Avaliação da qualidade de vida da população idosa durante o isolamento social obrigatório na cidade de Maringá-PR

Assessment of the quality of life of the elderly population during mandatory social isolation in the city of Maringá-PR

Authors

  • Pedro Cavalaro Cascardo
  • Luciano André dos Santos Poliseli
  • Rodrigo Vargas
  • Emilene Dias Fiuza Ferreira

DOI:

https://doi.org/10.34119/bjhrv5n5-040

Keywords:

atividade física, Coronavírus, COVID-19, idoso, quarentena

Abstract

Diante da pandemia causada pelo COVID-19, se fez necessário o isolamento social visando dificultar o contágio viral. Estima-se situação de maior vulnerabilidade em idosos, devido a maior suscetibilidade imunológica e por apresentarem comorbidades prévias, consideradas fatores de risco. Esta vulnerabilidade é acentuada pela situação do isolamento, trazendo significativa mudança na rotina do idoso, dificultando a prática de atividades físicas, que por sua vez alteram seu quadro físico, psicológico e social. Assim, teve-se como objetivo avaliar as implicações do isolamento social na saúde e qualidade de vida dos idosos. Para tal, foi realizado um levantamento de informações através de questionários sociodemográficos acerca dos hábitos de vida destes idosos. Com isto, almejou-se elucidar os fatores agravantes à saúde, com o fim de preveni-los e/ou amenizá-los, buscando também proporcionar um melhor preparo para possíveis situações recorrentes. O trabalho teve o intuito de compreender quais foram as mudanças nos hábitos de vida da população idosa, bem como tais mudanças afetam a qualidade de vida desta população. O presente trabalho aventou, por meio do questionário, onde foi entrevistado 74 idosos, todos residentes da cidade de Maringá, PR, que houve redução na prática de exercícios físicos. Além disso, foi detectado piora na qualidade do sono, alguns casos com perda ou ganho de peso e ingestão de novos remédios. Os resultados obtidos contribuem para o desenvolvimento de estratégias paliativas, por órgãos e instituições voltadas a população idosa, que minimizem os impactos gerados pelo isolamento social, evitando maiores prejuízos aos cofres públicos e ao Sistema Único de Saúde.

References

A WILDER-SMITH, M.D., D O FREEDMAN, M.D. Isolation, quarantine, social distancing and community containment: pivotal role for old-style public health measures in the novel coronavirus (2019-nCoV) outbreak. Journal of Travel Medicine, Volume 27, Issue 2, March 2020, taaa020, https://doi.org/10.1093/jtm/taaa020

ANDEOTTI, R.A. Efeitos de um programa de Educação Física sobre as atividades da vida diária em idosos. São Paulo [dissertação]. São Paulo: Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo; 1999.

BARROS, M.B.A. et al. Quality of sleep, health status and subjective well-being in a population-based study. Rev Saúde Pública, set. 2019;53:82. doi:10.11606/s1518-8787.2019053001067

BENEDICT, C. et al. Effects of acute sleep loss on diurnal plasma dynamics of CNS health biomarkers in young men. Neurology. 2020;94(11):e1181–9.

BORTOLON, P. C. et al. Análise do perfil de automedicação em mulheres idosas brasileiras. Ciênc. Saúde Coletiva, v. 13, n. 4, p. 1219-1226, 2008

CAO, Z. et al. Estimating the effective reproduction number of the 2019-nCoV in China. medRxiv 2020; 29 jan. https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2020.01.27.20018952v1

CHEIK, N.C. et al. Efeitos do exercício físico e da atividade física na depressão e ansiedade em indivíduos idosos. R. bras. Ci. e Mov. 2003; 11(3): 45-52.

CHEN, N. et al. Epidemiological and clinical characteristics of 99 cases of 2019 novel coronavirus pneumonia in Wuhan, China: a descriptive study. The Lancet. 2020;395(10223):507-513. doi: 10.1016/S0140- 6736(20)30211-7

CHEN, Z. et al. Diagnosis and treatment recommendations for pediatric respiratory infection caused by the 2019 novel coronavirus. World Journal Of Pediatrics. 2020;5:1-7. doi: 10.1007/s12519-020-00345-5.

DOS SANTOS, R.R. et al. Obesidade em idosos. Rev Med Minas Gerais, 23(1), p. 64-73, 2013.

GALVÃO, C. Idoso polimedicado: estratégias para melhorar a prescrição. Revista Portuguesa de Clínica Geral, v. 22, p. 747-752, 2006.

