Comportamento suicida em adolescentes: uma revisão de literatura / Suicidal behavior in adolescents: a literature review

Authors

  • Mariane Alves Mota
  • Roberto Nascimento de Albuquerque
  • Eduardo Cyrino Oliveira-Filho

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv4n4-234

Keywords:

Autocídio, Autoextermínio, Ideação Suicida, Jovens.

Abstract

Pesquisas apontam que os adolescentes estão entre os mais vulneráveis para o autocídio, pois essa é a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. Diante disso, esse trabalho tem o intuito apresentar as diferentes formas de ocorrência, o perfil epidemiológico, a identificação dos sinais, bem como as políticas públicas, fatores de prevenção e proteção ao suicídio entre adolescentes. Trata-se de uma revisão narrativa da literatura científica, onde foram consultadas as bases de dados PubMed, PePSIC, SciELO, além de teses universitárias e documentos oficiais e de agências de saúde. Conclui-se que muitos são os fatores que influenciam no comportamento suicida e apesar de existir sinais de riscos que possam auxiliar na prevenção ou detecção do sofrimento mental, social ou em condutas suicidas, deve-se analisar a fase de desenvolvimento em que o adolescente se encontra e as suas singularidades, pois, pois, por meio delas poderão ser desenvolvidas estratégias e planos a fim de reduzir os casos de autoextermínio.

References

ALBUQUERQUE, R. N.; BORGES, M. S.; SADIMONTEIRO, P. Perfil epidemiológico do suicídio entre estudantes de enfermagem. Revista de Enfermagem da UERJ, v. 27, e45607, 2019. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/45607/33090. Acesso em: 21 jul. 2021.

ALVES JUNIOR, C. A. S. et al. Comportamentos suicidas em adolescentes do sul do Brasil: Prevalência e características correlatas. Journal of Human Growth and Development, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 88-94, abr. 2016.

ARAÚJO, L. C.; VIEIRA, K. F.; COUTINHO, M. P. L. Ideação suicida na adolescência: um enfoque psicossociológico no contexto do ensino médio. Psico-USF, Itatiba, v. 15, n. 1, p. 47-57, jan./abr. 2010.

ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria). Suicídio: informando para prevenir. Brasília: CFM/ABP, 2014. Disponível em: https://www.cvv.org.br/wp-content/uploads/2017/05/suicidi

o_informado_para_prevenir_abp_2014.pdf. Acesso em: 21 maio 2021.

BANDO, D. H.; LESTER, D. Estudo ecológico sobre suicídio e homicídio no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 4, p.1179-1189, abr. 2014.

BARBOSA, F. O; MACEDO, P. C. M; SILVEIRA, R. M. C. Depressão e Suicídio. Revista da SBPH, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 233-243, jan./jun. 2011.

BERTOLOTE, J. M. O suicídio e sua prevenção. São Paulo: Unesp, 2012.

BOCHNER, R. Perfil das intoxicações em adolescentes no Brasil no período de 1999 a 2001. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 3, p. 587-595, mar. 2006.

BOTEGA, N. J. Suicídio: saindo da sombra em direção a um Plano Nacional de Prevenção. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 29, n. 1, p.7-8, mar. 2007.

BOTEGA, N. J. Crise Suicida: avaliação e manejo. Porto Alegre: Artmed, 2015.

BRASIL. Portaria nº 1.876, de 14 de agosto de 2006. Diretrizes Nacionais para Prevenção do Suicídio. Brasília: Ministério da Saúde. 2006. Disponível em: http://bvsms. saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt1876_14_08_2006.html. Acesso em: 15 maio 2021.

BRASIL. Marco legal: saúde, um direito de adolescentes. Brasília: Ministério da Saúde, 2007. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/07_0400_M.pdf. Acesso em: 15 maio 2021.

BRASIL. Portaria 1.271, de 06 de junho de 2014. Define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território nacional, nos termos do anexo, e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde. 2014. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt1271_06_06_2014.html. Acesso em: 15 maio 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Suicidio: saber, agir, prevenir. Boletim Epidemiológico, v. 48, n. 30, 2017. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/setembro/21/2017-025-Perfil-epidemiologico-das-tentativas-e-obitos-por-suicidio-no-Brasil-e-a-rede-de-atencao-a-saude.pdf. Acesso em: 21 jul. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Suicídio: tentativas e óbitos por intoxicação exógena no Brasil, 2007 a 2016. Boletim Epidemiológico, v. 50, n. 15, 2019a. Disponível em: https://antigo.saude.gov.br/images/pdf/2019/julho/17/2019-014-Publicacao-02-07.pdf. Acesso em: 21 jul. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.819, de 26 de abril de 2019. Institui a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, a ser implementada pela União, em cooperação com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios. Brasília: Diário Oficial da União, 2019b. Disponível em: https://www.in.gov.br/web/dou/-/lei-n%C2%BA-13.819-de-26-de-abril-de-2019-85673796. Acesso em: 21 jul. 2021.

CARVALHO, A. (Org.). Plano Nacional de Prevenção do Suicídio 2013/2017. Lisboa: Ministério da Saúde de Portugal, 2012. Disponível em: https://www.dgs.pt/...e.../plano-nacional-de-prevencao-do-suicido-20132017-pdf.aspx. Acesso em: 9 maio 2021.

LOVISI, G. M. et al. Análise epidemiológica do suicídio no Brasil entre 1980 e 2006. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 31, supl. II, p. 86-93, out. 2009.

