Tempo adequado do aleitamento materno pode prevenir doenças crônicas não transmissíveis na idade adulta / Adequate time of breastfeeding can prevent chronic non-communicable diseases in adulthood

Authors

  • Larissa Thaynara Ramos de Melo
  • Aline Cardoso de Paiva
  • Danielle Raquel Gonçalves

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-014

Keywords:

aleitamento materno, alimentação complementar, doenças crônicas, estado nutricional, adultos.

Abstract

Objetivo: relacionar a prática do aleitamento materno (AM) com a presença de doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) e seus fatores de risco em indivíduos adultos. Métodos: tratou-se de um estudo transversal prospectivo, realizado com 29 adultos. Foram coletados dados de peso, altura, circunferência da cintura, dobras cutâneas, do consumo alimentar e amostra de sangue para análise bioquímica. Resultados: encontrou-se uma amostra jovem, com idade de 24,6±5,6 anos, composta em sua maioria por mulheres (79%). A prevalência de doenças crônicas era baixa (3,5%), e o tempo de amamentação e introdução alimentar adequados. O estado nutricional dos participantes era de normalidade, assim como os parâmetros de risco para DCNT. O consumo de macronutrientes estava dentro da faixa recomendada, mas o de calorias totais e o de fibras era baixo, assim como a vitamina A, o magnésio e o potássio, os quais apresentavam consumo inadequado. Além disto, grande parte dos participantes praticavam atividade física regularmente (79%). Conclusão: os achados do presente estudo corroboram que a amamentação e a introdução da alimentação complementar no tempo correto são fatores protetores contra o desenvolvimento de DCNTs na idade adulta, e os hábitos alimentares e de vida saudáveis colaboram com este efeito no longo prazo.

References

ASBAI. Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. O que são alergias? Alergias: saiba como acontecem e conheça as mais comuns; 2017. [citado em 22 de fevereiro de 2017]. Disponível em: https://asbai.org.br/o-que-sao-as-alergias/. Acesso em: 19 de janeiro de 2022.

ASHOR, A. W.; SIERVO, M.; LARA, J.; OGGIONI, C.; AFSHAR, S.; MATHERS, J. C. Effect of vitamin C and vitamin E supplementation on endothelial function: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. The British journal of nutrition. v. 113, n. 8, p. 1182-1194, 2015.

BARKER, D. J. P. Sir Richard Doll Lecture. Developmental origins of chronic disease. Public Health. v. 126, n. 3, p. 185-189, 2012.

BARRIONI, C. M. S.; SANTOS, M. A.; OLIVEIRA, R. L., et al. Correlação entre a renda e a circunferência de cintura em mulheres atendidas no ano de 2018 em uma Clínica Escola de Belo Horizonte-MG. Brazilian Journal of Health Review. v. 4, n. 1, p. 1186-1204, 2021.

BARROSO, W. K. S.; RODRIGUES C. I. S.; BORTOLOTTO, L. A., et al. Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial - 2020. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v. 116, n. 3, p. 516-658, 2021.

BEZERRA, I. D.; FERREIRA, R. M. M.; PEIXOTA, M. C. M., et al. Suplementação combinadas de vitaminas C e E com objetivo de redução do risco de doenças. Research, Society and Development, v. 9, n. 9, p. 1-18, e603996088, 2020.

BISWAS, S.; DAS, R.; BANERJEE, E. R. Role of free radicals in human inflammatory diseases. AIMS Biophysics. v. 4, n. 4, p. 596-614, 2017.

BOCCOLINI, C. S.; DE CARVALHO, M. L.; DE OLIVEIRA, M. I. C.; BOCCOLINI, P. D. M. M. Breastfeeding can prevent hospitalization for pneumonia among children under 1 year old. Jornal de Pediatria. v. 87, n. 5, p. 399-404, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Alimentos Funcionais. Brasília: Ministério da Saúde, 2009. Disponível em:< https://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/220_alimentos_funcionais.html>. Acesso em: 25 de janeiro de 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2ed. Brasília: Ministério da Saúde, 156 p, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primaria à Saúde. Departamento de Promoção da Saúde. Guia alimentar para crianças brasileiras menores de 2 anos. Brasília: Ministério da Saúde, 265 p, 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis. Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas e Agravos não Transmissíveis no Brasil 2021-2030 [recurso eletrônico]. Brasília: Ministério da Saúde, 118 p, 2021.

