Atendimento clínicos com pessoas em situação de rua em prática de Saúde Coletiva e sua importância na formação médica / Clinical care with homeless people in Public Health practice and its importance in medical training

Authors

  • Karen Karollinne Dikaua Santos Feitosa
  • Ingrid Lima Longo
  • Ana Karolina Guerreiro Costa Melo
  • Tiago Souza Amorim
  • Marco Aurelio Dantas Vieira Belem

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-225

Keywords:

Atendimento, Integralidade, Promoção a Saúde.

Abstract

A prática da disciplina de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Amazonas consisitiu em vivenciar atendimentos médicos a pessoas em situação de rua. Esta população, não raro, é negligenciada e marginalizada. Em face de raramente procurarem serviços de saúde, às vezes por desconhecerem seus direitos, vão suportando a presença dos sintomas de doenças, recorrendo à rede emergencial em último caso, com o acúmulo de vários problemas de saúde. Relatar como ao provocar encontros com pessoas em situação de rua, a intenção da Disciplina de Saúde Coletiva IV é elucidar que aprendizagem médica não se restringe apenas ao hospital. Visando à compreensão de aspectos do planejamento em saúde a prática de saúde coletiva envolveu pessoas em situações de rua. Os alunos em duplas se distribuíram em “mesas-ambulatórios” em um salão de Instituição que ampara essa população. Assim, foram orientados a escutar os relatos de saúde trazidos, como também as falas sobre o cenário psicossocial que vivem. Dessa maneira, por meio de conversas, interesse e sutilezas foram preenchidos questionários e colhidas histórias clínicas. Realizou-se também exames físicos, em que o aluno teve a oportunidade viver aspectos de semiologia médica sob supervisão. O professor foi orientador da prática, auxiliando os alunos para a tomada de conduta. Após, os atendimentos, os exames solicitados e as prescrições foram entregues ao serviço social para que os atendidos pudessem ter acesso à rede de serviço de saúde. Com tal prática, os discentes, além de terem exercitado os conhecimentos adquiridos no curso de medicina e na disciplina de Saúde Coletiva, puderam entender a realidade vivida por moradores de rua, bem como suas principais necessidades de saúde. Ademais, realizando atividades com pessoas em estado de vulnerabilidade social, puderam sensibilizar-se e perceber a importância dos princípios propostos pelo SUS. A prática com moradores de rua cumpre seu papel na formação mais humanizada e abrangente dos futuros profissionais da saúde, que devem ser comprometidos com as necessidades das populações e atentar-se, ainda mais, para as populações que vivem à margem da cidadania e, portanto, não possuem um atendimento adequado a saúde.

References

Carvalho, Yara Maria e Ceccim, Ricardo Burg . Tratado de Saúde Coletiva. Hucitec. São Paulo; 2 º Edição. 2012.

Varanda,W e Adorno, R.C.F Descartáveis urbanos: discutindo a complexidade da população de rua e o desafio para políticas de saúde. Saúde e Sociedade v.13, n.1, p.56-69, jan-abr 2004.

Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização da Atenção e Gestão em Saúde. Humaniza SUS, 2004. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/cidadao/area. cfm?id_area=1342. Acesso em : 25/09/2016

Published

2021-08-12

Issue

Section

Original Papers