Professor articulador: encontros de escuta e diálogo nas escolas SESI/RS de ensino médio/ Articulator teacher: listening and dialogue meetings at SESI/RS high schools

Authors

  • Sônia Elizabeth Bier
  • Luiza Seffrin Zorzo
  • Camila Pereira Alves

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-452

Keywords:

dispositivo grupal, professor articulador, ensino médio, diálogo, escuta, adolescência

Abstract

Neste relato de experiência, apresentamos uma narrativa sobre o dispositivo grupal denominado Professor Articulador, constituído nas Escolas SESI/RS de Ensino Médio para escuta e acompanhamento dos adolescentes destas escolas. O Professor Articulador foi inicialmente desenvolvido na Escola SESI de Pelotas, em 2014, e atualmente também opera em outras quatro escolas. As Escolas SESI/RS atuam em turno integral e concebem a aprendizagem a partir dos pressupostos da educação sociointeracionista, com metodologia ativa por meio da pedagogia de projetos, orientada por um projeto político pedagógico que pretende sustentar uma cultura educacional de fortalecimento do diálogo, do reconhecimento das culturas juvenis, da autonomia e do protagonismo dos alunos. A aposta no dispositivo Professor Articulador buscou instituir, dentro do ambiente escolar, espaços de escuta e diálogo, acolhendo os diversos temas que são de interesse dos adolescentes, bem como, suas experiências e aprendizagens. A proposta opera por meio da formação de grupos em que cada aluno da escola escolhe um professor para ser seu Professor Articulador, de forma que se cria um grupo de alunos que será acompanhado por um mesmo professor. Esta prática acontece a partir da escuta e diálogo que esse professor tece nos encontros individuais com os alunos ou em grupos, com periodicidade quinzenal. Nos Encontros do dispositivo grupal, os alunos realizam discussões e reflexões sobre temáticas que permeiam suas vidas e que de alguma forma se relacionam aos projetos escolares, profissionais e pessoais, dialogando com as diferentes culturas juvenis. Esta proposta se constitui pela escuta e diálogo, pela circulação da palavra, pela relação com o outro, em um percurso que leva em consideração a experiência, no sentido de ajudar os alunos a refletir sobre questões pertinentes ao entrelaçamento das experiências  escolares e de vida. A partir do trabalho operado pelo Professor Articulador, apostamos que este dispositivo se apresenta como uma operação instituinte dentro da escola, dando visibilidade para temas próprios das culturas juvenis e para a experiência singular dos percursos de aprendizagem de cada aluno, ancorados na escuta e no diálogo presentes no encontro entre aluno-professor-grupo.

 

References

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. 5ª. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.

BENJAMIN, Walter. Experiência e pobreza. In: BENJAMIN, Walter. Magia, técnica, arte e política. Obras Escolhidas I. São Paulo: Brasiliense, 2012.

DAYRELL, Juarez. A escola faz a juventude? Reflexões em torno da socialização juvenil. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a2228100.pdf Acesso em 18 de março de 2021.

DELEUZE, Gilles. O que é um dispositivo? In: DELEUZE, Gilles. O mistério de Ariana. Lisboa: VEGA, p. 83-96, 1996. Disponível em: https://www.uc.pt/iii/ceis20/conceitos_dispositivos/programa/deleuze_dispositivo#:~:text=%C3%89%20um%20processo%20de%20individua%C3%A7%C3%A3o,disponha%20de%20um%20processo%20semelhante.>. Acesso em 20 de março de 2021.

DUNKER, Christian. Paixão da Ignorância: a escuta entre Psicanálise e Educação. São Paulo: Editora Contracorrente, 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 66ª ed. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GURSKI, Rose. & PEREIRA, M. Ricardo. A experiência e o tempo na passagem da adolescência contemporânea. Psicologia USP, p. 429-440, 2016.

LARROSA, Jorge. Esperando não se sabe o quê: sobre o ofício do professor. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, nº 19, p. 20-28, 2002.

MASSCHELEIN, Jan; SIMONS, Maarten. A língua da escola: alienante ou emancipadora? In: LARROSA, Jorge (Org.). Elogio da Escola. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

RASSIAL, Jean-Jacques. A passagem adolescente: da família ao laço social. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1997.

RECHIA, Karen Christine; MENDES, Geovana Mendonça Lunardi; PREVE, Ana Maria Hoepers. Elogio da escola: o desafio de pensar uma forma sem função. In: LARROSA, Jorge (Org.). Elogio da Escola. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

SESI. Projeto Político Pedagógico. Ensino Médio. 2014

SIBILIA, Paula. O homem pós-orgânico: a alquimia dos corpos e das almas à luz das tecnologias digitais. Rio de Janeiro: Contraponto, 2015.

VYGOTSKY, LEV S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

VYGOTSKY, LEV S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

VOLTOLINI, Rinaldo. A démarche psicanalítica na educação: consequências para o campo na formação docente. In: VOLTOLINI, Rinaldo et al. Psicanálise e formação de professores: antiformação docente. São Paulo: Zagodoni, 2018, p. 19-32.

Published

2021-04-16

How to Cite

Bier, S. E., Zorzo, L. S., & Alves, C. P. (2021). Professor articulador: encontros de escuta e diálogo nas escolas SESI/RS de ensino médio/ Articulator teacher: listening and dialogue meetings at SESI/RS high schools. Brazilian Journal of Development, 7(4), 39944–39955. https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-452

Issue

Section

Original Papers