Efeito agudo do L-Triptofano e das Nanopartículas de L-Triptofano associadas ou não ao exercício físico no comportamento cognitivo e motor de modelo experimental de Alzheimer / Acute effect of L-Tryptophan and L-Tryptophan Nanoparticles associated or not with physical exercise on cognitive and motor behavior of Alzheimer's experimental model

Authors

  • Meiriélly Furmann Brazilian Journals Publicações de Periódicos, São José dos Pinhais, Paraná
  • Ivo IlvanKerppers
  • Emerson Carraro
  • Aristides M. Rodrigues
  • Luis Paulo Gomes Mascarenhas
  • Camila da Luz Eltchechem
  • Samily dos Santos Silva

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-571

Keywords:

Nanopartículas, Doença de Alzheimer, Exercício físico, Triptofano

Abstract

Introdução: A DA apresenta gradativamente diversos sinais e sintomas que causam grande comorbidade e necessidade de cuidados e tratamentos alternativos. O L-triptofano, com ação relacionada à dinâmica cerebral, depressão e ansiedade é precursor da serotonina, importante neurotransmissor cerebral, que pode ter sua ação potencializada pelo uso das Nanopartículas. O exercício físico por sua vez, também pode estar relacionado à alteração de monoaminas cerebrais como a serotonina, sendo mais uma alternativa de tratamento. Portanto, este estudo tem como objetivo analisar a eficácia do L-Triptofano e das Nanopartículas de L-Triptofano associadas ao efeito agudo do exercício físico em modelo experimental de Alzheimer. Materiais e Métodos: A amostra foi composta por 20 ratos, divididos em 4 grupos (n=5) GLt (L-Triptofano), GN (Nanopartículas), GN+e (Nanopartículas+exercício) e GLt+e (L-Triptofano+exercício), foram realizados testes de ansiedade, memória espacial, memória aversiva, e comportamento motor. Resultados: De acordo com a análise estatística, houve melhora significativa em relação à ansiedade no GLt e no GN com maior força, já em relação ao comportamento motor apenas o GLt+e demonstrou efeitos positivos significativos como tratamento. Apenas por meio do Size Effect pode-se observar que o GLt apresentou diferença em relação ao comportamento motor, e o GN obteve diferença na memória aversiva e em diversas variáveis do comportamento motor, demonstrando melhor desempenho em relação ao GLt como método de tratamento. Porém, quando associado ao exercício físico o L-Triptofano apresentou mais valores com diferença entre as variáveis de comportamento motor do que quando associado às Nanopartículas. Todavia apenas na associação do exercício agudo às Nanopartículas houve melhora da ansiedade. Discussão: Outros tratamentos com fármacos também utilizados são as BZD, indicadas para situações agudas, por curtos períodos de tempo, porém ainda não apresenta eficácia satisfatória, assim como ainda não há um consenso em relação aos benefícios do exercício para a população portadora de DA, pois existem controvérsias em relação ao melhor tipo de exercício, intensidade e duração necessários para produzirem a redução dos sintomas depressivos. Sendo assim o L-Triptofano e as Nanopartículas surgem como uma alternativa de tratamento, necessitando de novos estudos com diferentes avaliações e duração de tratamento. Conclusão: Nanopartículas de L-Triptofano apresentam um grande potencial para ser utilizado como método de tratamento da DA, uma vez que diminuiu o sintoma de ansiedade e melhorou o comportamento motor dos animais.

References

Luzardo AR, Gorini MIPC, Silva APSS. Características de idosos com doença de Alzheimer e seus cuidadores: uma série de casos em um Serviço de Neurogeriatria. Texto & Contexto Enferm. 2006;15(4):587-94.

Alzheimer Association Report. 2015 Alzheimer’s disease facts and figures. Alzheimer’s & Dementia. 2015; 11(3): 332-384.

Porth CM. Fisiopatologia. 6.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002. p. 1162-1163.

Cambraia RPB. Aspectos psicobiológicos do comportamento alimentar. Rev. Nutr, 2004, 17(2) 217-225.

Chaborski K, Bitterlich N, Altheheld B, Parsi E, Metzner C. Placebo-Controlled dietary intervention of stress-induced neurovegetative disorders with a specific amino acid composition: a pilot-study. Nutrit Journal,2015; 14:43.

Yan F, Zhang C, Zheng Y, Mei L, Tang L, Song C, Su H, Huang L. The effect of poloxamer 188 on nanoparticle morphology, size, cancer cell uptake, and citotoxicity. Nanomedicine, 2010; v.6 (1) 170-8.

