Efeitos deletérios do uso do ácido hialurônico para fins estéticos / Deletary effects of the use of hyaluronic acid for aesthetic purposes

Authors

  • Ana Clara Rosa Coelho Guimarães Brazilian Journals Publicações de Periódicos, São José dos Pinhais, Paraná
  • Eythor Ávila Reis
  • Hugo Sanchez Gomes
  • Lucas Ferreira Gonçalves
  • Nathália Moreira Pereira
  • Thiago da Mata Martins
  • Natália de Fátima Gonçalves Amâncio

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-167

Keywords:

Ácido hialurônico, Efeitos adversos, Estética.

Abstract

Objetivo: Avaliar os riscos do uso desregulado do ácido hialurônico (AH). Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, cujo tema foi pesquisado em diferentes bases de dados com o cruzamento dos descritores “ácido hialurônico”; “malefícios”; “consequências”; “estética”, sendo incluídos artigos dos últimos 5 anos, com texto completo, que tratavam dos efeitos negativos do uso do AH, nos idiomas inglês e português, relacionados a humanos. Resultados: Os artigos analisados evidenciaram um aumento no uso de AH em procedimentos estéticos e a necessidade do conhecimento da história clínica, anatomia facial e técnicas de injeção para bons resultados. Profissionais não capacitados são um risco adicional para aplicação e nem todos conseguem lidar com a gama de reações adversas existentes. Eritemas, edemas, hematomas, abcessos, infecções, alergias, necrose, oclusão vascular, inflamações são possíveis efeitos da aplicação errônea do AH.  Esses, gerados principalmente por respostas imunes negativas ao AH, trazem grandes prejuízos estéticos, psicológicos e funcionais na vida dos pacientes. Considerações finais: Diante do elevado risco do uso de AH de forma desregulada, é de extrema importância profissionais bem capacitados para a aplicação facial do AH, para que minimize ao máximo os efeitos adversos e garanta um bom resultado estético.

References

ALCÂNTARA C. E. et al. Granulomatous reaction to hyaluronic acid filler material in oral and perioral region: A case report and review of literature. Journal of Cosmetic Dermatology, 2017; 17(4): 578-583.

ALMEIDA A. T. et al. Diagnóstico e tratamento dos eventos adversos do ácido hialurônico: recomen- dações de consenso do painel de especialistas da América Latina. Surgical & Cosmetic Dermatology, 2017; 9(3): 204-213.

ANDRE P., HANEKE E. Nicolau syndrome due to hyaluronic acid injections. Journal of Cosmetic and Laser Therapy, 2016; 18(4): 239-244.

BRENNER F. M. et al. Late granulomatous reaction to hyaluronic acid associated with rheumatoid arthritis treated with leflunomide. Surgical & Cosmetic Dermatology, 2016; 8(2): 179-181.

CAVALLIERI F. A. et al. Edema tardio intermitente e persistente ETIP: reação adversa tardia ao preenchedor de ácido hialurônico. Surgical & Cosmetic Dermatology, 2017; 9(3): 218-222.

DAHER J. C. et al. Complicações vasculares dos preenchimentos faciais com ácido hialurônico: confecção de protocolo de prevenção e tratamento. Revista Brasileira de Cirurgia Plástica, 2020; 35(1): 2-7.

DALMEDICO M. M. et al. Hyaluronic acid covers in burn treatment: a systematic review. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 2016; 50(3): 522-528.

DOERFLER L., HANKE C. W. Arterial Occlusion and Necrosis Following Hyaluronic Acid Injection and a Review of the Literature. Journal of Drugs in Dermatology, 2019; 18(6): 587-591.

GUTMANN I. E., DUTRA R. T. Reações adversas associadas ao uso de preenchedores faciais com ácido hialurônico. Rev. eletr. biociências, biotecnologia e saúde, 2018; 11(20): 07-17.

HUMPHREY S. et al. Retrospective review of delayed adverse events secondary to treatment with a smooth, cohesive 20-mg/mL hyaluronic acid filler in 4500 patients. J Am Acad Dermatol., 2020; 83(1): 86-95.

LOH T. D. K. et al. Prevention and management of vision loss relating to facial filler injections. Singapore Medical Journal, 2016; 57(8): 438-443.

LYNCH T. B. Late-Onset Inflammatory Response to Hyaluronic Acid Dermal Fillers. PRS Global Open, 2017; 5(12): 01-07.

NAHAS R. M. et al. Viscossuplementação no tratamento de artrite pós-traumática de joelho durante 12 meses. Rev Bras Med Esporte, 2016; 22(6): 465-470.

NASCIMENTO M. H. M., LOMBELLO C. B. Hidrogéis a base de ácido hialurônico e quitosana para engenharia de tecido cartilaginoso. Polímeros, 2016; 26(4): 360-370.

PARADA M. B. et al. Manejo de complicações de preenchedores dérmicos. Surg Cosmet Dermatol,, 2016; 8(4):342-351.

ROBATI R. M. et al. The Risk of Skin Necrosis Following Hyaluronic Acid Filler Injection in Patients With a History of Cosmetic Rhinoplasty. Aesthetic Surgery Journal, 2018; 38(8): 883-888.

ROSA T. C. NECROSE EM GLABELA CAUSADA POR PREENCHEDORES: RELATO DE CASO. Monografia (Pós- Graduação Lato Sensu). FACULDADE SETE LAGOAS- FACSETE, São Paulo, 2019.

SANTONI M. T. S. Uso de ácido hialurônico injetável na estética facial: uma revisão da literatura. Trabalho de Conclusão de Curso (Pós-Graduação em Estética da Saúde). Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ, Ijuí, 2018.

SHOUGHY S. S. Visual loss following cosmetic facial filler injection. Arq. Bras. Oftalmol., 2019; 82(6): 511-513.

VELOSO A. R. et al. Celulite em face após preenchimento com ácido hialurônico. Rev. Bras. Cir. Plást, 2019; 34(0):01-03.

VIDIC M., BARTENJEV I. An adverse reaction after hyaluronic acid filler application: a case report. Acta Dermatovenerol Alp Pannonica Adriat, 2018; 27(3): 165-167.

VIEIRA K. K. V., JÚNIOR, W. V. M. EVENTOS ADVERSOS E DEMAIS INCIDENTES NO CUIDADO ESTÉTICO REALIZADO PELO BIOMÉDICO. Acta Biomedica Brasiliensia, 2018; 9(1): 62-82.

Published

2021-03-22

Issue

Section

Original Papers