Principais causas de condenação de frangos de corte em um abatedouro sob inspeção estadual na cidade de Manaus - AM / Main causes of condenation of broilers in a slaughterhouse under state inspection in the city of Manaus – AM

Autores

  • Maria Fernanda dos Santos Monteiro
  • Adrianne Pereira Carioca
  • Pablo Nahum Fernandes de Oliveira
  • Edson Francisco do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.34188/bjaerv5n3-021

Palavras-chave:

Abate, Avicultura, Inspeção, Produção, Produtos de Origem Animal.

Resumo

No Brasil, a cadeia de produção de frango tem avançado consideravelmente ao longo dos últimos anos em razão do valor nutricional agregado da carne, do aumento populacional e do preço acessível, sendo este produto de boa aceitação pelos consumidores. Em função disso, o mercado tem exigido cada vez mais um produto de qualidade sem riscos à saúde pública. Para este objetivo, e com intuito de preservar e oferecer um produto de alta qualidade, há órgãos públicos fiscalizadores, responsáveis técnicos, diretores e funcionários envolvidos em todo o processo produtivo e industrial. O objetivo deste trabalho foi avaliar as principais causas de condenação de frangos de corte no ano de 2020 em um abatedouro localizado na cidade de Manaus/AM. Foram analisados os relatórios de condenações, obtidos através da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (ADAF). Diversos fatores influenciam as causas de condenação, tais como manejo pré-abate, transporte e ordem de processos de abate. As principais causas de condenação registradas no período de estudo foram aves mortas nas gaiolas e/ou transporte (52,19%), fratura (37,92%), calosidades (20,94%), contaminação (10,08%) e contusão generalizada (8,13%). Concluiu-se que a maior proporção de condenações ocorreu por falhas durante a cadeia produtiva, fato que demonstra a importância da execução das boas práticas de fabricação, capacitação dos colaboradores e a padronização dos processos pré-estabelecidos.

Referências

Abpa. (2021). Associação Brasileira de Proteína Animal. Relatório Anual 2021. Disponível em: <http://abpa-br.org/abpa-lanca-relatorio-anual-2021/>. Acesso em: 25 out. 2021.

Andrade, C. L. (2005). Histopatologia e identificação da Escherichia coli como agente causal da celulite aviária em frangos de corte. 2005. 62f. Dissertação (Mestrado em Higiene Veterinária e Processamento Tecnológico de Produtos de Origem Animal) - Faculdade de Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Niterói. 2005.

Brasil. Mapa. (2017). Decreto Nº 9.013, de 29 de março de 2017. Regulamenta a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, e a Lei nº 7.889, de 23 de novembro de 1989, que dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal. Diário Oficial da União, Brasília, 30 de março.

Brasil. Mapa. (2001). Instrução normativa Nº 44 de 23 de agosto de 2001. Aprova as normas técnicas para o controle e a certificação de núcleos e estabelecimentos avícolas para a Micoplasmose Aviária (Mycoplasma gallisepticum, synoviae e melleagridis). Diário Oficial da União. Brasília, DF, 24 ago. Seção 1, p. 68-70.

Brasil. Mapa. (1998). Portaria Nº 210, de 10 de novembro de 1998. Aprova o regulamento técnico da inspeção tecnológica e higiênico-sanitária de carne de aves. Diário oficial da República Federativa do Brasil. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/assuntos/inspecao/produtosanimal/empresario/arquivos/Portaria2101998.pdf/view>. Acesso em: 14 nov. 2021.

Coldebella, A., Caron, L., Albuquerque, E. R., Viana, A. L. (2018). Abate e condenação de aves da espécie Gallus gallus registrados no Brasil pelo Sistema de Inspeção Federal de 2012 a 2015. Concórdia: Embrapa suínos e aves. Santa Catarina. Ministério da Agricultura Pecuária Abastecimento. Brasília. Disponível em: <http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1093942>. Acesso em 27 out. 2021.

Embrapa. (2020). Estatísticas Mundo Frangos de corte. Disponível em: <https://www.embrapa.br/suinos-eaves/cias/estatisticas/frangos/mundo>. Acesso em: 27 out. 2021.

Goscinscki, F. (2016). Análise dos índices de condenação de carcaças de frango em abatedouros da região norte paranaense. Higiene Alimentar, 260-261 (30), 73-77.

Groff, A. M., Silva, V. L., Stevanato, L. K. (2015). Causas de condenação parcial de carcaças de frangos. In: Congresso Internacional de Administração 2015. Ponta Grossa. Anais eletrônicos. Ponta Grossa, Paraná. Disponível em: <http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/2620>. Acesso em: 15 nov. 2021.

Maschio, M. M., Raszl, S. M. (2012). Impacto financeiro das condenações post-mortem parciais e totais em uma empresa de abate de frango. Revista E-tech, 1 (1), 26-38.

Nepomuceno, L. L., Schmidt, A. B., Conceição, F. A. A., Duarte, W. S., Ferreira, J. L. (2017). Alterações não patológicas observadas na inspeção post mortem em frangos abatidos industrialmente na região norte do Tocantins. Revista Desafios, 4 (1), 135-140.

Oliveira, A. O., Andrade, M. A., Armendaris, P. M., Bueno, P. H. S. (2016). Principais causas de condenação ao abate de aves em matadouros frigoríficos registrados no serviço brasileiro de inspeção federal entre 2006 e 2011. Ciência Animal Brasileira, 17 (1), 79-89.

Oliveira, F. T. V., Coelho, A. A. C., Silva, T. C. P., Araujo, L. C. S. S. C. (2020). Principais Ocorrências de Lesões em Frangos no Abatedouro do Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia (IFCE) campus Iguatu-CE. Revista de Agroecologia no Semiárido (RAS), 4 (4), 55-59.

Santos, M. M. (2010). Principais causas de condenação de carcaças de frango em abatedouros frigoríficos. 2010. 20f. Trabalho de Conclusão de curso (Especialização em Higiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal) – Universidade de Castelo Branco, Rio de Janeiro, RJ, 2010.

Silva, J. O. (2016). Principais condenações em carcaças de frango de corte em abatedouro de aves na cidade de Itapecerica-MG. 2016. 13f. Trabalho de Conclusão de Curso (Medicina Veterinária) – Centro Universitário de Formiga, Minas Gerais, 2016.

Downloads

Publicado

2022-07-22

Edição

Seção

Artigos originais