Adesão à profilaxia pós-exposição utilizada para HIV: uma revisão integrativa / Post-exposure prophylaxis used for HIV adherence: an integrative review

Authors

  • Gabriela da Silva Pelegrino
  • Jéssica Maria Vioto
  • Leandra Ernst Kerche

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-052

Keywords:

HIV, profilaxia pós-exposição, tratamento, adesão.

Abstract

INTRODUÇÃO: Entre 2010 e 2018 o Brasil apresentou um percurso na contramão de outros países em relação ao número de novas infecções por HIV. Registrou também mais 200.000 novos diagnósticos nos últimos 6 anos. A Profilaxia Pós-Exposição de Risco à Infecção pelo HIV foi então criada no intuito de reduzir os casos de contaminação pelo vírus, porém a aderência ao tratamento pode ser comprometida por interferência de alguns fatores que devem ser melhor investigados, a fim de garantir a efetividade dessa estratégia profilática. OBJETIVO: Identificar os fatores que interferem diretamente na adesão ao tratamento com a profilaxia pós exposição para HIV em produções científicas. METODOLOGIA: O estudo é uma revisão integrativa, que responderá à pergunta norteadora “Quais são os fatores que influenciam diretamente na adesão ao tratamento com a profilaxia pós exposição para HIV?”. A busca de bibliografias foi feita nas bases de dados SCOPUS (Elsevier), MEDLINE/PubMed (via National Library of Medicine) e EMBASE (Elsevier), por meio do acesso remoto via CAFe (Comunidade Acadêmica Federada). RESULTADOS: Os fatores que interferem diretamente na adesão ao tratamento com a profilaxia pós-exposição para HIV podem ser divididos em: falta de conhecimento, preconceito e sofrimento emocional, como o medo, a vergonha e ansiedade. CONCLUSÃO: observou-se que o atendimento psicológico é a chave para o sucesso, e além de possuir pontos positivos em relação ao bem-estar emocional, também ajuda positivamente na permanência do atendimento e consequentemente no modo como a pessoa adere ao tratamento.

References

AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DA AIDS. Dados da ONU: Brasil na contramão do mundo, Brasil tem aumento de 21% de casos novos de AIDS em 8 anos. São Paulo, 2020. Disponível em: https://agenciaaids.com.br/noticia/dados-da-onu-na-contramao-do-mundo-brasil-tem- aumento-de-21-de-novos-casos-de-sids-em-8-anos/

ALMEIDA, M. C. M.; BRITO, E. W. G. Implantação da rede de profilaxia pós-exposição (PEP) no Estado de Minas Gerais. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância. Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais. Brasília, 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para profilaxia pós-exposição (PEP) de risco à infecção pelo HIV, IST e hepatites virais. Brasília, 2021.

CARNEIRO, M. B. G.; ELIAS, D. B. D. Análise da profilaxia pós-exposição ao HIV em um hospital de doenças infeciosas em Fortaleza, CE. Revista Brasileira de Análises Clínicas, v. 50, 2018. Disponível em: http://www.rbac.org.br/artigos/analise-da-profilaxia-pos-exposicao-ao-hiv-em-um-hospital-de-doencas-infecciosas-em-fortaleza-ce/

DATASUS. Casos de AIDS desde 1980. Brasília, 2020. Disponível em: http://datasus.saude.gov.br/acesso-a-informacao/casos-de-aids-desde-1980- sinan/

FERRAZ, D.; COUTO, M. T.; ZUCCHI, E. M.; et al. AIDS- and sexuality-related stigmas underlying the use of post-exposure prophylaxis for HIV in Brazil: Findings from a multicentric study. Sexual and Reproductive Health Matters, v. 27, 2019. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/26410397.2019.1650587

KASPER, D.; FAUCI, A. Doenças Infecciosas de Harrison. 18ª ed. São Paulo: AMGH, 2015.

KAUSS, B.; LEAL, A. F.; GRANGEIRO, A.; COUTO, M. T. Reincidentes no atendimento, mas sem direito à prevenção: Uma análise da oferta de profilaxia sexual pós-exposição ao HIV em Porto Alegre, Brasil. Saúde Coletiva, v. 16, 2020. Disponível em: http://revistas.unla.edu.ar/saludcolectiva/article/view/2463

LESHIN, D.; OLSHTAIN-POPS, K.; MOSES, A.; ELINAV, H. Limited awareness of the effective timing of HIV post-exposure prophylaxis among people with high-risk exposure to HIV. European Journal of Clinical Microbiology & Infectious Diseases, v. 3, 2019. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s10096-019-03476-4

NASCIMENTO, M. M. P. Uso da profilaxia pós-exposição sexual ao HIV entre mulheres. Dissertação de Mestrado, Universidade Católica de Santos, 2016.

NISIDA, I. V. V.; Boulos, M.-I. C.; Silva, L. M. B., et al. Predictors of adherence to HIV post-exposure prophylaxis and retention in care after an episode of sexual violence in Brazil. AIDS Patient Care and STDs, v. 33, 2019. Disponível em: https://www.liebertpub.com/doi/10.1089/apc.2019.0080?url_ver=Z39.88-2003&rfr_id=ori%3Arid%3Acrossref.org&rfr_dat=cr_pub++0pubmed

O`CONNEL, K. A.; KISTENEFF, A. V.; GILL, S. S.; et al. HIV post-exposure prophylaxis in the emergency department: An updated assessment and opportunities for HIV prevention identified. The American Journal of Emergency Medicine, v. 46, 2021. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0735675720308883?via%3Dihub

PEREIRA, I. O.; PASCOM, A. R. P.; MOSIMANN, G.; et al. Post-exposure prophylaxis following consented sexual exposure: Impact of national recommendations on user profile, drug regimens and estimates of averted HIV infections. HIV Medicine, v. 21, n. 4, 2020. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/hiv.12825

SALOMÃO, R. Infectologia: Bases Clínicas e Tratamento. 1ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017.

SHUBBER, Z.; FORD, N. Adherence to HIV post-exposure prophylaxis for children/adolescents who have been sexually assaulted: A systematic review of barriers, enablers, and interventions. Child abuse & Neglect, v. 116, 2021. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0145213419303205?via%3Dihub

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão Integrativa: O que é e como fazer. Einstein, v. 8, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s1679-45082010rw1134

Published

2022-07-13

Issue

Section

Original Papers