Avaliação de impactos ambientais das obras de acessibilidade e mobilidade da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) / Evaluation of environmental impacts of the accessibility and mobility works of Federal University of Campina Grande (UFCG)

Authors

  • Nicole Cavalcanti Silva
  • Márcia Félix da Silva
  • Vera Lúcia Antunes de Lima

DOI:

https://doi.org/10.34115/basr.v2i5.552

Keywords:

Avaliação de impacto ambiental. Acessibilidade. Mobilidade. Ensino Superior. UFCG.

Abstract

A avaliação de impactos ambientais passou a ser feita no Brasil, de forma efetiva, a partir de 1986, com a Resolução nº 001, de 23 de janeiro de 2003, implementada pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA, 2003). Nesse sentido, este artigo tem por objetivo avaliar e evidenciar os impactos ambientais gerados pelas diferentes obras de acessibilidade e mobilidade da instituição de ensino superior brasileira Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), campus 1, localizado em Campina Grande-PB, município do Estado da Paraíba-PB. A pesquisa é do tipo empírica de abordagem qualitativa e descritiva dos dados, conduzida sob a forma de um estudo de caso realizado na UFCG campus Campina Grande-PB. Para coleta de dados foi realizado visitas de campo e observação direta in loco para retirada de fotografias das obras de acessibilidade e mobilidade. Os resultados obtidos apontaram que as obras de acessibilidade e mobilidade implementadas geraram alterações diretas temporárias e diretas permanentes no meio ambiente em escala irreversível e em longo prazo nos fatores físicos, bióticos, antrópicos, estéticos, econômicos e sociais. Tal situação demandado corpo institucional o desenvolvimento e a implementação de medidas atenuantes para diminuir os impactos negativos no seu recorte territorial.

References

ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. ABNT NBR 9050: 2015: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.3 ed. Rio de Janeiro: ABNT, 2015. 148 p.

AZEVEDO, C. E. F; OLIVEIRA, L. G. L.; GONZALEZ, R. K.; ABDALLA, M. M. A Estratégia de Triangulação: Objetivos, Possibilidades, Limitações e Proximidades com o Pragmatismo. Disponível em: <http://www.anpad.org.br/diversos/trabalhos/EnEPQ/enepq_2013/2013_EnEPQ5.pdf>. Acesso em: 08 mai. 2017.

BRAGA, M. UFCG celebra 14 anos de criação. Disponível em: <http://www.ufcg.edu.br/prt_ufcg/assessoria_imprensa/mostra_noticia.php?codigo=18432>. Acesso em: 16 abr. 2017.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília-DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

______. Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004.Regulamenta as Leis nº 10.048, de 8 de novembro de 2000, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, Brasília-DF: Imprensa Nacional, 2004.

______. Portaria Ministerial MEC nº 3.284, de 7 de novembro de 2003. Dispõe sobre os requisitos de acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências. Diário Oficial da União. Brasília: Imprensa Nacional, 2003.

______. Portaria Normativa do Ministério da Educação nº 14, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a criação do Programa Incluir: acessibilidade na educação superior. Diário Oficial da União. Brasília: Imprensa Nacional, 2007.

______. Portaria SEDH nº 170, de 20 de dezembro de 2004. Torna público as normas relativas aos direitos das pessoas com deficiência. Diário Oficial da União. Brasília: Imprensa Nacional, 2004.

______. Resolução CONAMA nº 001, de 23 de janeiro de 2003. Dispõe sobre critérios básicos e diretrizes gerais para a avaliação de impacto ambiental.Diário Oficial da União. Brasília: Imprensa Nacional, 2003.

______. Resolução CONAMA nº 237, de 19 de dezembro de 1997. Dispõe sobra a revisão e complementação dos procedimentos e critérios utilizados para o licenciamento ambiental. Diário Oficial da União. Brasília: Imprensa Nacional, 1997.

CABRAL, L. N.; ALMEIDA, A. L. B.; RIBEIRO, M. S. L. (2012). Avaliação dos impactos socioambientais com a extração de minérios na área rural de Campina Grande-PB. In: ALBUQUERQUE, H. N. (Org.). Múltiplos saberes da sala de aula às atividades de campo. 1 ed. Campina Grande: Impressos Adilson, 159 p.

CETESB. Companhia Estadual de Tecnologia de Saneamento Ambiental. Carta do meio ambiente e de sua dinâmica. 1 ed. São Paulo: Cetesb, 1985. 33 p.

COELHO, M. C. N. Impactos ambientais em áreas urbanas: teorias, conceitos e métodos de pesquisa. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. (Orgs.). Impactos ambientais urbanos no Brasil. 1 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. 144 p.

DIAS, M. do C. O.; PEREIRA, M. C. B.; DIAS, P. L. F.; VIRGÍLIO, J. F. Manual de impactos ambientais: orientações básicas sobre aspectos ambientais de atividades produtivas. 2 ed. Fortaleza: Banco do Nordeste, 2008. 297 p.

MINISTÉRIO DAS CIDADES. Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana, lançou o Programa Brasileiro de Acessibilidade Urbana – “Brasil Acessível”. Disponível em: <http://www.mpgo.mp.br/portalweb/hp/41/docs/cartilha_brasil_acessivel_6.pdf>. Acesso em: 08 mai. 2017.

MOTA, S. Urbanização e meio ambiente.3 ed. Rio de Janeiro: ABES, 2003. 352 p.

NETO, P. L. O. C. Estatística. 2. ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2002. 280 p.

SÁNCHEZ, L. E. Avaliação de Impacto Ambiental: conceitos e métodos. 2 ed. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. 584 p.

UFCG. Universidade Federal de Campina Grande Estatuto. Estatuto. Campina Grande: UFCG, 2004. 59 p.

______. Prefeitura universitária.Mapas - Campus Campina Grande-PB. Disponível em: <http://www.prefeitura.ufcg.edu.br/images/imagens_pu/PlantaGeralUFCG.pdf>. Acesso em: 05 mai. 2017.

Published

2018-10-04

Issue

Section

Artigos originais