HANLON, J.T. et al. Adverse drug events in high risk order outpatients. Journal of the American Geriatrics Society, v. 45, p. 945-948, 1997.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). FHC cria conselho para os direitos dos idosos. Bol – Política – 7 de setembro de 2002 – Folha On Line, informações da Agência Brasil. [artigo online] [capturado em 26 fev. 20:04]. Disponível em http://www.ibge.gov.br/ censo/noticia_old.shtm

JACOB FILHO, W., SOUZA, R.R. Anatomia e fisiologia do envelhecimento. Geriatria: fundamentos, clínica e terapêutica.São Paulo: Atheneu, 2000. p. 31-39.

JU, Y.E.S, LUCEY, B.P., HOLTZMAN, D.M. Sleep and Alzheimer disease pathology-a bidirectional relationship. Nat Rev Neurol. 2014;10(2):115–9.

LANA, R.M. et al. Emergência do novo coronavírus (SARS-CoV-2) e o papel de uma vigilância nacional em saúde oportuna e efetiva. Cad Saúde Pública. 2020;36(3):1-5. doi: 10.1590/0102- 311X00019620

LIU, T. et al. Transmission dynamics of 2019 novel coronavirus (2019-nCoV). BioRxiv 2020; 26 jan. https://www.biorxiv.org/content/10.1101/2020.01.25.919787v1

MACEDO, A.C., BALOUCH, S., TABET, N. Is Sleep Disruption a Risk Factor for Alzheimer’s Disease? J Alzheimers Dis. 2017;58(4):993–1002

MATSUDO, S.M.M. Envelhecimento e Atividade Física. Londrina: Midiograf; 2001

MATSUDO, S.M., MATSUDO, V.K.R. Exercício, Densidade óssea e Osteoporose. Revista Brasileira de Ortopedia, vol. 27, n. 10, p. 730-742, 1992

Ministério da Justiça do Brasil. Estatuto do Idoso: Lei n° 10.741, de 1º de outubro de 2003. Brasília: Ministério da Justiça; 2003

Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim epidemiológico 03 – doença pelo novo coronavírus 2019 – COVID-19. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2020.

Neri, A.L. Maturidade e velhice. Trajetórias individuais e socioculturais. Campinas: Papirus editora; 2001

Oliveira, C. Por que asilamos nossos velhos. Rev Bras de Enfermagem. 1985; 38 (1): 7-13.

Organização Pan-Americana de Saúde. Folha informativa – COVID-19 (doença causada pelo novo coronavírus). Brasília (DF): OPAS Brasil, 2020. Avaliable from: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6101:covid1

PASSOS, G. S., et al. Tratamento não farmacológico para a insônia crônica. Brazilian Journal of Psychiatry [online]. 2007, v. 29, n. 3 [Acessado 16 Março 2022] , pp. 279-282. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1516-44462006005000045>. Epub 22 Maio 2007. ISSN 1809-452X. https://doi.org/10.1590/S1516-44462006005000045.

PELLICORI, P. At the heart of COVID-19. European Heart Journal, [s.l.], v. 41, p. 1830-1832, 14 maio 2020. Oxford University Press (OUP). http://dx.doi.org/10.1093/eurheartj/ehaa415

PIERINE, D.T., NICOLA, M., OLIVEIRA, E.P. Sarcopenia: alterações metabólicas e consequências no envelhecimento. R. bras. Ci. e Mov 2009;17(3):96-103.

READ, J.M. et al. Novel coronavirus 2019-nCoV: early estimation of epidemiological parameters and epidemic predictions. medRxiv 2020; 28 jan. https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2020.01.23.20018549v2.

SECOLI, S. R. Polifarmácia: interações e reações adversas no uso de medicamentos por idosos. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 63, n. 1, p. 136-140, 2010

SEGURA, D. C. A. et al. Relação entre atividade física e osteoporose. Arquivos de Ciências da Saúde da UNIPAR, v. 11, n. 1, 2007

SHOKRI-KOJORI, E. et al. β-Amyloid accumulation in the human brain after one night of sleep deprivation. Proc Natl Acad Sci U S A. 2018;115(17):4483–8

SINGHAL, T. A review of coronavirus disease-2019 (COVID-19). Indian J Pediatr. 2020; 87(4): 281-286. doi: 10.1007/s12098-020-03263-6

Published

2022-09-08

Issue

Section

Original Papers