Crianças com HIV/AIDS no Brasil: fatores de risco predisponentes, uma revisão sistemática / Children with HIV/AIDS in Brazil: predisponent risk factors, a systematic review

Authors

  • Fernanda Vasconcelos Prado Correia
  • Halley Ferraro Oliveira
  • Maria Regina Domingues de Azevedo

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-344

Keywords:

Fatores de Risco, Sorodiagnóstico da AIDS, Criança.

Abstract

Essa revisão sistemática da literatura teve o objetivo de reunir e analisar o conteúdo científico relacionado aos fatores de risco implícitos e explícitos que podem predispor crianças ao Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV)/Síndrome da Imunodeficiência Humana (SIDA). As referências bibliográficas foram obtidas nas bases de dados PubMed, LILACS (Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências Sociais e da Saúde), MEDLINE (Sistema Online de Busca e Análise de Literatura Médica) e Google Scholar (Google Acadêmico). Os resultados dos 07 artigos analisados, num total de 36 publicados entre 2010-2020, revelam que os fatores de risco implicados para a manutenção da Transmissão Vertical do HIV são variados e muitas vezes coincidentes entre as publicações selecionadas, como a possibilidade do teste anti-HIV positivo e o aleitamento materno ter sido realizado sem o resultado da testagem, o fato de o resultado sorológico para o HIV no momento do parto ser desconhecido, de as gestantes terem, em geral, menos de 30 anos de idade, não serem brancas, possuírem baixo nível educacional e econômico, além de fazerem uso de tatuagens, piercings e drogas inalatórias. Em suma, esse perfil alia-se às recentes tendências da epidemia da AIDS, que precisam ser reparadas no Brasil, com a feminização, além da pauperização e da interiorização.

References

ABIA. As crianças e o HIV. Coordenação Nacional de DST e AIDS – SPS/Ministério da Saúde e UNESCO. Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS – ABIA - Rio de Janeiro – RJ. Disponível em: http://abiaids.org.br/_img/media/Aaa42.pdf. Acesso: 08/06/2020.

ABIA. Crianças afetadas pela AIDS. Coordenação Nacional de DST e AIDS – SPS/Ministério da Saúde e UNESCO. Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS – ABIA - Rio de Janeiro – RJ. Disponível em: http://abiaids.org.br/_img/media/Aaa42.pdf. Acesso: 08/06/2020b.

BRASIL. Boletim Epidemiológico de HIV e Aids. Número Especial. Secretaria de Vigilância em Saúde

| Ministério da Saúde. | Dez. 2019. Disponível: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2019/boletim- epidemiologico-de-hivaids-2019. Acesso: 01/06/2020.

BRASIL. Boletim Epidemiológico HIV/Aids 2016. Volume 48 N° 1 – 2017. Secretaria de Vigilância em Saúde ? Ministério da Saúde. Disponível em: https://www.saude.gov.br/images/pdf/2017/janeiro/05/2016_034-Aids_publicacao.pdf. Acesso: 01/07/2020.

BRASIL. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para manejo da infecção pelo HIV em crianças e adolescentes. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Brasília, 2017a.

BRASIL. Guia para certificação da eliminação da transmissão vertical do HIV. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais. Brasília, 2017b.

CAVALCANTE, Maria do Socorro et al. Prevenção da transmissão vertical do vírus da imunodeficiência humana: análise da adesão às medidas de profilaxia em uma maternidade de referência em Fortaleza, Ceará, Brasil. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant., vol.8, no.4, Recife Oct./Dec. 2008. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1519-38292008000400013. Acesso: 21/06/2020.

DIAS, Rosa Maria et al. Crianças HIV positivas: características antropométricas e sociodemográficas. Pesquisa realizada no ambulatório do Centro de Atenção à Saúde em Doenças Infecciosas Adquiridas- Casa Dia. Município de Belém, Pará. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0101-5907/2012/v26n4/a3453.pdf. Acesso: 23/05/2020.

FERNANDES et al. Desafios operacionais persistentes determinam a não redução da transmissão materno-infantil do HIV. Jornal de Pediatria (Rio J), 2010; 86(6). Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572010000600010. Acesso: 25/07/2020.

