Identificação do perfil epidemiológico e dos fatores de risco pré-gestacionais e gestacionais relacionados ao desenvolvimento da síndrome hellp / identification of the epidemiological profile and pre-gestional and gestational risk factors related to the development of hellp syndrome

Authors

  • Luana Assunção Fialho Brazilian Journals Publicações de Periódicos, São José dos Pinhais, Paraná
  • Bárbara Andressa Silva Ferreira
  • Fernanda Beatriz Galvani
  • Gabriele Rocha Sant’Ana Queiroz
  • Guilherme Cincinato de Almeida
  • Ítalo Thiago Tavares Vasconcelos
  • Natália de Fátima Gonçalves Amâncio
  • Adelaide Maria Ferreira Campos D'Avila

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-330

Keywords:

Síndrome HELLP. Gravidade. Perfil epidemiológico. Fatores de risco.

Abstract

O objetivo da pesquisa foi descrever o perfil epidemiológico e identificar os fatores de risco pré-gestacionais e gestacionais relacionados ao desenvolvimento da síndrome HELLP, na tentativa de prevenir o desenvolvimento da síndrome, facilitar o diagnóstico precoce e minimizar os agravos desta doença, considerada de alto risco para a gestante e também para o feto. Trata-se de um estudo do tipo documental, descritivo e retrospectivo, com abordagem quantitativa, que foi desenvolvido no Hospital Regional Antônio Dias, situado na cidade de Patos de Minas, Minas Gerais. O estudo incluiu todos os prontuários das gestantes que foram diagnosticadas com a síndrome HELLP e que deram entrada no hospital no período de 1º janeiro de 2017 a 31 de dezembro de 2018. Foram selecionadas 53 gestantes, das quais 58,49% tinham entre 26 e 35 anos, 96,23% eram de cor parda, 56,60% eram solteiras, 69,81% tinham o ensino médio e 58,49% exerciam atividade remunerada. Quanto aos fatores de risco pré-gestacionais e gestacionais das gestantes selecionadas, 54,72% eram multíparas, houve planejamento familiar em 50,94% das gestações, 98,11% tiveram acesso ao pré-natal, 47,17% possuíam o histórico de complicações obstétricas, 62,07% tiveram alguma Síndrome Hipertensiva Gestacional em gestação anterior, 66,04% não tinham histórico familiar de Síndrome Hipertensiva Gestacional, 73,58% não possuíam patologias anteriores associadas e 50,94% foi diagnosticada com pré-eclâmpsia grave. A falta de concordância de alguns dados encontrados na pesquisa com os dados encontrados na literatura mostra que o desenvolvimento da síndrome HELLP não segue um padrão, dessa forma, são necessários estudos adicionais.

 

References

ANTUNES, M. B. et al. Síndrome hipertensiva e resultados perinatais em gestação de alto risco. Revista Mineira de Enfermagem. v. 21, e-1057, p. 1-6, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Gestação de alto risco: manual técnico / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. – 5. ed. – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012. 302 p. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos)

CARVALHO, L. F. P. de et al. 50 casos cli?nicos: que todos ginecologistas e obstetras devem conhecer. Sa?o Paulo: AC Farmacêutica, 2012.

COELHO, F. F.; KUROBA, L. S. Emergência Hipertensiva Na Gestação: Síndrome HELLP Uma Revisão De Literatura. Revista Saúde e Desenvolvimento. vol.12, n.13, p. 159-175, 2018.

FALAVINA, L. P. et al. Hospitalização durante a gravidez segundo financiamento do parto: um estudo de base populacional. Revista da Escola de Enfermagem da USP [Internet]. USP, São Paulo, v. 52, e03317, maio, 2018.

FIORIO, T. A. et al. Doença Hipertensiva Específica da Gestação: prevalência e fatores associados. Brazilian Journal of Develop. Curitiba, v. 6, n.6, p.35921-35934, jun.2020.

GUIMARÃES, J. P. et al. A prevalência de gestantes portadoras de SHEG que evoluíram para síndrome HELLP em uma maternidade pública. Revista Brasileira de Educação e Saúde. v. 4, n. 1, p. 1-17, 2014.

KAHHALE, S.; FRANCISCO, R.; ZUGAIB, M. Pré-eclampsia. Revista de Medicina. v. 97, n. 2, p. 226-234, 15 jun. 2018.

LIMA, J. P. et al. Perfil socioeconômico e clínico de gestantes com Síndrome Hipertensiva Gestacional. Revista Rene [Internet]. v. 19, e3455. p. 1-7, 2018.

MARTINS-COSTA, S. H. et al. Rotinas em obstetrícia. 7. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017.

MIRANDA, F.K. et al. Atuação da enfermagem na síndrome de HELLP – Uma revisão da literatura. Revista Gestão & Saúde. v. 15, n. 1, p. 39 - 45, 2016.

NÓBREGA, M. F. et al. Perfil de gestantes com síndrome hipertensiva em uma maternidade pública. Revol – Revista de enfermagem da UFPE. Recife, n.10(5), p.1805-1811, 2016.

RIBEIRO, J. F. et al. Perfil sociodemográfico e clinico de mulheres com síndrome Hellp. Revista de Enfermagem da UFSM. [s.i.], v. 6, n. 4, p. 569 - 577, mar. 2017.

SASS, N.; OLIVEIRA, L. G. de. Obstetrícia. 1. ed. – [Reimpr.] – Rio de Janeiro: Guanabara ¬Koogan, 2017.

SBARDELOTTO, T. et al. Características definidoras e fatores associados à ocorrência das síndromes hipertensivas gestacionais. Revista Cogitare Enfermagem. Curitiba, v. 23, n.2, julho, 2018.

SILVA, J. A. da. et al. Fatores de risco para a Doença Hipertensiva Específica da Gestação no Brasil. Artigos publicados em periódicos (UNIT-AL_BIO). Z12:42:90T. Centro Universitário Tiradentes - UNIT/AL, 2019.

URBANETZ, A. A. (Coord.). Ginecologia e obstetri?cia Febrasgo para o me?dico residente. 1. ed. Barueri, SP: Manole, 2016.

VANELLI, C. M.; CAMARGO, I. T. de; RIBAS, J. L. C. Síndrome HELLP: Fisiopatologia e acompanhamento laboratorial. Revista Saúde e Desenvolvimento. vol.11 n.6, p. 242-247, jan-mar, 2017.

ZUGAIB, M.; FRANCISCO, R. P. V. Zugaib Obstetrícia. 3. ed. Barueri, SP: Manole, 2016.

Published

2021-04-12

Issue

Section

Original Papers