Intergeracionalidade: reflexões sobre possibilidades que facilitem a convivência entre pessoas idosas e adultos jovens / Intergeracionality: reflections on possibilities that facilitate the living between elderly people and young adults

Authors

  • Cirlene Francisca Sales da Silva Brazilian Journals Publicações de Periódicos, São José dos Pinhais, Paraná
  • Cristina Maria de Souza Brito Dias
  • Erideise Gurgel da Costa
  • Daniely da Silva Dias Vilela

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-298

Keywords:

Intergeracionalidade, Idoso, Adulto Jovem.

Abstract

As dificuldades de relacionamento entre as gerações de idosos e jovens motivou a realização do presente estudo, que teve como objetivos investigar e descrever possibilidades de intervenções que facilitem a convivência entre idosos e adultos jovens da mesma família. O método de pesquisa utilizado foi o qualitativo, de coorte transversal e com uma amostra por conveniência. A coleta de dados foi realizada por meio de um questionário sociodemográfico e de uma entrevista através do Grupo Focal. Participaram sete idosos (as) com idades entre 62 e 69 anos, e cinco adultos jovens com idades entre 22 e 28 anos, sendo eles três netos (as), dois sobrinhos(as), três avós, três tios(as) e uma mãe. Os resultados foram analisados através da técnica de análise de conteúdo temática e demonstraram como principais possibilidades para facilitar a relação: o adulto jovem priorizar um tempo para dedicar às pessoas idosas, como também, a realização de um processo de conscientização desde a infância sobre o envelhecimento e a importância do relacionamento intergeracional.

References

BRASIL. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE.

Projeção da população do Brasil e das Unidades da Federação, 2018. Recuperado de https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/index.html

BERTHOUD, C. M. E., & BERGAMI, N. B. B. Família em fase de aquisição. In C. M. O. Cerveny & C. M. E. Berthoud (Orgs.). Família e ciclo vital: nossa realidade em pesquisa (pp. 46-71). São Paulo, SP/Brasil: Casa do Psicólogo, 2010.

BORGES, C. D. & SANTOS, M. A. Aplicações metodológicas da técnica de grupo focal: fundamentos metodológicos, potencialidades e limites. Revista da SPAGESP - Sociedade de Psicoterapias Analíticas Grupais do Estado de São Paulo, 6(1), 74-80, 2005.

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Estatuto da Juventude – Lei Nº 12.852, de 5 de agosto de 2013. Casa Civil. Subchefia para assuntos jurídicos. Distrito Federal, Brasília/Brasil. Recuperadodehttp://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato20112014/2013/Lei/L12852.htmBrasil.

BUTLER, R. Age-ism: another form of bigotry. The gerontologist, 9, 243-246, 1969. CAMARANO, A. A., KANSO, S., & FERNANDES, D. Brasil envelhece antes e pós-PNI. In

A. O. Alcântara, A. A. Camarano & K. C. Giacomin (Eds.), Política Nacional do idoso: velhas e novas questões (pp. 63-103). Rio de janeiro, RJ/Brasil: IPEA, 2016.

CARTER, B. & MCGOLDRICK, M. As mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para a Terapia Familiar. In B. Carter & M. McGoldrick (Orgs.), As mudanças no ciclo de vida familiar (pp. 7-29). Porto Alegre, RS/Brasil: Artes Médicas, 2007.

CÔRTE, B., & FERRIGNO, J. C. Programas Intergeracionais: estímulo à integração do idoso às demais gerações. In E. V. Freitas & L. PY (Orgs.), Tratado de Geriatria e Gerontologia (pp.1526-1534). Rio de Janeiro, RJ/Brasil: Guanabara Koogan, 2016.

COUTO, M. C. P. P., & MARQUES, S. Atitudes em relação ao envelhecimento: vamos falar sobre o idadismo? In D.V.S Falcão, L. F. Araújo & J. S. Pedroso (Orgs.), Velhices: temas emergentes nos contextos psicossocial e familiar (pp. 17-32), 2016. Campinas, SP/Brasil: Alínea.

Deslandes, S. F., Gomes, R., & Minayo, M. C. S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

Fromm, E. The sane society. New York: Rinehart, 1995.

Ferreira, V. R. P. M. Espiritualidade e religiosidade como recurso de ajustamento psicológico e de bem-estar de idosos de 80 anos ou mais, 2018. (Monografia do curso de Especialização em Gerontologia). Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE/Brasil.

Ferrigno, J. C. A coeducação entre gerações. Revista Brasileira de Educação Física, 20 (5), 67-69, 2006. Recuperado de http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/

Ferrigno, J. C. Apresentação. In C. R. Lima (Org.), Programas Intergeracionais: um estudo sobre as atividades que aproximam as diversas gerações (pp.11-13). Campinas, SP/Brasil: Ed. Alínea, 2008.

Ferrigno, J. C. Coeducação entre gerações. São Paulo, SP: SESC, 2010.

Gatti, B. A. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília, DF: Líber Livro Editora, 2005.

Kind, L. Notas para o trabalho com a técnica de grupos focais. Psicologia em Revista, 10(15), 124-136, 2004.

Krueger, R. A. Focus Groups: a Practical Guide for Applied Research. New-Bury Park: Sage, 1998.

Minayo, M. C. S. O desafio do conhecimento pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo, SP: Ed. Hucitec, 2014.

Minayo, M. C. S. O principal fator para o suicídio do idoso é o isolamento, a solidão. GEPeSP entrevista, 2018. Recuperado de https:// gepesp.org/2018/04/o-principal-fator- para-o-sucicidio-do-idoso-e-o-isolamento-a-solidao-gepesp-entrevista-cecilia- minayo/uncategorized.

