Episiotomia: o (des) conhecimento da puérpera / Episiotomy: the (un) knowledge of the puerperal woman

Authors

  • Luana Priscila da Silva Pereira Brazilian Journals Publicações de Periódicos, São José dos Pinhais, Paraná
  • Natália Palmoni Medeiros Dantas
  • Núbia Vanessa da Silva Tavares
  • Anne Caroline Gonçalves Cardoso

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-614

Keywords:

Enfermagem. Episiotomia. Puérperas. Parto normal.

Abstract

Introdução: A episiotomia é caracterizada como uma incisão cirúrgica realizada na região do períneo durante o final do segundo estágio do trabalho de parto com o intuito de ampliar o canal vaginal facilitando a saída do feto e prevenindo possíveis lacerações perineais graves. Objetivo: Descrever o conhecimento das puérperas sobre a prática da episiotomia. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa do tipo exploratória descritiva com abordagem qualitativa. A pesquisa foi realizada em um Hospital Geral Filantrópico na cidade de Maceió, com 20 puérperas que foram submetidas à episiotomia. A coleta de dados foi realizada através de um questionário semiestruturado, durante o período de abril á maio de 2018. Resultados e discussões: A partir dos depoimentos evidenciou-se nesse estudo o desconhecimento das puérperas, sobre a prática da episiotomia. A falta de informação, orientação e consentimento prévio dessas mulheres para a realização da episiotomia foram aspectos relevantes encontrados nos discursos das entrevistadas, demonstrando o poder profissional na violação dos direitos sexuais e reprodutivos. Conclusão: É fato que ainda existe uma lacuna de conhecimento desta prática entre as gestantes, o que reforça a necessidade de orienta-las durante o pré-natal, e no momento do parto, no intuito de resgatar a autonomia da mulher e proporcionar uma assistência humanizada durante a fase de gestar e parir.

References

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 4ª edição. Lisboa: Edições 70, 2010.

BOLSONI, A.C.; COELHO, J.A. Episiotomia no puerpério: Percepção das mulheres. Revista de saúde pública do Paraná. Londrina, vol.17, nº 2, p. 199-205. dez. 2016.

BRASIL, M.S. Diretrizes de assistência ao parto normal. Versão resumida. Brasília, 2017.

BRASIL. WHO recommendations: intrapartum care for a positive childbirth experience. World Health Organization, 2018.

BRASIL. Resolução n. 466 de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Conselho Nacional de Saúde. Brasília, 12 dez. 2012.

BRASIL. Resolução n.510 de 7 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores do que os existentes na vida cotidiana. Conselho Nacional de Saúde. Brasília, 7 abr. 2016.

BRASIL. Resolução n. 580 de 22 de março de 2018. Dispões sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Conselho Nacional de Saúde. Brasília, 22 mar. 2018.

CAMBOIM, F.E.F. et al. História oral de vida temática de mulheres em relação á episiotomia. Arquivos de ciência da saúde. Paraíba, vol.24, nº 2, p.25-32. abr./jun., 2017.

COSTA, A.L.T.; CESAR, I.A.P.; SILVA, C.R. Episiotomia sob o ponto de vista da gestante. Revista Ciência Saúde. São Paulo, vol.1, nº 2, p.12-20. 2016.

COSTA, Q. L. et al. Episiotomia no parto normal: Incidência e Complicações. Carpe Diem: Revista cultural e Científica do UNIFACEX. Natal, vol.13, nº 1, p.173-187. out./nov. 2015.

DIAS, P. A realização da episiotomia: uma revisão de literatura. 2015. Porto Velho. Monografia (Bacharelado em Enfermagem).Centro Universitário São Lucas, p. 36, 2015.

DULFE, P.A.M. et al. Presença do acompanhante de livre escolha no processo parturitivo: repercussões na assistência obstétrica. Cogitare Enfermagem. Niterói, vol. 21, nº 4, p. 1-8. out./dez., 2016.

FIGUEIREDO, G. et al. Episiotomia: percepções de puérperas adolescentes. Invest Educ Enferm. São Paulo, vol.33, nº 2, p. 365-373. mai./ago. 2015.

FRIGO, J. et al. Episiotomia: (Des)conhecimento sobre o procedimento sob a ótica da mulher. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR. Santa Catarina, vol.6, nº 2, p.5-10. mar./mai. 2014.

GARRETT,C.A.; OSELANE,G.B. O uso da episiotomia no sistema único de saúde brasileiro: A percepção das parturientes. Revista Saúde e Pesquisa, Maringá, vol. 9 nº 3, p.453-459. set./dez. 2016.

LIMA, M.G.et al. A episiotomia e o retorno á vida sexual pós-parto. Revista Uningá Review. Rondônia, vol. 16, nº 2,p. 33-37. out./dez., 2013.

OLIVEIRA, A. P. G. et al. Episiotomia: Discussão sobre o trauma psicológico e físico nas puérperas - Uma revisão bibliográfica. Revista Rede de Cuidados em Saúde, Grande Rio, vol. 10, nº 1, p. 1-13. 2016.

PRIETO, L.N.T.; MOURA, L.B.de A. A episiotomia é uma prática baseada em evidência? Uma revisão integrativa de literatura. 2015. Brasilia. Monografia (Bacharelado em Enfermagem), Universidade de Brasília, p. 18, 2015.

PRODANOV, C.; FREITAS, E. Metodologia do trabalho científico: Métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2ª edição. Rio Grande do Sul: Feevale, 2013.

SILVA, R. A. Violência obstétrica á luz da declaração universal sobre bioética e direitos humanos: percepção dos estudantes da área de saúde. Brasília. Dissertação (Mestrado em Bioética), Universidade de Brasília, p. 95, 2017.

SOUZA, A. B. Fatores associados à ocorrência de violência obstétrica institucional: uma revisão integrativa da literatura. Revista ciência e medicina. Campinas, vol. 25, nº 3, p. 115-128. set./dez., 2016.

TESSER, C.D. et al. Violência obstétrica e prevenção quaternária: o que é e o que fazer. Rec. Rev Bras Med Fam Comunidade, Rio de Janeiro, vol. 1, nº 12, p.1-12. set./dez. 2015.

Published

2021-02-26

How to Cite

Pereira, L. P. da S., Dantas, N. P. M., Tavares, N. V. da S., & Cardoso, A. C. G. (2021). Episiotomia: o (des) conhecimento da puérpera / Episiotomy: the (un) knowledge of the puerperal woman. Brazilian Journal of Development, 7(2), 20527–20538. https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-614

Issue

Section

Original Papers