LEMOS, Lígia Mara D. de et al. Avaliação de medidas preventivas para transmissão de HIV de mãe para filho em Aracaju, Sergipe, Brasil Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.45 no.6 Uberaba Nov./Dec. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822012000600005&lang=pt

Acesso: 25/05/2020.

MALUF E SILVA, Margareth J. et al. Perfil clínico-laboratorial de crianças vivendo com HIV/AIDS por transmissão vertical em uma cidade do Nordeste brasileiro. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.43 no.1 Uberaba Jan./Feb. 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0037-86822010000100008. Acesso: 16/06/2020.

MELO, Márcio Cristiano de et al. Incidência e mortalidade por AIDS em crianças e adolescentes: desafios na região sul do Brasil. Ciênc. saúde coletiva, vol.21, no.12, Rio de Janeiro, Dec. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413- 81232016001203889&lang=pt. Acesso: 28/05/2020.

MIRANDA, Angelica E. et al. Avaliação da cascata de cuidado na prevenção da transmissão vertical do HIV no Brasil. Cad. Saúde Pública vol.32 no.9 Rio de Janeiro 2016 Epub 19-Set-2016. Disponível: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2016000905008&lng=pt&tlng=pt. Acesso: 29/05/2020.

OLIVEIRA, Maria Inês C. de; SILVA, Katia S. da; GOMES, Daniela M. Fatores associados à submissão ao teste rápido anti-HIV na assistência ao parto. Ciência & Saúde Coletiva, vol. 23, nº 2, Rio de Janeiro, Fev. 2018. Disponível em: https://scielosp.org/pdf/csc/2018.v23n2/575-584/pt. Acesso: 25/07/2020.

OLIVEIRA, Maria Inês C. de et al. Resultado do teste rápido anti-HIV após o parto: uma ameaça à amamentação ao nascimento. Revista de Saúde Pública, Fev 2010, Volume 44, Nº 1, Páginas 60 – 69. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-89102010000100007. Acesso: 25/07/2020.

POSSOLLI, Glaucia T.; CARVALHO, Márcia L. de; OLIVEIRA, Maria Inês C. de. HIV testing in the maternity ward and the start of breastfeeding: a survival analysis / Testagem anti-HIV na maternidade e o início do aleitamento materno: uma análise de sobrevida. Jornal de Pediatria, Ago 2015, vol. 91, nº 4, páginas 397-404. Disponível em: doi.org/10.1016/j.ped.2014.11.004. Acesso: 25/07/2020.

SANTOS, A.B.S.; COELHO, T.C.B.; ARAÚJO, E.M. Racial identity and the production of health information. Interface (Botucatu), 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/icse/2013nahead/aop0313.pdf. Acesso: 01/07/2020.

SILVA, et al. Teste anti-HIV na gestação: vivência de profissionais de enfermagem. Braz. J. of Develop., Curitiba, v.6, n.7, p. 47716-47726, Jul. 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/13331. Acesso: 25/07/2020.

SILVA, et al. Perfil epidemiológico de crianças nascidas de mães HIV positivas em região metropolitana da Amazônia. Revista Saúde e Pesquisa, v.11, n.3, p.423-430, Set/Dez 2018. Disponível emhttps://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/6735/3294.Acesso: 25/07/2020.

SOARES, Marcelo de L. et al. Preditores do desconhecimento do status sorológico de HIV entre puérperas submetidas ao teste rápido anti-HIV na internação para o parto. Ciência & Saúde Coletiva, Mai 2013, volume 18, nº 5, páginas 1313-1320. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-

Acesso: 25/07/2020.

UNAIDS, Joint United Nations Program on HIV/AIDS. ESTATÍSTICAS GLOBAIS SOBRE HIV 2019.Disponívelem: https://unaids.org.br/estatisticas/#:~:text=ESTAT%C3%8DSTICAS%20GLOBAIS%20SOBRE%20HIV%202019&text=770%20000%20%5B570%20000%E2%80%941,at%C3%A9%20o%20fim%20de%202018). Acesso: 03/11/2020.

Published

2021-04-12

Issue

Section

Original Papers