Relação presença de helmintos e eosinofilia no sangue periférico: Acampamento Cigano no alto Sertão Alagoano / Relation presence of helminths and eosinophilia in the peripheral blood: Gypsy Camp in the upper Sertão Alagoano

Authors

  • Ana Karla Almeida dos Santos Brazilian Journals Publicações de Periódicos, São José dos Pinhais, Paraná
  • Rosanir da Silva
  • Adson Jackson Teles de Barros
  • José Aparecido B. da Gama
  • Maria Auxiliadora Machado
  • Rosimeri da Conceição Menezes Costa

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-593

Keywords:

Helmintos. Eosinofilia. Incidência. Medidas Sanitárias.

Abstract

A prevalência de parasitoses intestinais é considerada como um problema de saúde pública, uma vez que estão diretamente ligadas às condições ambientais e também ao comportamento humano, é de grande importância que se prese pela saúde frente a uma melhoria na qualidade de vida. O presente trabalho teve como objetivo: verificar a prevalência das helmintoses e sua relação com a eosinofilia, em uma comunidade cigana, no Município de Carneiros, AL. A pesquisa foi realizada com uma amostra de 24,96% da população, entre homens, mulheres e crianças, com idade entre 5 e 55 anos, sendo escolhidos de forma aleatória. O estudo constituiu na realização de exames parasitológicos (3 amostras) utilizando o método de sedimentação espontânea (Hoffman, Pons e Janer – HPJ). Foi aplicado um questionário epidemiológico para adquirir dados socioambientais das famílias que iriam participar do estudo. Para os casos positivos de helmintos foi realizado um hemograma completo, enfatizando a taxa de eosinófilos, correlacionando seus resultados como objetivo geral deste trabalho. Frente aos resultados obtidos no parasitológico de fezes 58,33% (14/24), foram positivo para helmintos e 41,66% (10/24) negativos, sendo o Ancilostomatideo o  helminto com maior prevalência, com 71,42% ( 10//14), seguido do Ascaris 28,7% (04/14) e Trichuris 21,42% (03/14), o poliparasitismo foi encontrado em 21,42% (3/14) das amostras. Diante dos resultados, é possível confirmar que existiu  correlação das helmintoses com as taxas de eosinofilia observadas. Diante dos resultados, evidencia-se que a ocorrência dos helmintos estar relacionados com as precárias condições de saneamento básico e educação em saúde.

References

ABEP - Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa – 2008. Disponível em: file:///C:/Users/ESCOLA%20%20PC/Downloads/07_cceb_2008_em_vigor_em_2008_base_lse_2005.pdf . Acesso em : 14/10/18.

BAIN, B. J. 2004. Células Sangüíneas. ARTMED, Porto Alegre.

BUSCHINI, M. L. T.et al. Spacialdistributionofenteroparasitesamongschoolchildrenfrom Guarapuava, Stateof Paraná, Brazil. Revista Brasileira de Epidemiologia, Rio de Janeiro, v. 10, n. 4, p. 568-578, 2007.

BUSNELLO, M.I, E TEIXEIRA, L.M. Prevalência de enteroparasitas em estudantes de duas escolas de ensino fundamental. Revista da Faculdade de Farrmácia e Odontologia de Araraquara 2009; 51: 30-35.

CARNEIRO, J. JUNQUEIRA, L.C. Histologia básica I. 12. ed. - Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

FERREIRA, M.U, FERREIRA, C.S, E MONTEIRO, C.A. Tendência secular das parasitoses intestinais na infância na cidade de São Paulo (1984-1996). Revista de Saúde Pública 2000; 34: 73-82.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4. 3.8.18.9. 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/al/carneiros/historico. Acesso em 03/10/2018.

HOFFMANN, W. A., PONS, J. A. & JANER, J. L. 1934. The sedimentation –concentrationmethod in Schistosomiasis mansoni, Puerto Rico. JournalofPublic Health 9: 281-298.

MACEDO, H. S. 2005. Prevalência de parasitos e comensais intestinais em crianças de escolas da rede pública municipal de Paracatu (MG). Revista Brasileira de Análises Clínicas 37: 209-213.

MARQUEZ, A. S., MARQUEZ, A. S., HASENACK, B. S., TRAPP, E. H. & GUILHERME, R. L. 2002. Prevalência de enteroparasitoses em crianças de um bairro de baixa renda de Londrina – Paraná. Ciências Biológicas e Saúde 4: 55-59.

REY, L. 2002. Bases da Parasitologia Médica. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro.

TAVARES, R. G., PEZZI, N. C. Relação de aspectos Socio-econômicos e ambientais com parasitoses intestinais e eosinofilia em crianças de ENCA Caxias do Sul-RS. Estudos, Goiânia, v. 34, n.11/12, p. 1041-1055, nov./dez. 2007.

Published

2021-04-26

How to Cite

dos Santos, A. K. A., da Silva, R., de Barros, A. J. T., da Gama, J. A. B., Machado, M. A., & Costa, R. da C. M. (2021). Relação presença de helmintos e eosinofilia no sangue periférico: Acampamento Cigano no alto Sertão Alagoano / Relation presence of helminths and eosinophilia in the peripheral blood: Gypsy Camp in the upper Sertão Alagoano. Brazilian Journal of Development, 7(4), 42040–42051. https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-593

Issue

Section

Original Papers