Sistematização da assistência da enfermagem na unidade de terapia intensiva neonatal visando práticas humanizadas / Systematization of nursing assistance in the neonatal intensive care unit aiming humanized practices

Authors

  • Vanessa Murarolli Moreira
  • Yago Henrique de Oliveira
  • Micheli Patrícia de Fátima Magri

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-026

Keywords:

sistematização da assistência de enfermagem, cuidados de enfermagem, unidade de terapia intensiva neonatal, humanização, recém-nascido.

Abstract

A Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) é uma ala hospitalar provida de recursos materiais e humanos, especializados e com alta tecnologias, que tem por finalidade assegurar o suporte vital completo e por tempo integral ao Recém-nascido (RN), garantindo as condições essenciais e vitais para sua sobrevivência e desenvolvimento. Objetivou-se com esse estudo desenvolver uma Sistematização da assistência de enfermagem (SAE) voltada ao cuidado do RN na UTIN, além de descrever as práticas de cuidado humanizadas envolvendo a equipe. Neste estudo, a metodologia aplicada consistiu de uma revisão de literatura 30 artigos científicos com as bases do Scientific Eletronic Library Online (SCIELO) e 05 na Biblioteca Virtual de Saúde do Ministério da Saúde (BVS-MS). Após foi elaborado uma SAE para ser aplicada na UTIN, considerando práticas humanizadas. E discutido sobre a assistência da enfermagem, fatores que dificultam a assistência humanizada na UTIN e Sistematização da Assistência da Enfermagem na UTIN. Conclui-se que o enfermeiro é um profissional que dispõe das habilidades e competências necessárias para a atuação na UTIN, onde tem o papel de avaliar as necessidades assistenciais do neonato e sua família para realizar uma prescrição embasada na técnica humanizada permeada de carinho e sensibilidade.

References

BATISTA, C. D. M. et al. Diagnósticos e cuidados de enfermagem ao recém-nascido prematuro em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 35, p. e1593, 1 nov. 2019. DOI: https://doi.org/10.25248/reas.e1593.2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Humaniza SUS. Caderno de Textos. Cartilhas da Poítica Nacional de Humanização. 2011a.

BRASIL. Portaria nº 1.459, de 24 de Junho de 2011. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - a Rede Cegonha. 2011. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt1459_24_06_2011.html> Acesso em: 05 ago 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Evolução da mortalidade na infância nos últimos 10 anos (2007 a 2016). Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: <https://antigo.saude.gov.br/images/pdf/2018/setembro/13/Oficina-mortalidade-materna-e-infantil-CIT-MESA-Ana-Nogales.pdf> Acesso em: 11 jun 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde Brasil 2019: uma análise da situação de saúde com enfoque nas doenças imunopreveníveis e na imunização. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis – Brasília: Ministério da Saúde, 2019. 520 p. : il.

COELHO, A. S. et al. Equipe de Enfermagem e a assistência humanizada na UTI neonatal. Rev Ciência & Saberes - série científica, v.4, n.1, Jan-Mar 2018; p.873-877.Disponível em:< http://www.facema.edu.br/ojs/index.php/ReOnFacema/article/view/381>

Acesso em: 22 mar 2021.

COSTA, R. et al. Interdisciplinaridade na atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso em um centro de referência nacional do método canguru. HOLOS, Ano 31, v. 3. 2015. Disponível em:< https://www.redalyc.org/pdf/4815/481547178033.pdf> Acesso em: 28 mar 2021.

CRUZ, C. T. et al. Avaliação da dor de recém-nascidos durante procedimentos invasivos em terapia intensiva. Rev Dor. São Paulo, v.17, n. 3, p.197-200, jul-set 2016. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rdor/a/cWpHWvCPCcjBXLkfcvZWGvg/?lang=pt> Acesso em: 01 jun 2021.

FIALHO, F. A. et al. Tecnologias aplicadas pela enfermagem no cuidado neonatal. Revista Baiana de Enfermagem, Salvador, v. 29, n. 1, p. 23-32, jan./mar. 2015. Disponível em: < https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/41055/2/ve_Flavia_Fialho_etal.pdf> Acesso em: 16 mar 2021.

GIRARDON-PERLINI; N. M. et al. Percepções e sentimentos da família na interação com a equipe de enfermagem na UTI neonatal. Cienc Cuid Saude, v. 11, n.1, jan-mar 2012. Disponível em: <https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/18855/pdf> Acesso em: 17 Mar 2021.

JESUS, L. C. A Humanização do cuidado na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal pelos Profissionais de Enfermagem. Rev. Eletrôn. Atualiza Saúde. Salvador, v. 5, n. 5, p. 62-72, jan./jun. 2017. Disponível em: < http://atualizarevista.com.br/article/humanizacao-do-cuidado-na-unidade-de-terapia-intensiva-neonatal-pelos-profissionais-de-enfermagem/> Acesso em: 05 abr 2021.

KLOCK, P.; ERDMANN, A. L. Cuidando do recém-nascido em UTIN: convivendo com a fragilidade do viver/sobreviver à luz da complexidade. Rev Esc Enferm USP, v. 46, n,1, p- 45-51, 2012. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/reeusp/a/8FnKXJSryCWgrdGRRgVSjRy/abstract/?lang=pt> Acesso em: 04 abr 2021.

