Acurácia diagnóstica dos instrumentos de avaliação da cognição na atenção primária à saúde / Diagnostic acuracation of cognition assessment instruments in primary health care

Authors

  • Marcelo José de Sousa
  • Ana Cecília Alves Silva Marques
  • Marcos Leandro Pereira

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-223

Keywords:

Cognição, Envelhecimento, Atenção Primária à Saúde.

Abstract

São muitos os instrumentos neuropsicológicos que podem ser utilizados na Atenção Primária à Saúde para rastreamento de transtornos amnésticos, mas são exíguas investigações dos transtornos amnésticos na atenção básica. Os testes neuropsicológicos, são instrumentos que proporcionam a avaliação quantitativa e qualitativa das funções cognitivas, intelectuais e comportamentais do indivíduo. O presente estudo visa verificar a acurácia diagnóstica dos principais instrumentos de avaliação da cognição na Atenção Primária à Saúde, através da análise das áreas da curva ROC. Obteve-se uma amostra de 89 pacientes, de ambos os sexos com idade igual ou superior à 50 anos, sendo que 69,7% eram mulheres, com idade média 62,64 (±9,56) anos, 62,9% casados, escolaridade média de 5,38 anos (±3,42), sendo que 61,8%% possuíam renda de 1 a 2 salários mínimos. O ACE-R foi mais sensível que o MEEM. O teste de figuras e a fluência semântica para animais da BBRC foram mais específicos que os demais. Num olhar global, o ACE-R parece ser o melhor teste para rastreamento de declínio cognitivo na atenção primária à saúde.

References

ALMEIDA, O. P.; ALMEIDA, S. A. Confiabilidade da versão brasileira da Escala de Depressão em Geriatria (GDS) versão reduzida. Arquivos de Neuropsiquiatria, São Paulo, v. 57, n. 2B, p. 421-426, 1999.

BERNARDES, F. R. et al. Subjective memory complaints and their relation with verbal fluency in active older people. CoDAS. 2017, vol.29, n.3, e20160109. Epub May 22, 2017. ISSN 2317-1782. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20172016109.

BRUCKI, S. M. D. et al. Sugestões para o uso do mini-exame do estado mental no Brasil. Arquivos de Neuropsiquiatria, v. 61, pp. 777-781, 2003.

BUCKLEY, R. F. et al. Subjective memory decline predicts greater rates of clinical progression in preclinical Alzheimer's disease. Alzheimer’s & Dementia, v. 12, n. 7, pp. 796-804, 2016.

CARVALHO, V. A. Addenbrooke's Cognitive Examination - Revised (ACE-R): adaptação transcultural, dados normativos de idosos cognitivamente saudáveis e de aplicabilidade como instrumento de avaliação cognitiva breve para participantes com doença de Alzheimer. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Medicina (neurologia). Universidade de São Paulo, 2009.

CARVALHO, V. M. Addenbrooke's Cognitive Examination - Revised (ACE-R): adaptação transcultural, dados normativos de idosos cognitivamente saudáveis e de aplicabilidade como instrumento de avaliação cognitiva breve para pacientes com doença de Al. 2009, 114 fl. (Dissertação de Mestrado em Ciências) – Universidade de São Paulo, 2009.

CHAN, Q. L. et al. The Combined Utility of a Brief Functional Measure and Performance-Based Screening Test for Case Finding of Cognitive Impairment in Primary Healthcare. Journal of the American Medical Directors Association, v. 17, n. 4, 2016.

CHARCHAT-FICHMAN, H. et al. Decline of cognitive capacity during aging. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 27, pp. 79-82, 2005.

CHAVES, M. L. F. et al. Doença de Alzheimer: avaliação cognitiva, comportamental e funcional. Dementia &Neuropsychologia, v. 5, pp. 21-33, 2011.

EICHLER, T. et al. Subjective memory impairment: no suitable criteria for case-finding of dementia in primary care. Alzheimer’s & Disease, v. 1, n. 2, pp. 179-186, 2015.

ELSEY, C. Towards diagnostic conversational profiles of patients presenting with dementia or functional memory disorders to memory clinics. Patient Education and Counseling, v. 98, n. 9, pp. 1071-1077, 2015.

FICHMAN-CHARCHAT, H., et al. Bateria Breve de Rastreio Cognitivo (BBRC) para o diagnóstico da doença de Alzheimer leve em uma clínica geriátrica. Arquivos de Neuropsiquiatria, v. 74, n 2pp.149-154, 2016.

FOLSTEIN, M. F. et al. “Mini-Mental State”. A practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician. Journal Psychiatric Revision, v. 12, pp.189-198, 1975.

GROBER, E. et al. Identifying memory impairment and early dementia in primary care. Alzheimer’s & Dementia, v. 24, n. 6, pp. 188-195, 2017.

JACINTO, A. F. Alterações cognitivas em pacientes idosos atendidos em ambulatório geral de clínica médica. 2008, 105 fl. (Dissertação de Doutorado em Ciências) - Universidade de São Paulo, 2008.