Miranda, D. S. Um programa para todas as idades. Caderno Sesc de Cidadania e Intergeracionalidade, 4(8), 4-13, 2013. Recuperado de www.portaldoenvelhecimento.org.br/revista

Moral Jiménez, M. V. Programas intergeneracionales y participación social: la integración de los adultos mayores españoles y latinoamericanos en la comunidad. Universitas Psychologica, 16(1), 1-19, 2017.

Nascimento, A. M. Aspectos da transição para a vida adulta no Brasil, dos filhos adultos que residem com os pais, segundo a Pesquisa sobre Padrões de Vida 1996-1997, 2008. Trabalho apresentado no XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, realizado em Caxambu- MG – Brasil, de 29 de setembro a 03 de outubro de 2008.

Neri, A. L. Palavras-chave em gerontologia. Coleção Velhice e Sociedade. Campinas, SP: Editora Alínea, 2008.

Neves, S. D. O casal e as relações de parentesco por afinidade: os sogros. (Tese de doutorado). Universidade Católica do Salvador, Salvador, BA/Brasil, 2015.

Nogueira-Martins, M. C. F., & Bogus, C. M. Considerações sobre a metodologia qualitativa como recurso para o estudo das ações de humanização em saúde. Saúde e Sociedade, 13(3), 44-57, 2004.

Oliveira, A. L. Envelhecimento, apoio social e programas intergeracionais. In V Congresso A voz dos Avós: Família e Sociedade, Anais do V Congresso “A voz dos Avós: Família e Sociedade”. Salvador, Bahia, 2017.

Oliveira, G. C. A. S. Percepção dos vínculos e relacionamento entre netos adultos e seus avós (Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica). Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE/Brasil, 2015.

Oliveira, A. L., Villas-Boas, S., & Ramos, M. N. Envelhecimento, apoio social e programas intergeracionais: um estudo sobre atividades de voluntariado. In L.V.C. Moreira, E. P.

Rabinovich & C. M. S. B. Dias (Orgs), A voz dos avós: família e sociedade (pp.259-269). Curitiba/PR/Brasil: Ed. CRV, 2017.

Osório, L. C. Como trabalhar com sistemas humanos: grupos, casais e famílias, empresas.

Porto Alegre, RS: Artmed, 2013.

Papalia, D. E., & Feldman, R. D. Desenvolvimento humano. Porto Alegre/RS: AMGH, 2013.

Pires, L. L. A. Envelhecimento, tecnologias e juventude: caminhos percorridos por alunos de cursos de informática e seus avós. Estududos Interdisciplinares e Envelhecimento, 18(2),293-309,2013.Recuperado de http://www.seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/view/34181

Rabinovich, E. P.; Moreira, L. V. C., Franco, A. F. Papéis, comportamentos, atividades e relações entre membros da família baiana. Psicologia & Sociedade, 24(1), 139-149, 2012.

Rabinovich, E. P.; Franco, A. F.; Moreira, L. V. C. Compreensão do significado de família por estudantes universitários baianos. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 12(1), 260- 273, 2012.

Sánchez, M. G., & Torrano, D. H. Los beneficios de los programas intergeneracionales desde la perspectiva de los profesionales. Pedagogia Social. Revista Interuniversitaria, 21, 213-235, 2013.

Silva, C. F. S., & Dias, C. M. S. B. Violência contra idosos: características e enfrentamento. In D.V.S. Falcão, L. F. Araújo & J. S. Pedroso (Orgs.), Velhices: temas emergentes nos contextos psicossocial e familiar (pp. 209-228). Campinas, SP/Brasil: Alínea, 2016.

Silva, H. S., & Junqueira, P. G. Reflexões e narrativas (auto)biográficas sobre as relações intergeracionais: resultados de uma intervenção socioeducativa com mulheres idosas. Psicologia & Sociedade, 25(3), 559-570, 2013.

Silva, M. M. L. A contribuição dos tios na vida escolar dos sobrinhos, em uma escola pública de um bairro da periferia de Salvador (Dissertação de Mestrado). Universidade Católica do Salvador, Salvador, BA/Brasil, 2018.

Silva, M. R., & Piccinini, C. A. Sentimentos sobre a paternidade e o envolvimento paterno: um estudo qualitativo. Estudos de Psicologia, 24(4), 561-573, 2007.

Torres, K. A., & Dias, C. M. S. B. A relação entre avós, idosos e netos por meio das novas tecnologias de informação e comunicação. In L.V.C. Moreira, E. P. Rabinovich & C. M. S.

B. Dias (Orgs), A voz dos avós: família e sociedade (pp.133-144). Curitiba/ PR/Brasil: Ed.CRV, 2017.

UNESCO. Juventude, violência e vulnerabilidade social na América Latina: desafios para políticas públicas. Distrito Federal, Brasília: UNESCO BID, 2002. Recuperado de http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001271/127138por.pdf

Published

2020-05-15

How to Cite

da Silva, C. F. S., Dias, C. M. de S. B., da Costa, E. G., & Vilela, D. da S. D. (2020). Intergeracionalidade: reflexões sobre possibilidades que facilitem a convivência entre pessoas idosas e adultos jovens / Intergeracionality: reflections on possibilities that facilitate the living between elderly people and young adults. Brazilian Journal of Development, 6(5), 27957–27970. https://doi.org/10.34117/bjdv6n5-298

Issue

Section

Original Papers