A Tuberculose e as suas correlações socioambientaisꓽ uma análise epidemiológica no Agreste Meridional Pernambucano / Tuberculosis and its socio-environmental correlationsꓽ an epidemiological analysis in the Agreste Meridional Pernambucano

Authors

  • Lucas Honorato Leite Ferreira
  • Felipe Januário de Oliveira Cavalcante
  • Gabriel Lucas Ferreira Silva
  • Glenda Alcantara Sabiá
  • Gracy Kelly Lima de Oliveira Melo
  • José Henrique Berto Ângelo
  • Lívia Herculino Siqueira
  • Luana Cristina Fernandes Ratis
  • Maria Gabriela Rebouças Marques
  • Mariana Tenório Taveira Costa

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-081

Keywords:

tisiologia, Tuberculose Pulmonar, Agreste Meridional, aspectos socioambientais.

Abstract

Faz-se público o conhecimento da literatura histórica contada pela tuberculose. Nesse âmbito, tem-se que a potência de atuação nacional da doença é incrementada pelo comportamento que a patologia concebe nas mediações dos estados. Com isso, analisam-se as características socioambientais da enfermidade nas cidades do Agreste Meridional Pernambucano, com enfoque na pauta do desenvolvimento da afecção no município de Garanhuns. Seja dito, as raízes do passado carregam influência sobre o modo como a tuberculose se desenvolveu em tais localidades, cuja constatação final soma os principais aspectos de saúde, como o incremento da força do agente etiológico e a companhia de infecções, a esse contexto, bem como dita, pelo olhar do corpo coletivo, a maneira como a população lida com o ambiente infeccioso. Por conseguinte, o conhecimento das proporções da enfermidade permite correlacioná-la com tais aspectos do meio ambiente, cujos gráficos para análise dispõem de valores numéricos determinantes na existência de possibilidade paras as correlações específicas.

References

ALVES, Ana Lúcia de Souza; SILVA, Nadianara de Araújo; SOARES, Raissa Cristina de Oliveira; LOPES, Anna Samonne Amaral. BOLETIM TUBERCULOSE DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE, 2013. Recife (PE): Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco. Disponível em: < http://portal.saude.pe.gov.br/sites/portal.saude.pe.gov.br/files/boletim_tuberculose_07.10.13.pdf>. Acesso em: 09 de jun. de 2019

ANTUNES, José Leopoldo Ferreira; WALDMAN, Eliseu Alves; MORAES, Mirtes de. A tuberculose através do século: ícones canônicos e signos do combate à enfermidade. Ciência & Saúde Coletiva, v. 5, p. 367-379, 2000.

BRASIL, Ministério da Saúde. Banco de dados do Sistema Único de Saúde – DATASUS, Informações de Saúde, Sistema de Informações sobre Mortalidade – SIM. Disponível em < http://sim.saude.gov.br>. Acessoo em 14 de jun de 2019.

CAMPOS, Hisbello S. et al. Etiopatogenia da tuberculose e formas clínicas. Pulmão RJ, v. 15, n. 1, p. 29-35, 2006.

GONCALVES, Helen. A tuberculose ao longo dos tempos. Hist. cienc. saude-Manguinhos, Rio de Janeiro , v. 7, n. 2, p. 305-327, Oct. 2000 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702000000300004&lng=en&nrm=iso>. access on 22 June 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO GEOGRAFIA ESTATÍSTICA – IBGE Censos Demográficos. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/panorama>. Acesso em: 9 jun. de 2019

JEON, Christie Y.; MURRAY, Megan B. Diabetes mellitus increases the risk of active tuberculosis: a systematic review of 13 observational studies. PLoS medicine, v. 5, n. 7, p. e152, 2008.

KUMAR, Vinay; ABBAS, Abul K.; ASTER, Jon C. Robbins patologia básica. 9. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

LAPA E SILVA, José R. Novos aspectos da patogenia da tuberculose. Pulmäo RJ, v. 21, n. 1, p. 10-14, 2012.

PERNAMBUCO, Governo do estado. Base de Dados do Estado. Indicadores demográficos dos municípios de Pernambuco – BDE. Disponível em: http://www.bde.pe.gov.br/visualizacao/Visualizacao_formato2.aspx?CodInformacao=863&Cod=3/ Acesso em: 11 de junho de 2019

PERNAMBUCO, Governo do Estado. Base de Dados do Estado – BDE, Índice de Desenvolvimento Humano Municipal. Disponível em: < http://www.bde.pe.gov.br/visualizacao/Visualizacao_formato2.aspx?CodInformacao=785&Cod=3>. Acesso em: 9 de jun. de 2019

PILLER, Raquel VB. Epidemiologia da tuberculose. Pulmão RJ, v. 21, n. 1, p. 4-9, 2012.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico-2ª Edição. Editora Feevale, 2013.

SCHIMDT-charles-Linking TB and the Environment: An Overlooked Mitigation Strategy-2008- disponível em: <https://ehp.niehs.nih.gov/doi/10.1289/ehp.116-a478> . Acesso em: 9 jun. 2018.

KOZAKEVICH, Gabriel Vilella; SILVA, Rosemeri Maurici da. TUBERCULOSE: REVISÃO DE LITERATURA. Arquivos Catarinenses de Medicina, [S.l.], v. 44, n. 4, p. 34-47, set. 2016. ISSN 18064280. Disponível em: <http://www.acm.org.br/acm/seer/index.php/arquivos/article/view/46>. Acesso em: 02 jun. 2019.

MACIEL, Marina de Souza et al. A história da tuberculose no Brasil: os muitos tons (de cinza) da miséria. Revi Socied Bras Clín Méd, v. 10, n. 3, p. 226-30, 2012.

PAIVA DD. Patologia. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto. 2006;5(2):35-39

PÔRTO, Ângela. Representações sociais da tuberculose: estigma e preconceito. Revista de saúde pública, v. 41, p. 43-49, 2007.

ROSEMBERG, José. Tuberculose-Aspectos históricos, realidades, seu romantismo e transculturação. Boletim de pneumologia sanitária, v. 7, n. 2, p. 5-29, 1999.

Published

2022-07-19

Issue

Section

Original Papers