BREIGEIRON, M. K.; MIRANDA, M. N.; SOUZA, A. O. W.; GERHARDT, L. M.; VALENTE, M. T.; WITKOWSKI, M. C. Associação entre estado nutricional, aleitamento materno exclusivo e tempo de internação hospitalar de crianças. Revista Gaúcha de Enfermagem. v. 36, p. 47–54, 2015.

CARVALHO, L. M. N.; PASSOS, S. G. Os benefícios do aleitamento materno para a saúde da criança: revisão integrativa. Revista Coleta Científica. v. 5, n. 9, p. 70-87, 2021.

CARVALHO, Q. H.; SÁ, A. C. M. G. N.; BERNAL, R. T. I.; MALTA, D. C. Distribuição de indicadores de Doenças Crônicas Não Transmissíveis em mulheres adultas beneficiárias e não beneficiárias do Programa Bolsa Família - Vigitel 2016–2019. Revista Brasileira de Epidemiologia. v. 24, supl. 1, e210011, 2021.

CEMBRANEL, F.; HALLAL, A. L. C.; GONZÁLEZ-CHICA, D. A.; d’ORSI, E. Relação entre consumo alimentar de vitaminas e minerais, índice de massa corporal e circunferência da cintura: um estudo de base populacional com adultos no Sul do Brasil. Cadernos de Saúde Pública. v. 33, n. 12, e00136616, 2017.

DURNIN, J. V. G. A.; WOMERSLEY, J. Body fat assessed from total body density and its estimation from skinfold thickness: measurements on 481 men and women aged from 16 to 72 years. The British Journal of Nutrition. v. 32, n. 1, p. 77-97, 1974.

FALUDI, A. A.; IZAR, M. C. O.; SARAIVA, J. F. K. et al. Diretriz brasileira baseada em evidências sobre prevenção de doenças cardiovasculares em pacientes com diabetes: posicionamento da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Arquivos brasileiros de cardiologia. v. 109, n. 6, supl. 1, p. i–45, 2017.

GELONEZE, B.; TAMBASCIA, M. A. Avaliação laboratorial e diagnóstico da resistência insulínica. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia. v. 50, n. 2, p. 208-215, 2006.

GHAZARYAN, A.; CARLSON, A.; RHONE, A. Y.; ROY, K. Association between the nutritional quality of household at-home food purchases and chronic diseases and risk factors in the United States, 2015. Nutrients. v. 13, n. 9, 2021.

GIESTA, J. M.; ZOCHE, E.; CORRÊA, R. S.; BOSA, V. L. Fatores associados à introdução precoce de alimentos ultraprocessados na alimentação de crianças menores de dois anos. Ciência & Saúde Coletiva. v. 24, n. 7, p. 2387-2397, 2019.

GIMENO, S. G. A.; MONDINI, L.; DE MORAES, S. A.; DE FREITAS, I. C. M. Padrões de consumo de alimentos e fatores associados em adultos de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil: Projeto OBEDIARP. Cadernos de Saúde Pública. v. 27, n. 3, p. 533-545, 2011.

GOTTLIEB, T.; WINTER, C. Estado nutricional de adultos atendidos em Estratégias de Saúde da Família de um município do Vale do Paranhana-RS. Revista da Associação Brasileira de Nutrição. v. 12, n. 1, p. 88-103, 2021.

GRZELAK, T.; WOŹNIAK, U.; CZYZEWSKA, K. The influence of natural feeding on human health: short- and long-term perspectives. Prz Gastroenterol. v. 9, n. 1, p. 4-10, 2014.

HERNÁNDEZ-ALONSO, P.; SALAS-SALVADÓ, J.; RUIZ-CANELA, M. et al. High dietary protein intake is associated with an increased body weight and total death risk. Clinical Nutrition. v. 35, n. 2, p. 496-506, 2016.

HORTA, B. L.; LORET DE MOLA, C.; VICTORA, C. G. Long-term consequences of breastfeeding on cholesterol, obesity, systolic blood pressure and type 2 diabetes: a systematic review and meta-analysis. Acta Paediatrica. v. 104, n. 467, p. 30-37, 2015.

JACOB, M.; BRITO, N. Suplementação de iodo na gravidez: qual a importância? Revista Portuguesa de Saúde Pública. v. 33, n. 1, p. 107-119, 2015.

KOLETZKO, B., BRANDS, B., POSTON, L. AND DEMMELMAIR, H. Early nutrition programming of long-term health. In: Symposium on ‘Metabolic flexibility in animal and human nutrition’. Proceedings of the Nutrition Society. v. 71, n. 3, p. 371-378, 2012.