Adelman AM & Fiovaranti I. 20 common problems in Geriatrics. Revinter, 2004; 220-240.

Haeger A, Costa AS, Shulz JB, Reetza, K. Cerebral changes improved by physical activity during cognitive decline: A systematic review on MRI studies. NeuroImage: Clinical, 2019; 23.

Kamerman P, Koller A, Loram L. Postoperative administration of the analgesic tramadol, but not the selective cyclooxygenase-2 inhibitor parecoxib, abolishes postoperative hyperalgesia in a new model of postoperative pain in rats. Pharmacology, Basel, 2007; v. 80, n. 4, p. 244–248.

Drapier D, Bentue-Ferrer D,Laviolle, et al. Effects of acute fluoxetine, paroxetine and desipramine on rats tested on the elevated plus-maze. Behavioural Brain Research, 2007; n.176, 202-209.

Morris RG, Garrud P, Rawlins JN. Place navigation impaired in rats with hippocampal lesions. J.Nature. 1982; 24, 297(5868) 681-3.

Maren S, Phan KL, Liberzon I. The contextual brain: implications for fear conditioning, extinction and psychopathology. Nat Rev Neurosci. 2013; 14 (6) 417-28.

Pietá Dias C,de Lima MNM, Presti-Torres J, et al. Memantine reduces oxidative damage and enhances long-term recognition memory in aged rats. Neuroscience, 2007;146 (4) 1719–1725.

Herrera E, Caramelli P, Silveira ASB, Nitrini R. Epidemiologic survey of dementia in a community dwelling Brazilian population. Alzheimer DisAssocDisord, 2002; 16(s/n):106-108.

Grilo PA. Intervenções farmacológicas e não farmacológicas na Doença de Alzheimer. -GeriatricS, 2008;4(20): 47-52.

Serrão AS, Weber CJ ,Costa P, de Souza MM. Avaliação dos efeitos do flavonóidemorina sobre a memória de animais normais e com Alzheimer induzido por D-galactose. Rev. Bras. Farm. 2011; 92(4): 384-391.

Miri AL, Hosni AP, Gomes JC, Kerppers II, Pereira MCdaS. Estudo do L-Triptofano na depressão ocorrida pela Doença de Alzheimer em modelos experimentais.J. Phys. Educ. 2017; v.28, e2839.

Andrade A, Pinto SC, Oliveira RS. Animais de Laboratório: criação e experimentação [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2002. 388 p. ISBN: 85-7541-015-6.

Sá CG, Cardoso KMF, Freitas RM, Feitosa CM. Efeito do tratamento agudo do óleo essencial de Citrussinensis (L) Osbeck na aquisição da memória espacial de ratos avaliada no labirinto aquático de Morris. Rev Ciênc Farm Básica Apl., 2012;33(2):211-215.

Stanton R, Reaburn P. Exercise and the treatment of depression: a review of the exercise program variables. J Sci Med Sport., 2012;Vol. 17, 177-82.

Vital TM, Hernandez SSS, Gobbi S, Costa JLR, Stella F. Atividade física sistematizada e sintomas de depressão na demência de Alzheimer: uma revisão sistemática. J Bras Psiquiatr.,2010; v.59 (1) 58-64.

Park K. Controlled drug delivery systems: Past forward and future back. Journal of Controlled Release, 2014; v.190, p. 3-8.

Kim S, Kim JH, Jeon O, Kwon IC, Park K. Engineered Polymers for Advanced Drug Delivery. European Journal of Pharmaceutics and Biopharmaceutics, 2009; v. 71, p. 420-430.

Bassyouni F, Elhalwany N, Rehim MA, Neyfeh M. Advances and new technologies applied in controlled drug delivery system. Research on Chemical Intermediates, 2013.

Published

2021-04-23

How to Cite

Furmann, M., IlvanKerppers, I., Carraro, E., Rodrigues, A. M., Mascarenhas, L. P. G., Eltchechem, C. da L., & Silva, S. dos S. (2021). Efeito agudo do L-Triptofano e das Nanopartículas de L-Triptofano associadas ou não ao exercício físico no comportamento cognitivo e motor de modelo experimental de Alzheimer / Acute effect of L-Tryptophan and L-Tryptophan Nanoparticles associated or not with physical exercise on cognitive and motor behavior of Alzheimer’s experimental model. Brazilian Journal of Development, 7(4), 41702–41716. https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-571

Issue

Section

Original Papers