Assistência humanizada pelo enfermeiro no processo parturitivo: uma revisão narrativa da literatura / Humanized care by nurses in the parturition process: a narrative review of the literature

Authors

  • Carolina Fernandes Souza
  • Iuri Henrique da Silva Monteiro
  • Larissa Caroline Alves Resende Costa
  • Larissa Soares Lopes

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-075

Keywords:

enfermagem, humanização da assistência ao parto, enfermagem materno-infantil, humanização da assistência, enfermagem obstétrica, humanização do parto.

Abstract

INTRODUÇÃO: O trabalho de parto e parto assim como muitos outros procedimentos em saúde, vem passando por transformações ao decorrer dos anos com intuito de melhorar a experiência para a mulher, e diminuir os riscos para ela e o bebê. OBJETIVO: Identificar as ações de enfermagem na assistência humanizada à mulher durante pré-parto, parto e puerpério imediato. METODOLOGIA: Estudo de revisão narrativa, do tipo descritiva realizada no ano de 2022. A coleta de dados foi realizada através das fontes de dados BVS – Biblioteca Virtual em Saúde e SciELO – Scientific Electronic Library Online. RESULTADO: A amostra final foi de 7 artigos. Alguns artigos deste estudo destacaram a importância da humanização do enfermeiro durante o trabalho de parto e sua importância para uma assistência ideal, por outro lado outros artigos relatam que as violências obstétricas ainda existem e enfatizam que o enfermeiro precisa ser capacitado e estar sempre atualizado para prestar a assistência humanizada. CONCLUSÃO: Conclui-se que a humanização do enfermeiro no trabalho de parto contribui para uma melhor experiência para a gestante, filho e acompanhante, porém ainda existem muitas falhas na humanização assim como violências obstétricas, por isso é totalmente necessária a capacitação da equipe.

References

ADORNO, A. M. N. G. et al. Gestão hospitalar como ferramenta do cuidado. Rev enferm UFPE on line., Recife, 11(8):3143-50, ago, 2017. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/r evistas/revistaenfermagem/article/view/110220/22135#>. Acesso em: 16/05/2022.

ALEXANDRIA, S. T. de et al. Violência obstétrica na perspectiva dos profissionais de enfermagem envolvidos na assistência ao parto. Juazeiro do Norte, Cult. cuid; 119-128, 2019. Disponível em: <https://rua.ua.es/dspace/bitstream/10045/91758/1/CultCuid_53-119-128.pdf> . Acesso em: 30/04/2022.

ANDRADE, L. F. B. de; RODRIGUES, Q. P; SILVA, R. de C. V. da. Boas Práticas na atenção obstétrica e sua interface com a humanização da assistência. Rev enferm UERJ, Rio de Janeiro, 2017; n. 2. p. 5-6. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfer magemuerj/article/view/26442/25893>. Acesso em: 31/10/21.

BOMFIM, A. N. A. et al. Percepções de mulheres sobre a assistência de enfermagem durante o parto normal. Rev. baiana enferm., Salvador, v. 35, e39087, 2021. Disponível em: <http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2178-86502021000100316&l ng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 01/05/2022.

BONFADA M. S; PINNO C; CAMPONOGARA S. Potencialidades e limites da autonomia do enfermeiro em ambiente hospitalar. Rev enferm UFPE on line., Recife, 12(8):2235-46, ago., 2018. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/234 915/29743>. Acesso em: 17/05/2022.

BRASIL. PNH: Política nacional de humanização. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 16 p. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_humanizacao_ pnh_folheto.pdf>. Acesso em: 10/10/2021.

BRITO, A. R. et al., A percepção das gestantes sobre o parto humanizado e violência obstétrica: relato de experiência. Research, Society And Development, Pará, v. 8, n. 7, p. 1-11, 16 jun. 2020. Disponível em: <https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/5086/4423>. Acesso em: 08/10/2021.

COELHO, K. C; ROCHA, I. M. da S; LIMA, A. L. da S. Métodos não farmacológicos para alivio da dor durante trabalho de parto. Revista Recien, São Paulo, v. 7, n. 21, p. 14-21. 2017. Disponível em: <https://www.recien.com.br/index.php/ Recien/article/vie w/244/pdf>. Acesso em: 09/05/2022.

FERREIRA JUNIOR, A. R. et. al. Potencialidades e limitações da atuação do enfermeiro no Centro Parto Normal. Esc. Anna Nery, v. 25, n. 2, e20200080, 2021. Disponível em: <http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452021000200202&l ng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 11/11/2021.

GIANTAGLIA, F. N. et al. Humanização do cuidado em um programa de residência enfermagem obstétrica: possibilidades e desafios. Enfermería (Montevideo), Montevideo, v. 9, n. 2, p. 114-128, dic. 2020. Disponível em: <http://www.scielo.edu.uy/scielo.php?script=sci _arttext&pid=S2393-66062020000200114&lng=es&nrm=iso>. Acesso em: 01/05/2022.

