A Inter-relação entre a dor e as manifestações psicossomáticas

The inter-relationship between pain and psychosomatic manifestations

Authors

  • Paula Torrezani Sales
  • Carla Torres Roela
  • Luciana Nascimento Costa Troccoli
  • Tatiane Bossato

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n4-129

Keywords:

Diabetes Mellitus, Doença Periodontal, crianças, adolescentes

Abstract

A dor tem sido objeto de estudo cada vez mais frequente na ciência atual, visto que acarreta prejuízos na qualidade de vida das pessoas, afetando o campo da saúde e também a esfera psico-social do indivíduo. Diante da complexidade de mecanismos envolvidos na gênese da dor, faz-se necessário entender não só sua neurofisiologia, mas também detalhar a participação do psiquismo na determinação do fato doloroso. A dor corporal é marcada pela preeminência do fator psíquico e esse forma a representação do corpo lesado, que sofre o impacto da comoção, autopercebe o transtorno que ela acarreta, registra e restitui esse impacto. Essas formas de retorno doloroso, sem causa aparente, são fontes frequentes de angústia e o motivo de consultas na prática clínica, sendo de fundamental importância a percepção do profissional de que o corpo é uma tela sobre o qual se projetam lembranças e o adoecer de determinado órgão é a forma inconsciente do indivíduo de expressar seu sofrimento, por não conseguir fazê-lo de outra forma. Freud afirmava que as quantidades excessivas dos estímulos que assolam o aparelho psíquico rompem as barreiras de proteção e a dor é o resultado de uma implosão diante da qual o princípio do prazer não consegue mais dar continuidade à tarefa de regulação do psiquismo. Cabe ao profissional de psicanálise criar condições favoráveis para ampliar o repertório psíquico do paciente, desenvolver capacidade de simbolização para que esse possa elaborar seus conflitos em vez de depositá-los no corpo.

Published

2022-07-29

Issue

Section

Original Papers