Tratamento clínico da hipertensão intracraniana benigna idiopática (HII): relato de caso/ Clinical treatment of idiopathic benign intracranial hypertension (IIH): case report

Authors

  • Carla Cristina Barbosa Lopes Tiveron
  • Lorrana Alves Medeiros

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-572

Keywords:

Hipertensão Intracranina Benigna Idiopática, Lamotrigina, Acetaxolamida, Cefaléia secundária

Abstract

A cefaleia é uma das queixas mais comuns da medicina, podendo ser dividida em primária ou secundária. A Hipertensão Intracraniana Idiopática Benigna (HII) é um caso de cefaleia secundária caracterizada pelo aumento da pressão intracraniana (PIC) na ausência de processo expansivo, acomete mais mulheres em idade fértil, obesas, associados com alterações visuais decorrentes ou não de papiledema. Este artigo tem como objetivo apresentar através do relato de caso o manejo de uma cefaleia secundária a uma hipertensão intracraniana benigna idiopática refratária ao tratamento convencional. A metodologia utilizada foi a avaliação clínica da paciente em questão, revisão de seu prontuário e revisão de literatura relacionada ao tema exposto. Paciente, sexo feminino, 55 anos, IMC de 48, com cefaleia crônica associada a quadro de amaourose, diagnosticada com HII há 3 anos. Foi tratada clinicamente com Acetazolamida 250mg, 3 vezes ao dia, e Lamotrigina 100mg, 2 vezes ao dia, havendo melhora não só dos quadros de cefaleia e amaurose, como também controle do humor depressivo.  

 

References

I. Krymchantowski, Abouch Valenty; Universidade Federal do Rio de Janeiro. RBM rev. bras. med ; 58(n.esp): 59-: 64-61, 79, dez. 2001.

II. SOARES, Ana-Lisa Pereira. Hipertensão intracraniana idiopática : um caso atípico. Repositório da Universidade de Lisboa, Lisboa. 2019. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/handle/10451/42759. Acesso em: 10 fev. 2021.

III. SANTOS, S. et al. Pseudotumor cerebral: análisis de nuestra casuística y revisión de la literatura. Rev Neurol, Zaragoza, v. 11, n. 1-2, p. 1-9, 02 out. 2016.

IV. QUEIROZ, Luiz Paulo de. Cefaleias e obesidade. Einstein, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 64-66, Não é um mês valido! 2004.

V. MONTEIRO, Mário Luiz Ribeiro; MOURA, Frederico Castelo. Aspectos oftalmológicos da síndrome da hipertensão intracraniana idiopática (pseudotumor cerebral). Revista Brasileira de Oftalmologia, [S.L.], v. 67, n. 4, p. 196-203, ago. 2008. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0034-72802008000400008.

VI. MCGEENEY, Brian E.; FRIEDMAN, Deborah I.. Pseudotumor Cerebri Pathophysiology. Headache: The Journal of Head and Face Pain, [S.L.], v. 54, n. 3, p. 445-458, 16 jan. 2014. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/head.12291.

VII. BARROS, João Luís Vieira Monteiro de; FONSECA, Mariana Couy; MARTINS, Laís Bhering; GOMEZ, Rodrigo Santiago; TEIXEIRA, Antônio Lúcio. Weight loss as an adjuvant treatment for idiopathic intracranial hypertension: case report. Revista Médica de Minas Gerais, [S.L.], v. 26, p. 1-3, 2016. GN1 Genesis Network. http://dx.doi.org/10.5935/2238-3182.20160111.

VIII. MATOS, Daniela Pereira de. Tratamento médico da hipertensão intracraniana. 2013. 61 f. Tese (Doutorado) - Curso de Medicina, Neurologia, Universidade de Coimbra, Coimbra, 2013.

IX. Rang, H. P.; Dale, M. M.; Ritter, J. M.; Flower, R. J.; Henderson G. Rang & Dale. Farmacologia. 7ª edição. Rio de Janeiro, Elsevier, 2012.808 p.

X. CORDIOLI, Aristides Volpato; CORREIA FILHO, Alceu Gomes. Psicofármacos: consulta rápida. Porto Alegre: Artmed, 2000. 556p

Published

2021-04-23

How to Cite

Tiveron, C. C. B. L., & Medeiros, L. A. (2021). Tratamento clínico da hipertensão intracraniana benigna idiopática (HII): relato de caso/ Clinical treatment of idiopathic benign intracranial hypertension (IIH): case report. Brazilian Journal of Development, 7(4), 41717–41722. https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-572

Issue

Section

Original Papers