LI, Y.; GAO, D.; CHEN, L. et al. The association between breastfeeding duration and lipid profile among children and adolescents. Nutrients. v. 13, n. 8, p. 2728, 2021.

LIMA, L. F.; LACERDA, C. K.; ELIAS, M. A. R.; GHETTI, F. F.; LUQUETTI, S. C. P. D.; AGUIAR, A. S. Relação entre medidas antropométricas, escolaridade, renda e índice de qualidade da dieta de mulheres climatéricas. HU Revista. v. 42, n. 4, p. 297-305, 2016.

LIMA, A. P.; ARAÚJO, L. M. P.; OLIVEIRA, A. C.; NACIF, M. Avaliação do perfil nutricional e prevalência de doenças crônicas em pacientes atendidos em uma clínica escola de nutrição do município de São Paulo. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. v. 13, n. 82, p. 898-904, 2019.

LIRA, M. K. A.; CALADO, C. K. M.; BURGOS, M. G. P. A. Estado nutricional de industriários da área metropolitana do Recife e associações com fatores sociodemográficos, estilo de vida e condições de saúde. Revista da Associação Brasileira de Nutrição. v. 12, n. 2, p. 59-70, 2021.

LEE, I. M.; SHIROMA, E. J.; LOBELO, F. et al. Impact of physical inactivity on the world’s major non-communicable diseases. Lancet. v. 380, n. 9838, p. 219-229, 2012.

LOHMAN, T. Anthropometric standardization reference manual. Champaign, IL: Human Kinetics Books, 1988.

MADDU, N. Diseases related to types of free radicals. Antioxidants, p. 1-18, 2019.

MALTA, D. C.; ANDRADE, S. S. C. A.; OLIVEIRA, T. P.; MOURA, L.; PRADO, R. R.; SOUZA, M. F. M. Probabilidade de morte prematura por doenças crônicas não transmissíveis, Brasil e regiões, projeções para 2025. Revista Brasileira de Epidemiologia. v. 22, 2019.

MALTA, D. C.; BERNAL, R. T. I.; LIMA, M. G.; SILVA, A. G.; SZWARCWALD, C. L.; BARROS, M. B. A. Desigualdades socioeconômicas relacionadas às doenças crônicas não transmissíveis e suas limitações: Pesquisa Nacional de Saúde, 2019. Revista Brasileira de Epidemiologia. n. 24, supl. 2, e210011, 2021.

MAMELI, C.; MAZZANTINI, S.; ZUCCOTTI, G. V. Nutrition in the first 1000 days: the origin of childhood obesity. International Journal of Environmental Research and Public Health. v. 13, n. 9, 2016.

MATTHEWS, D. R.; HOSKER, J. P.; RUDENSKI, A. S.; NAYLOR, B. A.; TREACHER, D. F.; TURNER, R. C. Homeostasis model assessment: insulin resistance and beta-cell function from fasting plasma glucose and insulin concentrations in man. Diabetologia. v. 28, n. 7, p. 412-419, 1985.

MELO, S. P. S. C.; CESSE, E. A. P.; LIRA, P. I. C.; RISSIN, A.; CRUZ, R. S. B. L. C.; BATISTA FILHO, M. Doenças crônicas não transmissíveis e fatores associados em adultos numa área urbana de pobreza do nordeste brasileiro. Ciência & Saúde Coletiva. v. 24, n. 8, p. 3159-3168, 2019.

MILLERSHIP, S. J.; VAN DE PETTE, M.; WITHERS, D. J. Genomic imprinting and its effects on postnatal growth and adult metabolism. Cellular and Molecular Life Sciences. v. 76, n. 20, p. 4009-4021, 2019.

MOLINA, P. E.; GARDNER, J. D.; SOUZA-SMITH, F. M.; WHITAKER, A. M. Alcohol abuse: critical pathophysiological processes and contribution to disease burden. Physiology. v. 29, n. 3, p. 203-215, 2014.

NAKAZONE, M. A.; PINHEIRO, A.; BRAILE, M. C. V. B. et al. Prevalência de síndrome metabólica em indivíduos brasileiros pelos critérios de NCEP-ATPIII e IDF. Revista da Associação Médica Brasileira. v. 53, n. 5, p. 407-413, 2007.

OLIVEIRA, C.; BRAUNA, C.; CAMLOFSKI, L., et al. Intervenção nutricional: reeducação alimentar aliada à atividade física em mulheres com síndrome metabólica. RBONE - Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. v. 13, n. 78, p. 267–274, 2019.

