Das considerações acerca do paciente politraumatizado com ênfase em trauma cranio encefalico

Considerations about the polytrauma patient with emphasis on head trauma

Authors

  • Mikael Coutinho Silva
  • Brena Mesquita Sousa
  • Alexsandro Muniz Moraes
  • Lilian Michelle Fernandes de Sousa
  • Raissa Cristina Abreu Pinheiro
  • Nelson Lopes Aragão Filho
  • Nayani Lourdes Jansen Abreu
  • Emanuella Lima Costa Chagas
  • Fernanda Sousa da Silva
  • Antônio Carlos Salim Braide
  • Bárbara Nussrala Carvalho
  • Thiciane Teixeira Ribeiro Gonçalves
  • Lucas Hewitson Froes Santos
  • Luís Mendes Ferreira Neto
  • Iara Ivila Leal Berredo
  • João Marcelo Sá de Melo Campos
  • Daniel da Silva França Pinheiro
  • Karla Giovanna Santos Castro
  • Thaiana Abas de Moraes Rego
  • Renata Medeiros da Silva

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n5-005

Keywords:

trauma, TCE, revisão

Abstract

A morte decorrente do trauma é um grande problema de saúde no mundo inteiro, resultando em quase 14 mil mortes diariamente, o trauma se evidencia entre as cinco principais causas de morte. Nos últimos 10 anos, mais de 1 milhão de pessoas ficaram inválidas devido a traumas mecânicos no Brasil, sendo os acidentes de trânsito os principais responsáveis por estas taxas. Além do aumento do número de veículos em circulação, a desorganização, a deficiência geral da fiscalização, as péssimas condições de muitos veículos, o comportamento dos usuários e a impunidade dos infratores fizeram com que nas últimas décadas o Brasil se colocasse entre os campeões mundiais de acidentes de trânsito. As lesões cerebrais constituem uma causa importante de morte, especialmente em adultos jovens, e uma causa importante de incapacidade. Atualmente estão cada vez mais disseminados os agentes causais de lesões nos seres humanos, tais como: os meios de transportes, o maquinário agrícola e industrial, o aumento da agressividade das armas de fogo, entre outros. Se por um lado o aumento tecnológico tem contribuído para o aumento da qualidade de vida, por outro ameaça a sobrevivência dos cidadãos. Esta pesquisa se enquadra como revisão de literatura, do tipo sistemática de caráter exploratório e abordagem qualitativa. O grande objetivo desta pesquisa foi elaborar atualização acerca das informações acerca do trauma cranioencefálico de forma a fomentar atualização em saúde.

References

ALVES, Nágila Silva; DO NASCIMENTO PAZ, Francisco Adalberto. Nível de Funcionalidade dos pacientes com traumatismo cranioencefálico em uma Unidade de Terapia Intensiva de um Hospital Terciário. Revista da FAESF, v. 3, n. 1, 2019.

BRAGA, Tatiana de Lima; SANTOS ROBLES, José Israel. ASSISTÊNCIA AOS PACIENTES VÍTIMAS DE TCE EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NO HOSPITAL DE EMERGÊNCIAS DE MACAPÁ/AP. Revista Eletrônica Estácio Saúde, v. 10, n. 01, p. 10, 2021.

CORREIA, Murillo Martins et al. Perfil do traumatismo cranioencefálico e sua associação prognóstica com a dosagem sérica de creatinina à admissão. 2019.

DA SILVA, Georgina do Socorro Moreira; SILVA, Vicky Cristina Dos Santos; MONTES, Cintia Nayara Coelho. Dificuldades do enfermeiro na avaliação neurológica vítima de traumatismo crânio encefálico: uma revisão integrativa da literatura. Journal of Specialist, v. 1, n. 2, 2019.

DE FREITAS, Tatiana Beline; PADULA, Natalia; DOS SANTOS PALMA, Gisele Carla. USO DE AVALIAÇÕES PADRONIZADAS EM FISIOTERAPIA APLICADA ÀS DOENÇAS NEUROLÓGICAS. Avaliação Neurológica Funcional, 2020.

DO CARMO, Júlia et al. Traumatismo cranioencefálico no Brasil: análise epidemiológica. REVISTA CIENTÍFICA DA ESCOLA ESTADUAL DE SAÚDE PÚBLICA DE GOIÁS" CÂNDIDO SANTIAGO", v. 6, n. 3, p. e6000014-e6000014, 2020.

