Câncer de colo de útero em faixa etária pediátrica: uma análise epidemiológica do nordeste nos últimos 5 anos

Cervix cancer in pediatric age group: an epidemiological analysis of northeast in the last 5 years

Authors

  • Yasmin Melo Toledo
  • Marina de Pádua Nogueira

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n5-013

Keywords:

análise epidemiológica, pediatria, Neoplasias do colo do útero, DATASUS, nordeste

Abstract

A Neoplasia Maligna do Colo de Útero (NMCU) tem alta incidência, é frequente nos países em desenvolvimento e é essencialmente causada pelo Papiloma Vírus Humano (99,7% dos casos). É o terceiro câncer mais comum entre mulheres (perde para mama e colorretal) e é a quarta causa de morte por câncer das brasileiras. Apesar da alta prevalência, a incidência mundial estimada, na faixa etária pediátrica, é de apenas 0,4 por milhão, e a brasileira, de 0,9 por milhão. O objetivo deste trabalho foi analisar os internamentos e óbitos por NMCU em faixa etária pediátrica no Nordeste entre 2018 e 2022. Para tanto, foi realizada coleta de dados na plataforma DATASUS sobre NMCU (CID C53.9) em pacientes pediátricos com as variáveis: faixa etária, ano, estado e etnia. Como resultado, obteve-se que 26.420 pacientes foram internados por NMCU, sendo 47 pacientes pediátricos, estes representam 0,17% dos casos no Nordeste. A taxa de letalidade na região foi a 2ª maior do país (6,38%). O Norte foi o 1° colocado, com 11,7%. A faixa etária mais acometida é de 15-19 anos, responsável por 82,9% dos internamentos e 66% dos óbitos. O ano de 2019 teve a maior quantidade de internações (40,42%) e os óbitos foram bem distribuídos. A cor mais afetada foi a parda, com 78,72% dos internamentos e 100% dos óbitos. Com isso, sabe-se que o Nordeste tem a 2ª maior taxa de letalidade pediátrica por NMCU do país e incidência aproximada da média mundial.

References

BRAY, F. et al. Global cancer statistics 2018: GLOBOCAN estimates of incidence and mortality worldwide for 36 cancers in 185 countries. CA: A Cancer Journal for Clinicians, v. 68, n. 6, p. 394–424, nov. 2018.

FEBRASGO. HPV. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/120-hpv>. Acesso em: 10 jul. 2020.

FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCA (FEBRASGO). Rastreio, diagnóstico e tratamento do câncer de colo de útero. [s.l: s.n.]. v. 1

FERNANDEZ-PINEDA, I. et al. Vaginal tumors in childhood: the experience of St. Jude Children’s Research Hospital. Journal of Pediatric Surgery, v. 46, n. 11, p. 2071–2075, nov. 2011.

INCA. Prevenção do câncer do colo do útero. Disponível em: <https://www.inca.gov.br/controle-do-cancer-do-colo-do-utero/acoes-de-controle/prevencao>. Acesso em: 11 jul. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA. COORDENAÇÃO DE PREVENÇÃO. Incidência, mortalidade e morbidade hospitalar por câncer em crianças, adolescentes e adultos jovens no Brasil: informações dos registros de câncer e do sistema de mortalidade. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva., 2016.

JEMAL, A. et al. Global cancer statistics. CA: A Cancer Journal for Clinicians, v. 61, n. 2, p. 69–90, mar. 2011.

MCNALL, R. Y. et al. Adenocarcinoma of the cervix and vagina in pediatric patients. Pediatric Blood & Cancer, v. 43, n. 3, p. 289–294, set. 2004.

SARAIYA, M. et al. Cervical Cancer Incidence in a Prevaccine Era in the United States, 1998–2002: Obstetrics & Gynecology, v. 109, n. 2, Part 1, p. 360–370, fev. 2007.

SOUTO, R.; FALHARI, J. P. B. O Papilomavírus Humano: um fator relacionado com a formação de neoplasias. p. 6, 2005.

THE INTERNATIONAL COLLABORATION OF EPIDEMIOLOGICAL STUDIES OF CERVICAL CANCER. Comparison of risk factors for invasive squamous cell carcinoma and adenocarcinoma of the cervix: Collaborative reanalysis of individual data on 8,097 women with squamous cell carcinoma and 1,374 women with adenocarcinoma from 12 epidemiological studies: Squamous Cell Carcinoma and Adenocarcinoma of the Cervix. International Journal of Cancer, v. 120, n. 4, p. 885–891, 15 fev. 2007.

TSUCHIYA, C. et al. O câncer de colo do útero no Brasil: uma retrospectiva sobre as políticas públicas voltadas à saúde da mulher. Jornal Brasileiro de Economia da Saúde, v. 9, n. 1, p. 137–147, abr. 2017.

WALBOOMERS ET AL. Human papillomavirus is a necessary cause of invasive cervical cancer worldwide. J. Pathol., p. 8, 1999.

WORLD HEALTH ORGANIZATION; WORLD HEALTH ORGANIZATION; REPRODUCTIVE HEALTH AND RESEARCH. Comprehensive cervical cancer control: a guide to essential practice. [s.l: s.n.].

Published

2022-09-05

Issue

Section

Original Papers