PADOVANI, R. M.; AMAYA-FARFÁN, J.; COLUGNATI, F. A. B.; DOMENE, S. M. Á. Dietary reference intakes: aplicabilidade das tabelas em estudos nutricionais. Revista de Nutrição. v. 19, n. 6, p. 741-760, 2006.

POLLOCK, M.L., WILMORE, J.H. Exercícios na saúde e na doença: avaliação e prescrição para prevenção e reabilitação. MEDSI Editora Médica e Científica Ltda., p. 233-362, 1993.

REZENDE, L. F. M.; SÁ, T. H.; MIELKE, G. I.; VISCONDI, J. Y. K.; REY-LÓPEZ, J. P.; GARCIA, L. M. T. All-cause mortality attributable to sitting time: analysis of 54 countries worldwide. American Journal of Preventive Medicine. v. 51, n. 2, p. 253-263, 2016.

RODRIGUES, L. R.; SOUZA, C. T.; SOUZA, D. T.; FERRON, A. J. T.; FRANCISQUETI-FERRON, F. V. Estado nutricional e perfil alimentar dos pacientes atendidos em ambulatório de nutrição. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. v. 13. n. 80. p.561-569, 2019.

SILVA, J. P.; LAMOUNIER, J. A.; CREMASCO, G. N.; SILVA, V. R. Interferências da programação metabólica no desenvolvimento da obesidade e suas comorbidades. Salus J Health Sci. v. 1, n. 1, p. :91-99, 2015.

SILVA, D. I. S.; BARBOSA, A. L. O.; SANTANA, A. L.; SANTOS, R. V. C.; SOUZA, V. C. G. B.; FARIAS, J. V. C.; FARIAS, I. C. C. A importância do aleitamento materno na imunidade do recém-nascido. Research, Society and Development. v. 9, n. 7, p. e664974629, 2020.

SIRI, W.E. Body Composition from Fluid Spaces and Density: Analysis of Methods. In: Brozek, J. and Henschel, A., Eds., Techniques for Measuring Body Compositions, National Academy of Sciences, Washington DC, 233p, 1961.

SKRAJNOWSKA, D.; BOBROWSKA-KORCZAK, B. Role of zinc in immune system and anti-cancer defense mechanisms. Nutrients. v. 11, e2273, 2019.

TABATA, K. I.; PIRONDI, A. C. S.; MORI, A. S. et al. Benefícios do aleitamento materno na redução do número de internações em crianças até dois anos. Brazilian Journal of Development. v. 5, n. 11, p. 27995-28010, 2019.

UFRJ. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Aleitamento materno: Prevalência e práticas de aleitamento materno em crianças brasileiras menores de 2 anos 4: ENANI 2019. Rio de Janeiro, RJ: UFRJ, 2021. (108 p.). Disponível em: https://enani.nutricao.ufrj.br/index.php/relatorios/. Acesso em: 12 de maio de 2022.

VERDUCI, E.; BANDERALI, G.; BARBERI, S. et al. Epigenetic effects of human breast milk. Nutrients. v. 6, n. 4, p. 1711-1724, 2014.

WANG, C. A.; ATTIA, J. R.; LYE, S. J. et al. The interactions between genetics and early childhood nutrition influence adult cardiometabolic risk factors. Scientific Reports. v. 11, n. 1, p. e 14826, 2021.

WHO. World Health Organization. Physical status: the use and interpretation of anthropometry. Report of a WHO Expert Committee. WHO Technical Report Series 854. Geneva: World Health Organization, 1995.

WHO. World Health Organization‎. Indicators for assessing infant and young child feeding practices: part 1: definitions: conclusions of a consensus meeting held 6-8 November 2007 in Washington D.C., USA. World Health Organization, 2008. Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/43895. Acesso em: 2 de fevereiro de 2022.

WHO. World Health Organization. Global status report on alcohol and health 2018. Geneva: World Health Organization; 2018. Licence: CC BY-NC-SA 3.0 IGO. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/274603/9789241565639-eng.pdf?ua=1. Acesso em: 24 de janeiro de 2022.

ZALEWSKI, B. M.; PATRO, B.; VELDHORST, M. et al. Nutrition of infants and young children (one to three years) and its effect on later health: A systematic review of current recommendations (EarlyNutrition project). Critical Reviews in Food Science and Nutrition. v. 57, n. 3, p. 489-500, 2017.

Published

2022-07-04

Issue

Section

Original Papers