Investigação e análise de preditores de apresentação tardia em pacientes com Infarto Agudo do Miocárdio: uma revisão de literatura / Investigation and analysis of predictors of late presentation in patients with Acute Myocardial Infarction: a literature review

Authors

  • Renata Corrêa Vasconcellos
  • Bruna Luiza Tavares Hernandes
  • Samuel Marques dos Reis
  • Vitória Soares Silveira Braz
  • Andressa Benhame Fonseca
  • Guilherme Sousa Toledo
  • Karen Wilky Santos Von Rondon

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-002

Keywords:

infarto do miocárdio, fatores de tempo, primeiros socorros, serviços de saúde.

Abstract

Introdução: Em caso de Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), o tempo entre o início dos sintomas e a chegada ao serviço de saúde é um relevante preditor de mortalidade. Essa assertiva é agravada pela apresentação tardia (AT) dos pacientes, visto que o benefício da terapia de reperfusão miocárdica é tempo-dependente. Objetivos: O objetivo deste estudo consiste em investigar e analisar os preditores de AT em pacientes com IAM, bem como os fatores associados a estes. Metodologia: Este estudo constitui uma revisão sistemática entre os anos 2000 e 2020, através das bases de dados - LILACS, MEDLINE, PubMed e SciELO, com os seguintes descritores usados concomitantemente: Myocardial Infarction; Time Factors; First Aid; Health Services. Além disso, foram selecionadas fontes secundárias, totalizando 16 artigos. Discussão: Sexo feminino, não brancos, idade avançada, baixa escolaridade, baixo nível socioeconômico, ausência de seguro de saúde privado, ser solteiro ou viúvo e estar desacompanhado durante a deflagração do IAM foram considerados preditores de AT. Somado a isso, em relação ao histórico de saúde, apresentaram-se tardiamente pacientes com Diabetes Mellitus, IAM sem supradesnivelamento do segmento ST ou manifestação clínica intermitente. Além disso, o desconhecimento sobre sinais e sintomas de IAM foi um preditor de AT, assim como determinados comportamentos praticados com o início do quadro, tais como esperar ou orar pelo desaparecimento dos sintomas e negar o ataque cardíaco. Por outro lado, presença de IAM com supradesnivelamento do segmento ST, doença cardiovascular prévia, insuficiência renal crônica e, principalmente, dor torácica foram fatores protetores. Condições estruturais e demográficas apontadas foram pacientes provenientes de áreas suburbanas, conduzidos ao serviço de saúde por meios próprios (desconsiderando a possibilidade de tratamento pré-hospitalar em ambulância), submetidos a triagem ineficiente, atendidos por não-cardiologistas ou aqueles transferidos para hospital especializado em caso de necessidade. Considerações finais: Diante dos preditores de AT identificados, reforça-se o impacto da apresentação precoce do paciente ao serviço de saúde e evidencia-se a importância da melhoria estrutural da rede hospitalar e da conscientização sobre IAM, sobretudo, à população de alto risco para AT. Essas medidas possuem grande potencial para evitar atrasos e modificar a realidade das altas taxas de morbimortalidade das doenças cardiovasculares.

References

DASARI, Tarun W. et al. Impact of Time of Presentation on Process Performance and Outcomes in ST-Segment–Elevation Myocardial Infarction: A Report From the American Heart Association: Mission Lifeline Program. Circulation: Cardiovascular Quality and Outcomes, v. 7, n. 5, p. 656-663, 2014. Disponível em < doi: https://doi.org/10.1161/CIRCOUTCOMES.113.000740>.

DEVON, Holli A. et al. Time to treatment for acute coronary syndromes: the cost of indecision. The Journal of cardiovascular nursing, v. 25, n. 2, p. 106, 2010. Disponível em .

GOLDBERG, Robert J. et al. Extent of, and factors associated with, delay to hospital presentation in patients with acute coronary disease (the GRACE registry). The American journal of cardiology, v. 89, n. 7, p. 791-796, 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1016/S0002-9149(02)02186-0>.

KOC, Sema; DURNA, Zehra; AKIN, Semiha. Interpretation of symptoms as a cause of delays in patients with acute myocardial infarction, Istanbul, Turkey. EMHJ-Eastern Mediterranean Health Journal, v. 23, n. 4, p. 287-294, 2017. Disponível em: <https://apps.who.int/iris/handle/10665/260386>.

MCDERMOTT, Kelly et al. Factors associated with presenting> 12 hours after symptom onset of acute myocardial infarction among Veteran men. BMC Cardiovascular Disorders, v. 12, n. 1, p. 82, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1186/1471-2261-12-82>.

MULLER, Luis Antônio et al. Delay factors on the administration of thrombolytic therapy in patients diagnosed with acute myocardial infarction in a general hospital. Revista latino-americana de enfermagem, v. 16, n. 1, p. 52-56, 2008. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692008000100009>.

NGUYEN, Hoa L. et al. Age and sex differences in duration of prehospital delay in patients with acute myocardial infarction: a systematic review. Circulation: Cardiovascular Quality and Outcomes, v. 3, n. 1, p. 82-92, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1161/CIRCOUTCOMES.109.884361>.

O'GARA, Patrick T. et al. 2013 ACCF/AHA guideline for the management of ST-elevation myocardial infarction: a report of the American College of Cardiology Foundation/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines. Journal of the American college of cardiology. v. 61, n. 4, p. e78-e140, 2013.

ORNATO, Joseph P. The ST-segment–elevation myocardial infarction chain of survival. 2007. Disponível em: https://doi.org/10.1161/CIRCULATIONAHA.107.710970>.

PERKINS-PORRAS, Linda et al. Pre-hospital delay in patients with acute coronary syndrome: factors associated with patient decision time and home-to-hospital delay. European Journal of Cardiovascular Nursing, v. 8, n. 1, p. 26-33, 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.ejcnurse.2008.05.001>.

PIEGAS, Leopoldo S. et al. III Diretriz sobre tratamento do infarto agudo do miocárdio. Arq Bras Cardiol, v. 83, n. supl 4, p. 9-86, 2004.

QIAN, Lu et al. Factors associated with decision time for patients with ST-segment elevation acute myocardial infarction. Journal of Zhejiang University SCIENCE B, v. 14, n. 8, p. 754-758, 2013. Disponível em: < doi: https://doi.org/10.1631/jzus.BQICC709>.

RODRIGUES, Juliane Araujo et al. Independent predictors of late presentation in patients with st-segment elevation myocardial infarction. Arquivos brasileiros de cardiologia, v. 111, n. 4, p. 587-593, 2018. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0066-782X2018005014102&script=sci_arttext>.

TAKADA, Julio Yoshio et al. Hora da admissão na unidade de emergência e mortalidade hospitalar na síndrome coronária aguda. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, v. 98, n. 2, p. 104-110, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0066-782X2012005000005>.

ZANINI, Roberto et al. Impact of prehospital diagnosis in the management of ST elevation myocardial infarction in the era of primary percutaneous coronary intervention: reduction of treatment delay and mortality. Journal of Cardiovascular Medicine, v. 9, n. 6, p. 570-575, 2008. Disponível em: .

Published

2022-07-01

Issue

Section

Original Papers