JESSEN, F. et al. A conceptual framework for research on subjective cognitive decline in preclinical Alzheimer's disease. Alzheimer’s & Dementia, v. 10, n. 6, pp. 844-852, 2014.

KATZ, S. et al. Studies of illness in the aged. The index of ADL: a standardized measure of biological and psychosocial function. JAMA, v. 12, pp. 914-919, 1963.

LIMA-SILVA, T. B. & YASSUDA, M. S. The relationship between memory complaints and age in normal aging. Dementia & Neuropsychologia, v. 3, n. 2, pp. 94-100, 2009.

MACHADO, J. C. B. Doença de Alzheimer. In: FREITAS, E. V.; PY, L. Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 4ª ed., p. 240-65, 2016.

MARTINY, C. et al. Tradução e adaptação transcultural da versão brasileira do Inventário de Ansiedade Geriátrica (GAI). Revista de Psiquiatria Clínica, v. 38, n. 1, p. 8-12, mar,2011.

MATTOS, P. et al. Memory complaints and test performance in healthy elderly persons. Arquivos de Neuropsiquiatria, v. 61, pp. 920-924, 2003.

MESULAM, M. M. Principles of behavioral and cognitive neurology. 2. ed. New York: Oxford University Press, 2000, pp. 121-173.

NETO, A. P. G. P. A gênese neurofisiológica da memória e seu significado clínico. Brazilian Journal of Health Review. Curitiba, v. 2, n. 2, p. 768-786, mar./apr. 2019.

NITRINI, R. et al. Diagnóstico de Doença de Alzheimer no Brasil: critérios diagnósticos e exames complementares. Arquivos de Neuropsiquiatria, v. 63, pp. 713-719, 2005.

NITRINI, R. et al. Performance of illiterate and literate nonde-mented elderly subjects in two tests of long-term memory. Journal International Neuropsychological, v. 10, pp. 634-638, 2004.

NITRINI, R. et al. Testes neuropsicológicos de aplicação simples para o diagnóstico de demência. Arquivos de Neuropsiquiatria, v. 52, pp. 456-465, 1994.

PAULO, D. L. V. & YASSUDA, M. S. The relation between memory complaints in the elderly and education, cognitive performance, and symptoms of depression and anxiety. Revista de Psiquiatria Clínica, v. 37, n. 1, pp. 23-26, 2009.

PETRILLO, S. L. Avaliação do Desempenho do Teste de Rastreio “Memory Impairment Screen” para Demência na Doença de Alzheimer. 2017, 71 fl. (Dissertação de Mestrado em Pesquisa Clínica) – Universidade Estadual Paulista, Botucatu, 2017

PFEFFER, R. I. et al. Measurement of functional activities in older adults in the community. Journal of Gerontology, v. 37, pp. 323-329, 1982.

REISBERG, B. et al. Outcome over seven years of healthy adults with and without subjective cognitive impairment. Alzheimer’s & Dementia, v. 6, n. 1, pp. 11-24, 2010.

ROCHA, M. S. G. et al. Adaptação brasileira do exame cognitivo de Addenbrooke-Revisado é acurado na detecção de demência em pacientes com doença de Parkinson's de baixa escolaridade. Dement. neuropsychol. 2014, vol.8, n.1, pp.20-25. ISSN 1980-5764. http://dx.doi.org/10.1590/S1980-57642014DN81000004.

ROCHA, P. M. Validação da versão Portuguesa do Addenbrooke Cognitive Examination-III numa amostra de participantes com demência e défice cognitivo ligeiro. 2016, 25 fl. (Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica) – Instituto Universitário de Ciências da Saúde, 2016.

ROSENBLOOM, M. et al. Routine cognitive screening in a neurology practice: Effect on physician behavior. Neurology, Clinical Practice, v. 6, n. 1, pp. 16-21, 2016.

SARMENTO, A. L. R. A Avaliação Cognitiva Montreal (MoCA) foi desenvolvida como um instrumento breve de rastreio para deficiência cognitiva leve. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Ciências. Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2009.

SHULMAN, K. L. Clock-drawing: is it the ideal cognitive screening test? International Journal of Geriatric Psychiatry, v. 15, n. 6, pp. 548-561, 2000.

WINOGRAD, M. et al. Aspectos qualitativos na prática da avaliação neuropsicológica the qualitative aspects in practice of the neuropsychology assessment. Ciências & Cognição, v. 17, p. 2, pp. 02-13, 2012.

YASSUDA, M. S. et al. Brief Cognitive Screening Battery: age and education norms. Dementia & Neuropsychologia, v. 11, n. 1, pp. 48-53, 2017.

ZERBINI, F. M. G. et al. Accuracy of the mini mental state examination in the diagnosis of individuals with mild cognitive impairment. Fisioterapia Brasil, v. 10, pp: 354-357, 2009.

Published

2021-03-30

Issue

Section

Original Papers