. Contudo, em Portugal não existe nenhum documento orientador com referência ao perfil de gestão e ao estilo de liderança de uma organização educativa. No entanto, nos parâmetros de avaliação de um diretor de uma organização educativa são tidas em contas as competências do diretor mas, paradoxalmente, no ato de seleção do diretor não está definido o perfil de competências necessário. Neste sentido, afigura-se necessário identificar um perfil de gestão e um estilo de liderança de um diretor de uma organização educativa portuguesa. O objetivo deste estudo prendeu-se com a análise de documentos e investigações que determinam o desenvolvimento do sistema educativo português, nomeadamente na comparação das diferenças dos documentos de diferentes países assim como dos estudos de investigação realizados nessa área, no que respeita ao perfil de gestão e nas competências de liderança de um diretor de uma organização educativa. Os resultados sugerem um perfil de gestão e um estilo de liderança, no sentido de uma liderança pedagógica e transformacional, que acarreta uma série de mudanças no que respeita ao perfil do diretor a selecionar e a formar.

References

Alonso, M.L. (1995), O design curricular da reforma: que projeto de cultura de formação?. In Ciências da Educação: Investigação e Ação (II), pp.139-153.

Blase, J. e Anderson, G. (1995). The micropolities of educacional leadership. Cassel: Teacher Development.

Barroso, J. (1992). Fazer da Escola um Projecto. In Inovação e Projecto Educativo de Escola (pp.17-55). Lisboa: Educa

Bush, T. & Glover, D. (2014). «School Leadership models: what do we Know?». In School Leadership &Management, vol.34,nº5, pp.553-571. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/13632434.2014.928680

Costa, J e Figueiredo, S. (2013). Quadro de referência para o desempenho dos líderes escolares. In Ensaio- avaliação e políticas públicas em educação, v. 21, nº79, pp.183- 202.

Elmore, R. (2006). Richard F. Elmore on school reference. Cambridge: Editorial projects in education researcher center. Disponível em: www.edweek.org/media/elmore- reform

Formosinho, J. e Machado, J. (2013). As equipas educativas e o desenvolvimento das escolas e dos professores. In J. Machado e J. M, Alves (Orgs.), Melhorar a escola- sucesso escolar, disciplina, motivação, direção das escolas e políticas educativas. Porto: Faculdade de Educação e Psicologia da Universidade Católica.

Fullan, M. (1992). What`s worth fighting for in headship? Strategies for taking change of the headship. Buckingham, UK: Open University Press.

Hargreaves, A. (2001). Individualismo e Individualidade - compreender a cultura dos professores. In Os professores em tempos de mudança (pp.183-208). Alfragide: Editora McGraw-Hill.

Ilharco, F. (2013). Mourinho - liderança, trabalho em equipa e excelência profissional. Lisboa: Universidade Católica Editora.

Leithwood et al. (2004). How leadership influences student learning. In Review of Research - Center for applied Research and Educational Improvement, Ontario Institute for Studies in Education e the Wallance Foundation.

Moreno, C. (2012). Liderança emocional no âmbito da gestão escolar (tese de mestrado). Bragança: Escola Superior de Educação.

Torres, L. (2013). Liderança singular na escola plural: as culturas de escola perante o processo de avaliação externa. In Revista Lusófona de Educação, 23, pp.51-76.

Rychen, D.S. e Tiana, A. (2005). Desenvolver competências chave em educação. Porto: Edições ASA.

Sacristán, J. (1995). Currículo e diversidade cultural. In T.T. Silva e A.F. Moreira (Orgs.), Territórios contestados: o currículo e os novos mapas culturais.

Sanches, M. F. C. (2005). Liderança Educacional para a Mudança e Inovação: Os Desafios da Indeterminação em “Terra Incógnita”. In J. P. Ponte, J. Pintassilgo, & C. Galvão (Orgs.), Itinerários- Investigar em Educação. Lisboa: Centro de Investigação em Educação, FCUL, pp. 1579-1599.

Silva, J. (2010). Líderes e lideranças em escolas portuguesas. Vila Nova de Gaia: Fundação Manuel Leão.

Trigo- Santos, F. (1996). Atitudes e crenças dos professores do ensino secundário – satisfação, descontentamento e desgaste profissional. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.

Legislação referida

• Decreto Lei nº 75/2008, de 22 de Abril

• Decreto Lei nº 137/2012, de 2 de Julho

• Decreto-Lei nº 43/89, de 3 de Fevereiro

• Portaria nº 266/2012, de 30 de Agosto

Published

2022-07-19

Issue

Section

Artigos originais