DOS SANTOS, Lorena Laira Morais; DE OLIVEIRA, Leonardo Pestillo; VISSOCI, João Ricardo Nickenig. Traumatismo cranioencefálicoe os acidentes de trânsito: levantamento epidemiológico entre os anos de 2008 E 2016. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde, v. 9, n. 1, p. 32-51, 2020.

FERNANDES, Clecius Rafael Santos. Crise, sofrimento psíquico grave e crescimento pós-traumático: uma abordagem fenomenológica. 2021.

FONSECA, Patrícia Daniela Oliveira. Reinserção profissional dos indivíduos que sofreram de AVC: o papel da formação e educação de adultos. 2019.

GUIZZO, Willian Augusto et al. Trauma em Curitiba: avaliação multifatorial de vítimas admitidas em um hospital universitário. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 47, 2020.

MARINHO, Mariana. Cuidados de enfermagem relacionados a dor aguda no paciente de terapia intensiva: uma revisão integrativa. 2020.

MARQUES, Flávia de Souza Verdugo. Suporte social e funcionalidade familiar dos pacientes vítimas de traumatismo cranioencefálico com lesão axonial difusa em seguimento ambulatorial. 2019. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

MATHIAS, Emanoel Luiz et al. ABORDAGEM ADEQUADA DO PACIENTE VÍTIMA DE TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO (TCE) NAS PRIMEIRAS HORAS APÓS O ACOMETIMENT. Revista Interdisciplinar Pensamento Científico, v. 4, n. 3, 2018.

MAXIMINO, Natalia Patrizi. Perfil epidemiológico do traumatismo cranioencefálico em Unidade de Terapia Intensiva referenciada. 2018.

MENDONÇA, Rejane Cristina Fiorelli de; SILVA, Edivânia dos Santos; MENDONÇA, Paulo César de. Efeitos do alta frequência e laser de baixa potência na úlcera por pressão: revisão narrativa. 2020.

OLIVEIRA, Heleno de Paiva. Modelo preditivo de óbito em pacientes vítimas de trauma admitidos em Unidade de Terapia Intensiva. 2020. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

RAMOS, Joyce Rodrigues et al. ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ATENDIMENTO AO PACIENTE VÍTIMA DE TRAUMATISMO CRÂNIO ENCEFÁLICO. Facit Business and Technology Journal, v. 1, n. 26, 2021.

REZER, Fabiana et al. Conhecimento de enfermeiros na abordagem à vítima de traumatismo cranioencefálico/Knowledge of nurses in the approach to the victim of cranioencephalic traumatism/Conocimiento de enfermeras en el enfoque de la víctima del traumatismo cranioencefálico. Journal Health NPEPS, v. 5, n. 2, 2020.

RODRIGUES, Tatyanne Silva. COMPORTAMENTO DE CONDUTORES DE MOTOCICLETAS ENVOLVIDOS EM ACIDENTES DE TRÂNSITO. 2018.

ROJAS-GALLEGO, Isabel Cristina et al. Fisiopatologia do dano cerebral e traumatismo encéfalo craniano. CES Medicina, v. 32, n. 1, p. 31-40, 2018.

RUY, Erika Lopes; DA ROSA, Maria Inês. Perfil epidemiológico de pacientes com traumatismo crânio encefálico. epidemiological profile of patients with traumatic brain injury. Arquivos Catarinenses de Medicina, v. 40, n. 3, 2011.

SAIBT, Ricardo Martins. Índices de violência e trauma no trânsito na região sul catarinense: convergências e distanciamentos das políticas públicas de enfrentamento. 2018.

SILVA, João Felipe Tinto et al. Assistência de enfermagem ao paciente vítima de traumatismo cranioencefálico. Research, Society and Development, v. 10, n. 9, p. e16010917856-e16010917856, 2021.

SMITH, Daniel GA et al. Quantum Chemistry Common Driver and Databases (QCDB) and Quantum Chemistry Engine (QCEngine): Automation and interoperability among computational chemistry programs. The Journal of Chemical Physics, v. 155, n. 20, p. 204801, 2021.

WEBER, Karina Tavares. Registro de traumatismo cranioencefálico de Ribeirão Preto (ReTER): validação do instrumento Neurological Outcomes Scale for Traumatic Brain Injury (NOS-TBI) e estudo coorte prospectivo. 2019. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

WILL, Rubyely Caroline et al. Cuidados de enfermagem aos pacientes politraumatizados atendidos na emergência. Nursing (São Paulo), v. 23, n. 263, p. 3766-3777, 2020.

Published

2022-09-01

Issue

Section

Original Papers