A atuação da assistência de enfermagem à saúde indígena e a correlação da prevalência da Tuberculose / The performance of nursing assistance to indigenous health and the correlation of the prevalence of Tuberculosis

Authors

  • Amanda Vasconcelos de Andrade Lima
  • Clara Beatriz dos Santos
  • Lays Gabrielle Gonçalo Araújo
  • Luiza Beatriz de França Silva
  • Maria Alice Neves de Arruda Pereira
  • Mikaely Cássia Alves Santos
  • Sabrina Kelly Alves Marinho
  • Evellyne Augusto Melo
  • Eduarda Augusto Melo
  • Vanessa Juvino de Sousa

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-040

Keywords:

saúde de populações indígenas, enfermagem, Tuberculose.

Abstract

Introdução: A atuação da assistência de enfermagem no contexto da saúde indígena merece atenção, devido a sua importância como sendo a maior força de trabalho nas Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) que atuam nos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). A partir disso, as condições que levam ao agravo de saúde dos povos indígenas para a tuberculose (TB) merecem enfoque para uma melhor estruturação do processo de enfermagem. Objetivo: Refletir o cenário da condição de assistência básica de enfermagem à saúde indígena e seus desdobramentos com a afecção da tuberculose, enfatizando a importância do rastreio da TB para a erradicação dessa endemia. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, utilizando artigos científicos com os Descritores em Ciências da Saúde: Saúde de populações indígenas e Enfermagem, e  Saúde de populações indígenas e Tuberculose, com conector booleano AND. Realizada por uma busca ativa de artigos científicos no Bireme. Foram incluídos: artigos das bases de dados LILACS e BDENF, após a triagem do texto completo, de 2017 a 2022, resultou em artigos que após a leitura do título e identificação com o tema foram selecionados artigos para compor essa revisão. Resultados e discussão: Após usar os critérios de inclusão deste estudo, foram selecionados 8 artigos. Evidenciou-se fortemente o papel decisivo do enfermeiro para a continuidade dos cuidados à saúde indígena, visto que é a classe profissional que tem o maior contato com os pacientes. Diante disso, a preparação profissional requer enfoque na graduação e depois com atualizações oferecidas pela educação permanente para a prática profissional, visto que o processo de aprendizado é contínuo e os profissionais de saúde devem estar em constante atualização. Considerações finais: O cenário da condição de assistência básica de enfermagem à saúde indígena é apanhado de obstáculos, entre eles a localização, falta de estrutura, de recursos, barreira linguística, precariedade de saneamento e outras condições.

References

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo demográfico 2010: características gerais dos indígenas: resultados do universo. Rio de Janeiro (RJ): IBGE; 2010.

Brasil. Fundação Nacional de Saúde. Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas. - 2ª edição - Brasília: Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde, 2002.

Brasil. Saúde indígena: análise da situação de saúde no SasiSUS. - 1º edição - Brasília: Ministério da Saúde, 2019.

Brasil. Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil. - 1º edição - Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

Brasil. Boletim Epidemiológico de Tuberculose. 1º edição - Brasília: Ministério da Saúde, [Internet]. 2022.

Brasil. Política Nacional de Atenção Básica. 1º edição – Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

Martins JC. O trabalho do enfermeiro na Saúde Indígena: desenvolvendo competências para a atuação no contexto intercultural [dissertação]. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo; 2017.

Barbosa TP, Oliveira GAA, Lopes MNA, Beccaria LM. Care practices for patient safety in an intensive care unit. Acta Paul Enferm. 2014 Mai 27(3):243-248.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008 Out-Dez; 17(4): 758-764.

Melnyk BM, Fineoct-Overholt E. Evidence-based practice in nursing and healthcare: a guide to best practice. Philadelphia, 2nd edition. 2005.

Ribeiro AA, et al. The work process and care production in a Brazilian indigenous health service. Esc. Anna Nery Rev. Enferm,. 2017 21(4).

Maia AS, et al. Os desafios da enfermagem na atenção integral à saúde dos povos indígenas. Enfermagem em Foco. 2021 Ago 2(2).

Ferreira TF, et al. Tendência da tuberculose em indígenas no Brasil no período de 2011-2017. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro. 2020 Out 25(10): 3745-3752.

Melo JS, Freitas NO, Apostolico MR. The work of a Brazilian nursing team of collective health in the special indigenous health district. Rev Bras Enferm. 2021;74(2).

Paiva BL, et al. Modelo preditivo de determinantes socioeconômicos da tuberculose em população indígena do estado do Pará, Brasil. Cogitare enferm. Curitiba, 2019, 24.

Malacarne J, et al. Acesso aos serviços de saúde para o diagnóstico e tratamento da tuberculose entre povos indígenas do estado de Rondônia, Amazônia Brasileira, entre 2009 e 2011: um estudo transversal. Epidemiologia e Serviços de Saúde online. 2019 Set 28(3).

Martins JCL, Martins CL, Oliveira LSS. Attitudes, knowledge and skills of nurses in the Xingu Indigenous Park. Rev Bras Enferm., Brasília, 2020 Set 73(6).

Rocha ESC, et al. Atributos da Atenção Primária à Saúde no contexto da saúde indígena. Rev. Bras. Enferm. 2020 Jul 73(5)

Ministério da Saúde. Manual de Recomendações para o Controle da Tuberculose no Brasil [Internet]. 2021. Disponível em: https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/wp-content/uploads/2021/04/manual_recomendacoes_controle_tuberculose_brasil_2_ed.pdf

Published

2022-07-11

Issue

Section

Original Papers