JACOB, T. N. O. et al. A percepção do cuidado centrado na mulher por enfermeiras obstétricas num centro de parto normal. Esc Anna Nery. Rio de Janeiro. 2022 ;26:e2021. p01-05. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/ean/a/GYhvc6TGdgSzZMnFCQfBWXS/?lang=pt>. Acesso em: 16/05/2022.

JANEIRO, P. D. P. Experiências vivenciadas pela mulher em trabalho de parto e nascimento. 2013. 102 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Enfermagem, Curso de Mestrado em Enfermagem de Saúde Materna e Obstetrícia, Escola Superior de Enfermagem do Porto, Porto, 2013. Disponível em: <https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/9401/1/Tese_final.p df>. Acesso em: 11/10/2021.

LEHUGEUR, D; STRAPASSON, M. R; FRONZA, E. Manejo não farmacológico de alívio da dor em partos assistidos por enfermeira obstétrica. Revista de Enfermagem UFPE on line, [S.l.], v. 11, n. 12, p. 4929-4937, dez. 2017. ISSN 1981-8963. Disponível em: <https://periodicos.ufpe .br/revistas/revistaenfermagem/article/view/22487/25309>. Acesso em: 27/04/2022.

LIMA, D. W. da C. et al. Humanização no cuidado em saúde mental: compreensões dos enfermeiros. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog. (Ed. port.), Ribeirão Preto, v. 17, n. 1, p. 58-65, mar. 2021. Disponível em: . Acesso em: 10/10/2021.

LIMA, E. N. de et al. Hands-on durante o período expulsivo: herói ou vilão? Rev. Pesqui. Fisioter; v. 10, n. 2, p. 346-354, maio 2020. Disponível em: < https://www5.bahiana.edu.br/ind ex.php/fisioterapia/article/view/2810/3214>. Acesso em: 18/05/2022.

NASCIMENTO F. C. V; SILVA M. P; VIANA M. R. P. Assistência de enfermagem no parto humanizado. Rev Pre Infec e Saúde [Internet]. 2018; 4: 6887. Disponível em: <http://www.ojs.ufpi.br/index.php/nupcis/article/view/6887>. Acesso em: 28/03/2022.

OLIVEIRA, A. D. de et al. Sentimentos e opiniões de mulheres que vivenciaram a experiência do parto humanizado no Hospital Santa Lucinda. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba, v. 16, n. 1, p. 26–29, 2014. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/R FCMS/a rticle/view/17525>. Acesso em: 08/10/2021.

PEREIRA A. L. F. et al. Percepções das enfermeiras obstetras sobre sua formação na modalidade de residência e prática profissional. REME-Rev Min Enferm. 2018; 22: e-1107. Disponível em: <https://cdn.publisher.gn1 .link/reme.org.br/pdf/e1107.pdf>. Acesso em: 16/05/2022.

SANTOS, A. C. S. dos; MOITA, C. E. A importância dos métodos não farmacológicos utilizados no alívio da dor no parto normal. Revista Universo, Salvador, v. 1, n. 3, p. 1-32, jan. 2018. Disponível em: <http://revista.universo.edu.br/index.php?journal=1 UNIVERSOSALV ADOR2&page=article&op=viewFile&path%5B%5D=5681&path%5B%5D=2999>. Acesso em: 10/10/2021.

SANTOS, I. B. C. dos et al. A humanização da assistência de enfermagem à criança hospitalizada no olhar materno. Revisa, Distrito Federal, v. 2, n. 10, p. 358-367, jun. 2021. Disponível em: <http://revistafacesa.senaaires.com.br/index.php/revisa/article/view/726/643>. Acesso em: 10/10/2021.

SILVA, A. C. et al. Parto e nascimento na fronteira franco-brasileira: percepções de enfermeiros. Cogitare Enfermagem, [S.l.], v. 25, jun. 2020a. ISSN 2176-9133. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/67820>. Acesso em: 01/05/2022.

SILVA, F. et al. “Parto ideal”: medicalização e construção de uma roteirização da assistência ao parto hospitalar no Brasil em meados do século XXI. Saúde Soc. 2019, v. 28, n. 3, p. 171-184. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0104-12902019180819>. Aceso em: 29/03/2022.

SILVA, G. F. e et al. A formação na modalidade residência em enfermagem obstétrica: uma análise hermenêutico-dialética. Esc. Anna Nery, v. 24, n. 4, e20190387, 2020b. Disponível em: <http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-8145202000040020 4&lng=pt &nrm=iso>. Acesso em: 16/05/2022.

SILVA L. S. da; et al. Os saberes das mulheres acerca das diferentes posições de parir: uma contribuição para o cuidar. Rev enferm UFPE on line, Recife, 10 (Supl. 4):3531-6, set., 2016. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/11127/ 12615>. Acesso em: 16/05/2022.

SOUZA, A. C. A. T. de et al. Violência obstétrica: uma revisão integrativa. Rev enferm UERJ, Rio de Janeiro, 2019; P. 3-4. Disponível em: <https://www.epublicacoes.uerj.br/index.php/enfe rmagemuerj/article/view/45746/33096>. Acesso em: 09/05/2022.

Published

2022-07-18

Issue

Section

Original Papers