MACHADO, D. B.; SANTOS, D. N. Suicídio no Brasil, de 2000 a 2012. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 64, n. 1, p.45-54, jan./mar. 2015.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 7ª Edição. São Paulo: Atlas, 2010.

MONTEIRO, P. A. A.; CARVALHO JUNIOR, P. M. Características epidemiológicas dos atendimentos de intoxicações humanas no CEATOX-79 (Marília – S.P.) em 2004. Revista Brasileira de Toxicologia, São Paulo, v. 20, n. 1/2, p. 39-45, dez. 2007.

MOREIRA, L. C. O.; BASTOS, P. R. H. O. Prevalência e fatores associados à ideação suicida na adolescência: revisão de literatura. Psicologia Escolar e Educacional, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p.445-453, dez. 2015.

NEVES, S. M. Internação e suicídio: protocolo de atenção aos sinais. Curitiba: Secretaria de Estado da Criança e da Juventude, 2010. Disponível em: http://ens.sinase.sdh.gov.br/ens2/images/Biblioteca/Livros_e_Artigos/cadernos_de_socioeducao/CADERNOS%20DE%20SOCIOEDUCA%C3%87%C3%83O.%20Interna%C3%A7%C3%A3o%20e%20suic%C3%ADdio.pdf. Acesso em: 9 maio 2021.

OMS (Organização Mundial da Saúde). Prevenção do suicídio: um manual para profissionais da saúde em atenção primária. Genebra: OMS, 2000. Disponível em:

www.who.int/mental_health/prevention/suicide/en/suicideprev_phc_port.pdf. Acesso em:10 maio 2018. Acesso em: 9 maio 2021.

OMS (Organização Mundial da Saúde). Prevenção do suicídio: um recurso para conselheiros. Genebra, 2006. Disponível em: http://www.who.int/mental_health/media/ counsellors_portuguese.pdf. Acesso em: 10 maio 2021.

PEREIRA, W. K. S.; MACIEL, M. P. G. S.; GUILHERMINO, G. M. S. O adolescente que tenta suicídio: estudo epidemiológico em unidades de referência. Revista de Enfermagem UFPE on line. Recife, v. 11, n. 8, p. 3130-5, ago. 2017.

RIGO, S. C. Parte 1 – Suicídio: uma questão de saúde pública e um desafio para a psicologia clínica: Capítulo III. In: Conselho Federal de Psicologia. Suicídio: e os desafios para a psicologia. Brasília: CFP, p.13-30. 2013. Disponível em: https://site.cfp.org.br/wp-content/uploads/2013/12/Suicidio-FINAL-revisao61.pdf. Acesso em: 10 maio 2021.

ROSKOSZ, F. L. S.; CHAVES, S. K.; SOCZEK, K. L. Suicídio na adolescência e terapia cognitivo-comportamental. Revista Trabalhos De Conclusão De Curso Faculdade Sant'ana, Ponta Grossa, v. 1, p. 1-19, jan./dez. 2016.

SADOCK, B. J; SADOCK, V. A. Compêndio de psiquiatria: ciência do comportamento e psiquiatria clínica. 9. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

SCHLÖSSER, A.; ROSA, G. F. C., MORE, C. L. O. O. Revisão: comportamento suicida ao longo do ciclo vital. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 22, n. 1, p.133-145, abr. 2014.

SEBASTIÃO, M. B. O suicídio na infância e na adolescência: uma revisão bibliográfica. 2012. 74f. Monografia (Pós-Graduação) da Especialização em saúde mental e coletiva. Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2012. Disponível em: http://repositorio.unesc.net/bitstream/1/1251/1/Maribel%20Batista%20Sebasti%C3%A3o.pdf. Acesso em: 20 maio 2021.

SHER, L. Individuals with untreated psychiatric disorders and suicide in the COVID-19 era. Brazilian Journal of Psychiatry, v. 43, n. 3, p. 229-230, may/jun. 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbp/a/qDdSXMgBSxK6wTLtYDJSD6R/?format=pdf&lang=en. Acesso em: 21 jul. 2021.

VALLE, L. E. L. R.; MATTOS, M. J. V. M. Adolescência: as contradições da idade. Revista Psicopedagogica, São Paulo, v. 28, n. 87, p.321-323, nov. 2011.

VARGAS, S. C.; ROMERO, S. M. Automutilação e ideação suicida: um drama da adolescência na atualidade. Brazilian Journal of Health Review, São José dos Pinhais, v. 4, n. 4, p. 14466-14480, jul./ago. 2021.

VIEIRA, K. F. L. Depressão e Suicídio: uma abordagem psicossociológica no contexto acadêmico. 2008. 159f. Dissertação (Mestrado) em Psicologia Social. Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2008. Disponível em: http://www.cchla. ufpb.br/ppgp/images/pdf/dissertacoes/kay_francis_leal_vieira_2008.pdf. Acesso em: 20 maio 2021.

WAISELFISZ, J.J. Mapa da violência 2014. Os jovens do Brasil. Rio de Janeiro: Flacso-Brasil, 2014. Disponível em: http://www.mapadaviolencia.org.br/mapa2014_JovensBrasil_Preliminar.pdf. Acesso em: 20 maio 2021.

WHO (World Health Organization). Suicide worldwide in 2019: global health estimates. Genebra: WHO, 2021a. Disponível em: https://apps.who.int/iris/rest/bitstreams/1350975/retrieve. Acesso em: 21 jul. 2021.

WHO (World Health Organization). Adolescent health. 2021b. Disponível em: https://www.who.int/health-topics/adolescent-health#tab=tab_1. Acesso em: 21 jul. 2021.

Published

2021-08-14

Issue

Section

Original Papers