KLOCK, P. et al. Melhores práticas na gerência do cuidado de enfermagem neonatal. Texto Contexto Enfermagem, V. 28, 2019. ISSN 1980-265X. https://doi.org/10.1590/1980-265X-TCE-2017-0157.

LINS, R. N. P. et al. Percepção da Equipe de Enfermagem acerca da Humanização do Cuidado na UTI Neonatal. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, v.17, n. 3, 2013, p. 225-232. Disponível em: <https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rbcs/article/view/14021> Acesso em: 28 mar 2021.

MARTINS, C. F. et al. Unidade de Terapia Intensiva Neonatal: o papel da enfermagem na construção de um ambiente terapêutico. Rev. Enfermagem Centro Oeste Mineiro, v. 1, n.2, p. 268-276, abr/jun 2011. Disponível em: <http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/44> Acesso em: 26 jun 2021.

MIRANDA, E. C. S. et al. Situação dos leitos neonatais em maternidades brasileiras: uma análise exploratória. Ciência & Saúde Coletiva, v. 26, n. 3, p. 909-918, 2021. Disponível em: < https://scielosp.org/article/csc/2021.v26n3/909-918/pt/> Acesso em: 05 abr 2021.

MOURA, L. N. et al. Percepções Familiares Sobre a Visibilidade do Enfermeiro Atuante em Unidade Intensiva Neonatal e Pediátrica. Revista Contexto & Saúde, v. 18, n. 35, jul./dez. 2018. DOI: https://doi.org/10.21527/2176-7114.2018.35.104-110

MOREIRA, R. A. N. et al. Sistematização da assistência de enfermagem em Unidade Neonatal. Cogitare Enferm, v. 17, n. 4, p. 710-716, out/dez, 2012. Disponível em: <https://pdfs.semanticscholar.org/43f2/70e1a6e4224c612c3ec14b8215df1387f405.pdf> Acesso e: 24 jul 2021.

NAIDON, M. et al. Gestação, parto, nascimento e internação de recém-nascidos em terapia intensiva neonatal: relatos de mães. Texto Contexto Enferm, v.27, n.2, 2018. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/tce/a/rzz6T4SY7B73g45Nwqyxt7B/?lang=pt> Acesso em: 17 mar 2021.

NEVES, R. S.; ZIMMERMANN, J.; BROERING, C. V. UTI Neonatal: o que dizem as mães. Rev. Psicol Saúde e Debate, v.7, n.1, p. 187-214, Abr., 2021. DOI: 10.22289/2446-922X.V7N1A14

NODA, L. M. et al. A humanização em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal sob a ótica dos pais. Rev Min Enferm., v.22, 2018. Disponível em: <http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1216> Acesso em: 05 abr 2021.

PRAZERES, L. E. N. et al. Atuação do enfermeiro nos cuidados em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal: Revisão integrativa da literatura. Research, Society and Development, v. 10, n. 6, 2021. Disponível em: < https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14588/13802> Acesso em: 24 jul 2021.

PORTO, E. S.; FRANÇA, F. M.; FERRARI, R. A implementação da sistematização da assistência de enfermagem na UTI - Neonatal do Hospital Regional de Cáceres-MT. Revista Eletronica Gestão & Saúde, v. 4, n.1, 2012. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/317404253_A_implementacao_da_sistematizacao_da_assistencia_de_enfermagem_na_UTI_-_Neonatal_do_Hospital_Regional_de_Caceres-MT> Acesso em: 25 jul 2021.

ROCHA, M. C. P. et al. Assistência humanizada na terapia intensiva neonatal: ações e limitações do enfermeiro. Saúde em Revista, v.15, n.40, 2015. Disponível em: < https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/sr/article/view/2534> Acesso em: 28 jun 2021.

ROCHA, L. A.; MARTINS, C. D. Ruídos ambientais na UTI neonatal: considerações da equipe de enfermagem. Revista Brasileira de Ciências da Vida, v. 5, n. 4, 2017. Disponível em: <http://jornalold.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/143> Acesso em: 17 Mar 2021.

SILVA, A. C. L.; SANTOS, G. N.; AOYAMA, E. A. A importância da assistência de enfermagem na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. ReBIS - Revista Brasileira Interdisciplinar de Saúde, v.2, n.1, 2020, p. 49-54. Disponível em: <https://revistarebis.rebis.com.br/index.php/rebis/article/view/69/63> Acesso em: 16 mar 2021.

SILVA, S. R. P. et al. Assistência de enfermagem na UTI neonatal: Dificuldades enfrentadas pelos enfermeiros e prejuízos causados aos recém-nascidos. Brazilian Journal Health Review., Curitiba, v. 3, n. 4, jul.-aug. 2020, p. 9464-9473. Disponível em: <https://www.brazilianjournals.com› Acesso em: 16 Mar 2021.

SOUZA, K. M. O.; FERREIRA, S. D. Assistência humanizada em UTI neonatal: os sentidos e as limitações identificadas pelos profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v.15, n. 2, p. 471-480, 2010. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/csc/a/8VsT64JyztNqythw5hNvfwK/abstract/?lang=pt>

Published

2022-07-05

Issue

Section

Original Papers