Prevalência da mortalidade do Coronavírus por 100 mil habitantes em São Paulo entre fevereiro de 2020 a dezembro de 2021 / Prevalence of Coronavirus mortality per 100,000 population in São Paulo from february 2020 to december 2021

Authors

  • Maria Tereza Tavares Valotto
  • Amanda Petry Thibes
  • Isabelle Lima Barradas
  • Raíssa Silva Guimarães Gomes Magalhães
  • Rhanna Kézia Wandekoken Will
  • Lísia Maria Cruz Araújo
  • Luana Guedes de Sousa Lima
  • Aline Bezerra Vargas
  • Kevyn Felipe Mendes

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-100

Keywords:

Coronavírus, mortalidade, prevalência.

Abstract

Os coronavírus foram descritos pela primeira vez na década de 1960 e são os maiores vírus de ácido ribonucléuico (RNA) de fita simples, esféricos, encapsulados e cercados por uma camada de proteínas. Atualmente, fazendo-se uma análise a cada 100 mil habitantes, é um tipo de vírus responsável por grande incidência e mortalidade na região Sudeste, sobretudo no estado de São Paulo. Dessa forma, foi realizado um estudo epidemiológico, transversal, descritivo, por meio de dados estatísticos encontrados no Ministério da Saúde do Brasil e a partir do boletim completo do estado de São Paulo entre fevereiro de 2020 a dezembro de 2021. Os critérios de inclusão utilizados foram a região, o período, a prevalência dos casos de óbitos, a comparação entre o período analisado nacionalmente com o nível de óbitos em escala mundial e a faixa etária. Já os critérios de exclusão foram períodos anteriores e posteriores aos demarcados pela pesquisa, estados distintos na região Sudeste - Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo - e outros tipos de evolução clínica. Portanto, diante dos dados analisados, é possível concluir que existe uma significativa correlação entre a mortalidade por COVID-19 e as idades mais elevadas, o sexo masculino e a presença de comorbidades.

References

BRASIL. Gabinete do Ministro. Declara, em todo o território nacional, o estado de transmissão comunitária do coronavírus (COVID-19). Diário Oficial da União. Portaria nº 454, Ministério da Saúde. 2020.

BRASIL. SÃO PAULO CONTRA O CORONAVÍRUS BOLETIM COMPLETO SÃO PAULO. Ministério da Saúde, 2021.

FERREIRA, V. M. et al. Avaliação epidemiológica das regiões do Brasil na pandemia de COVID-19. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 13, n. 4, p. e7137, 29 abr. 2021.

FREITAS, A. R. R.; NAPIMONGA, N.; DONALISIO, M. R. Análise da gravidade da pandemia de Covid-19. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 29, n. 2, p. 1-5, abr. 2020.

LIMA, N. T.; BUSS, P. M.; PAES-SOUSA, R.; A pandemia de COVID-19: uma crise sanitária e humanitária, Rio de Janeiro, v. 36, n. 7, jul. 2020.

LORENZ, C. et. al. COVID-19 no estado de São Paulo: a evolução de uma pandemia. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 24, p. 1-14, jun. 2021.

ROSA, M. F. P. et al. Epidemiologia da COVID-19 em Uberlândia (MG): análise preliminar do impacto do grau de abertura comercial. J. Health NPEPS, v. 5, n. 2, set. 2020.

SOUZA, A. S. R. et al. Aspectos gerais da pandemia de COVID-19. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil, Recife, v. 21, n. 1, p. 547-564, fev. 2021.

TEICH, V. D. et al. Características epidemiológicas e clínicas dos pacientes com COVID-19 no Brasil. Revista Einstein, São Paulo, v. 18, n. 0, p. 1-7, jul. 2020.

Published

2022-07-22

Issue

Section

Original Papers