Simulação do processo de prevenção da formação de hidratos, através da desidratação do gás natural, utlizando o software prosimplus3 / simulation of the process for preventing hydrate formation through natural gas dehydration using prosimplus3 software

Authors

  • Mariana Rabello Reis Brazilian Journals Publicações de Periódicos, São José dos Pinhais, Paraná
  • Guilherme Ferreira da Silva
  • Guilherme do Canto Pereira
  • Moisés Teles Madureira

DOI:

https://doi.org/10.34115/basrv3n6-026

Keywords:

simulação de processos, desidratação de gás natural, monoetileno glicol.

Abstract

Durante a produção e o escoamento de gás natural, a presença de água, combinada com as condições de temperatura e pressão do processo, possibilita a formação de claratos, conhecidos como hidratos. Os hidratos são compostos cristalinos que prejudicam o rendimento do processo de tratamento do gás, pois bloqueiam válvulas, linhas e equipamentos.

O primeiro processo sofrido pelo gás natural no campo de produção offshore é o processamento primário, que tem como um de seus objetivos promoverem a desidratação do gás a fim de garantir segurança e operabilidade nos processos subsequentes até a comercialização do gás, devidamente especificado. O conhecimento prévio das propriedades do gás, permite aos projetistas das plantas e instalações químicas de processo, dimensionar adequadamente os equipamentos e os sistemas a serem implementados. Nesse sentido, a simulação de processos se constitui numa ferramenta importante como suporte para tomadas de decisão.

 O presente trabalho teve como objetivo, através do uso da ferramenta de software ProSimPlus3, a simulação de um processo de desidratação de um fluido (gás natural umidificado), caracterizado com frações de hidrocarbonetos genericamente presentes nesta fase do petróleo. O agente desidratante utilizado foi o monoetileno glicol. O resultado obtido pela simulação apresentou um nível de remoção de água da corrente de gás natural superior a 93%, sendo considerado bem-sucedido, em função das condições estabelecidas para a simulação.

 Não obstante ao resultado alcançado, variadas condições de entrada, com diferentes propriedades do fluido são fatores que motivam a continuidade da pesquisa no sentido de produzir novos processos de simulação que possam aumentar o rendimento dos hidrocarbonetos leves (metano, etano, propano e butano) no gás natural seco.

Tendo em vista que o mercado de petróleo e energia no Brasil atravessa um processo de revitalização, novos projetos poderão ser potencializados demandando tarefas na área de simulação de processos, buscando as melhores soluções de engenharia para atingir objetivos específicos. 

 

 

References

– VAZ, C. E.M.; MAI, J. L. P; SANTOS, W. G. – Tecnologia da Indústria do Gás Natural – Blucher – 1ª edição – São Paulo: Blucher, 2008

– QUELHAS, A. D.; et al – Processamento de Petróleo e Gás: Petróleo e seus derivados, processamento primário, processos de refino, petroquímica, meio ambiente – Reimpressão - Rio de Janeiro: LTC, 2012.

– BRASIL - Anuário estatístico brasileiro do petróleo, gás natural e biocombustíveis – Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) – Brasília: 2019.

– BRASIL – Especificação do gás natural, de origem nacional ou importada a ser comercializada em todo o território nacional - Portaria ANP nº 104 de 8 de julho de 2002 – Brasília: 2002.

– BRASIL – Matriz Energética Nacional 2018 – Ano base 2017. Disponível em <http://www.epe.gov.br/pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/balanco-energetico-nacional-2018>. Acesso em: 23/11/2019.

Published

2019-12-06

Issue

Section

Artigos originais