Problemas respiratórios em agricultores na UBS de Natuba município de Vitória de Santo Antão - PE / Respiratory problems in farmers at the Natuba UBS in Vitória de Santo Antão - PE

Authors

  • Glayce Kelly Santos Silva
  • Maria da Conceição Cavalcanti de Lira de Lira
  • Alessandra Oliveira Santiago
  • Beatriz Michaelle Cavalcanti dos Santos
  • Jabes dos Santos Silva
  • Jordy Alisson Barros dos Santos
  • Sidiane Barros da Silva
  • Silvia Maria Luna Alves

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-031

Keywords:

agroquímicos, doenças respiratórias, unidade básica de saúde.

Abstract

Os problemas respiratórios apresentam índices elevados em causa de morbidades na distribuição das doenças no Brasil. Fatores biológicos, demográficos, socioeconômicos, políticos e culturais compõem os fatores de risco para desenvolvimento das doenças respiratórias. A longa jornada de trabalho, a exposição direta com poluentes ambientais é determinante para o aumento da prevalência de problemas respiratórios. A pesquisa buscou analisar exposição de agricultores a poluentes ambientais que contribuem para doenças respiratórias. Trata-se de um estudo retrospectivo exploratório, quantitativo, com o objetivo de avaliar os casos de doenças respiratórias na Unidade Básica de Saúde (UBS) no Município de Vitória de Santo Antão-PE. A pesquisa foi conduzida de acordo com a Resolução do Conselho Nacional de Saúde - CNS Nº466/12, que trata da ética em pesquisa com seres humanos, e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Otávio de Freitas da Secretaria Estadual de Saúde/SES por meio do CAAE: 37093114.8.0000.5200, n° do parecer: 821.552. Os dados foram coletados dos prontuários dos pacientes cadastrados na UBS. Observou-se que havia 84 agricultores cadastrados, em que 67 apresentavam alguma patologia, destes, 38 (45,23 %) apresentavam doenças respiratórias em tratamento, 3 (3,57%) câncer pulmonar, 11 (13.09%) sintomas respiratórios sem tratamento, 6 (7,14%) apresentavam sintomas parasitários, 5 (5,95%) dermatológicos, 2 (2,38%) neurológico e 2 (2,38%) oftalmológico. A prevalência de doenças respiratórias em tratamento, é um indicador quali-quantitativo para planejamento das ações a serem realizadas na USB, melhorando a saúde de moradores de região agrícola, observa-se a necessidade de investigar outras patologias associadas a atividade laboral.

References

BAGATIN, B. Doenças das vias aéreas superiores. J.BrasPneumol. 2006; 32(Supl1):S17-S26.

BARROSO, L.B. Riscos e segurança do aplicador de agrotóxicos no rio grande do sul. Disc. Scientia. Série: Ciências Naturais e Tecnológicas, S. Maria, v. 10, n. 1, p. 27-52, 2009.

BOHNER, T.O.L. O impacto ambiental do uso de agrotóxicos no meio ambiente e na saúde dos trabalhadores rurais. Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM.

FARIA, N.M.X. FACCHINI, L.A. FASSA, A.G. TOMASI, E. Trabalho rural, exposição a poeira e sintomas respiratórios entre agricultores.Rev.Saúde Pública 2006; 40(5): 827-36.

FREITAS C., BREMNER S.A., GOVEIA N., PEREIRA L.A.A., SALDIVA P.H.N. Internações e óbitos e sua relação com a poluição atmosférica em São Paulo, 1993 a 1997. Rev. Saúde Pública. 2004; 38 (6): 751-7. DOI: 10.1590/ S0034-89102004000600001.

FREITAS, C.M. Trabalho, saúde e meio ambiente na agricultura. Rev. Bras. Saúde ocup., São Paulo, 37 (125): 12-16, 2012.

GREGOLIS, T.B.L. Percepção de riscos do uso de agrotóxicos por trabalhadores da agricultura familiar do município de Rio Branco, AC. Rev. bras. Saúde ocup., São Paulo, 37 (125): 99-113, 2012.

HOPPIN J.A., UMBACH D.N., LONDON S.J., ALAVANJA M.C., SANDLER D.P. Chemical predictors of wheeze among farmer pesticide applicators in the Agricultural Health Study. Am J RespirCrit Care Med. 2002; 165:683-9.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2017.

MOTA F.F., VIEIRA-DA-SILVA L.M., PAIM J.S., COSTA M.C.N. Distribuição espacial da mortalidade por tuberculose em Salvador, Bahia, Brasil. Cad. Saúde Pública 2003; 19:915-22.

OMS. Organização mundial de Saúde. Brasília, DF, Brasil.[Acesso em: 22 out. 2017].

SANTANA, C.M. COSTA, A.R. Exposição ocupacional de trabalhadores rurais a agrotóxicos.Cad. Saúde Colet., 2016, Rio de Janeiro.

VIEGAS, C.A.A. Agravos respiratórios decorrentes da atividade agrícola. Jornal de Pneumologia - vol.26 n°.2 São Paulo Mar./Apr. 2000.

Published

2022-07-06

Issue

Section

Original Papers