Prevalência e potencial teratogênico de medicamentos usados por pacientes gestantes / Teratogenic prevalence and potential of drugs used by pregnant women

Authors

  • Francielle Vanine Alves Vieira
  • Tiaya Lorenna de Jesus
  • Ivana Pereira David Maia
  • Talita Antunes Guimarães
  • Flávio Júnior Barbosa Figueiredo
  • Thaisa de Almeida Pinheiro
  • Thales de Almeida Pinheiro

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-082

Keywords:

gestantes, medicamentos, prevalência, teratogênico.

Abstract

A gravidez produz um equilíbrio biológico instável que demanda, em alguns casos, o uso de medicamentos. Entretanto, sabe-se que alguns fármacos apresentam potencial teratogênico. O objetivo desse estudo foi avaliar a prevalência e o potencial teratogênico dos principais medicamentos usados por gestantes. A metodologia apresentou caráter descritivo, transversal com abordagem quantitativa. Aplicou-se um questionário semiestruturado para a coleta de dados. Das gestantes entrevistadas, 96,2% disseram já ter usado medicamentos durante a gestação a partir de prescrição médica e 18,9% por automedicação. Verificou-se também que quanto mais jovem e menor o grau de escolaridade das gestantes maior a tendência de automedicação. Constatou-se ainda que 23,5% das gestantes fazem uso de medicações sem receita médica por vontade própria e que 76,5% delas sofrem influência externa. As classes de medicamentos mais usadas pelas gestantes foram ácido fólico, sulfato ferroso e paracetamol. Houve prevalência de consumo de medicamentos da categoria de risco A, seguida das categorias B, C e D. Conclui-se que a medicalização durante a gestação é uma realidade, sendo necessário o desenvolvimento de políticas de saúde pública que possam conscientizar a população da importância do uso racional de medicamentos durante a gestação.

References

Maeda S T, Secoli S R. Utilização e custo de medicamentos em gestantes de baixo-risco. Rev. Latino-am, Enferm 2008, março-abril; 16(2).

Gerra C G B et al. Utilização de medicamentos durante a gravidez na cidade de Natal, Rio Grande do Norte, Brasil. Rev. Bras. ginecol. obstet. 2008; 30(1):12.

Silva M B S et al. Misoprostol and teratogenesis in neonates. Brazilian. Journal of Pharmaceutical Sciences 2009, jul/sep; Vol. 45, n.3.

Wannmacher S. Condutas Baseadas em Evidências sobre medicamentos utilizados em Atenção Primária à saúde. Ministério da saúde, SDC. Tecnologia e insumos estratégicos (Ed). Uso racional de medicamentos: Temas selecionados. Ed. Brasília- DF: Ministério da Saúde, 2012.

Melo S C S et al. Uso de medicamentos por usuárias só Sistema Único de Saúde. Acta Paul. Enferm 2009; 22(1):60-70.

Oliveira N L B et al. Uso de medicamentos por gestantes usuárias do Sistema Único de Saúde. Acta Paul. Enferm 2009; 22(1): 66-70.

Meadows M. Pregnancy and the drug dilemma. FDA consumer. 2001 May-Jun;35(3):16-20.

Rodrigues A V P, Terrengui, L C S. Uso de medicamentos durante a gravidez. Revista de enfermagem-UNISA-Universidade de Santo Amaro 2006; 7:9-14.

Carmo T A, Nitrini S M O. O. Prescrição de medicamentos para gestantes: um estudo farmacoepidemiológico. Cad. Saúde Pública: Rep. Public. Health 2004; 20(4): 1004-13.

IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O estudo da mulher no mercado de trabalho. 2010. [acessado 2015 mar 1]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme_nova/Mulher_Mercado_Trabalho_Perg_Resp.pdf, 2010.

Oliveira A C P, Fonseca T M M. Estudo epidemiológico sobre o uso de medicamentos durante a gravidez na população atendida pelo serviço de obstetrícia do Hospital Municipal de Confresa-MT. Interseção- Revista da Faculdade São Camilo 2007; 1(1):102-9.

Brum L F S et al. Uso de medicamentos por gestantes usuárias do Sistema Único de Saúde no município de Santa Rosa (RS, Brasil). Ciência e saúde coletiva 2011; 16 (5):2435-2442.

Mengue S S et al. Fatores associados ao uso de medicamentos durante a gestação em seis cidades brasileiras. Cad. Saúde Pública 2004; 20:1602-1608

Leite S N, Vieira M, Veber A P. Estudos de utilização de medicamentos: uma síntese de artigos publicados no Brasil e América Latina. Ciênc. saúde coletiva 2008;13(Suppl): 793-802.

ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Parcerias para diminuir o mau uso de medicamentos. Rev. Saúde Pública 2006; 40(1):191-194.

Oliveira Filho A D et al. Aderência autorreferida a medicamentos prescritos durante a gestação. Rev. Bras. ginecol. obstet. 2012;34(4): 147-52.

Maia, T L et al. Uso de medicamentos no primeiro trimestre de gravidez: Avaliação da segurança dos medicamentos e uso de ácido fólico e sulfato ferroso. Rev. Bras. ginecol. obstet. 2014; 30(12): 541-7.

Santos L M P, Pereira M Z. Efeito da fortificação com o ácido fólico na redução dos efeitos do tubo neural. Cad. Saúde Pública 2007; 23(1): 17-24.

OMS. Diretriz: Suplementação diária de ferro e ácido fólico em gestantes. Genebra: Organização Mundial da Saúde; 2013. Disponível em: http://www.who.int/about/licensing/copyright_form/en/index.html.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Programa Nacional de Suplementação de Ferro: manual de condutas gerais / Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 24 p.: il.

Published

2022-07-19

Issue

Section

Original Papers