O uso de jogos empresariais como método de engajamento em gestão de pessoas em projetos nas organizações de estruturas matriciais / The use of business games as a method of engagement in managing people in projects in the organizations of matricular structures

Authors

  • Guilherme Hoffmann
  • Ludmilla Lopes da Fonseca

DOI:

https://doi.org/10.34115/basr.v3i1.794

Keywords:

Jogos Empresariais. Gestão de Pessoas em Projetos. Inovação.

Abstract

O treinamento corporativo por vezes se mostra entediante e, nem sempre alcança o seu objetivo formativo pois, as ferramentas usadas por vezes não conseguem conectar os funcionários ao conteúdo proposto. Posto isso, observa-se a necessidade da criação de estratégias eficazes que motivem as pessoas envolvidas nos processos de gestão de pessoas em projetos a achar soluções as quais não impactem substancialmente no orçamento, mas que alcancem, de fato resultados esperados de modo que alavanquem as formações internas trazendo inovação ao negócio. Tendo em vista que a contemporaneidade aponta para a necessidade de inovação, em especial, quando falamos em engajamento de pessoas e considerando, que as antigas fórmulas de compensação e/ou recompensas extrínsecas não mais tem plena eficácia, o uso de jogos empresariais e da gamificação ganha espaço pois, mostra-se um método ativo auxiliando as pessoas a atingirem os seus objetivos, através do engajamento emocional e da motivação de modo a estabelecer uma relação de confiança e empoderamento intelectual entre as pessoas e a organização. Considerando que a motivação está intimamente ligada e/ou associada a habilidade e ao conhecimento alcançado, o presente escrito aponta a utilização dos jogos empresariais como um método de engajamento em gestão de pessoas em projeto.

References

BRANDÃO, Rachel e CASAS, Alexandre. Planejamento estratégico em empresas do setor educacional: um estudo de caso em uma instituição de ensino infantile. REBRAE. Revista Brasileira de Estratégia, Curitiba, v. 7, n. 1, p. 100-116, jan./mar. 2014.

BURKE, Brian. Gamificar: como a gamificação motiva as pessoas a fazerem coisas extraordinárias. São Paulo: DVS editora, 2015.

CAVALCANTI, Vera et al. Liderança e Motivação. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2009.

CID 10 – Classificação Internacional de Doenças -10: Descrições Clínicas e Diretrizes Diagnósticas – Organização Mundial da Saúde, trad. Dorgival Caetano, Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

DARTNER, Yvette. Jogos para educação empresarial. São Paulo: Ed. Ágora, 2006.

DUTRA, Joel, DUTRA, Tatiana, DUTRA, Gabriela. Gestão de Pessoas: realidade atual e desafios futuros. São Paulo: Ed. Atlas, 2017.

GALEFFI, Dante. O rigor nas pesquisas qualitativas: uma abordagem fenomenológica em chave transdisciplinar. In: GALEFFI, Dante, MACEDO, Roberto, PIMENTEL, Álamo. Um rigor outro: sobre a questão da qualidade na pesquisa qualitativa. Salvador: Edufba, 2009, p.13-73.

GOLDSCHMIDT, Paulo Clarindo. Simulação e Jogos de Empresas. RAE - revista de administração de empresas, São Paulo, vol. 17, n. 3, mai./jun. 1977. Disponível em: <http://rae.fgv.br/rae/vol17-num3-1977/simulacao-jogo-empresas>. Acesso: 10 jan. 2018.

HEFLO – Disponível em: https://www.heflo.com/pt-br/rh/exemplo-de-estrutura-organizacional-de-uma-empresa/ Acesso: 10 jan. 2018.

HUIZINGA, J. Homo ludens. São Paulo: Perspectiva, 2005.

KERZNER, H. Gestão de Projetos - As Melhores práticas. Tradução.: Marco Antonio Viana Borges, Marcelo Klippel e Gustavo Severo de Borba. – Porto Alegre: Bookman, 2006.

KISHIMOTO , Tizuko M. O Jogo e a Educação Infantil . São Paulo: Pioneira, 1994.

MOTTA, R. A busca da competitividade nas empresas. Revista de Administração de empresas, v. 35, n.1, p. 12-16, mar./abr. 1995.

PINHEIRO, Andréia Azevedo et al . Metodologia para gerenciar projetos de pesquisa e desenvolvimento com foco em produtos: uma proposta. Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro , v. 40, n. 3, p. 457-478, jun. 2006 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-76122006000300007&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 06 abr. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-76122006000300007.

PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. Guia PMBOKR - Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos 4a ed. PMI, 2013.

SHINGO, S. Kaizen e a arte do pensamento criativo: o mecanismo do pensamento científico. Porto Alegre: Bookman, 2010.

SOUZA, A. V.; CHAGAS, F. A.; SILVA, C.E. Jogos de empresas como ferramenta de treinamento e desenvolvimento. Revista Brasileira de Administração Cientifica, Aquidaba, v.2, n.2, p.05-23, 2011.

Published

2018-11-22

Issue

Section

Artigos originais