Avaliação das Boas Práticas de Fabricação na fabricação de cachaça de alambique de três regiões de Minas Gerais e do Sul Fluminense / Evaluation of Good Manufacturing Practices in the manufacture of still cachaça from three regions of Minas Gerais and Southern Fluminense

Authors

  • Natália Costa da Silva Brazilian Journals Publicações de Periódicos, São José dos Pinhais, Paraná
  • Najara Sousa da Silva
  • Anderson Ferreira Vilela
  • Arianne Dantas Viana
  • Maria José de Figueiredo
  • Ana Clara de Alvarenga Morais
  • Eloisa Helena Medeiros Cunha
  • Romário Oliveira de Andrade

DOI:

https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-622

Keywords:

Aguardente de cana, Lista de verificação, Qualidade, Condições Higiênico-sanitárias, Alambique, Artesanal.

Abstract

Foram avaliadas, por meio de um check list baseado no anexo da Resolução RDC 275 de 21 de outubro de 2002 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e acrescida de critérios tecnológicos de produção, 27 fábricas de cachaça de alambique. As fábricas situavam-se nas regiões de Salinas, Betim e Arcos em Minas Gerais e na região de Vassouras no estado do Rio de Janeiro. De acordo com o atendimento aos quesitos do check list ligados às condições tecnológicas e de Boas Práticas de Fabricação na produção de cachaça, cada fábrica foi classificada em “ruim”, “regular” ou “bom”. Das 27 fábricas avaliadas apenas duas alcançaram a classificação “bom” e nove foram classificadas como “ruim”. Constatou-se ainda que 59% destas foram classificadas como “regular”. O desempenho das fábricas de cachaça quando observados as condições de Boas Práticas foi de apenas 59,6%. As notas obtidas pelas fábricas de cachaça foram influenciadas pela região geográfica de produção, pela condição fiscal (com ou sem registro) e ainda pela capacidade anual de produção. Os fatores de maior peso na nota das fábricas foram: 1) Tipo e manutenção dos equipamentos e utensílios; 2) qualidade e cuidados com as matérias-primas, ingredientes e insumos; 3) controle do processo produtivo e garantia de qualidade. Os resultados obtidos mostram a necessidade de um programa efetivo de BPF na produção de cachaça de alambique e aplicação de conceitos simples de tecnologia e segurança de fabricação de alimentos e bebidas. O resultado ainda serve de orientação quanto à ações de treinamento de produtores e fiscalização pelos órgãos de regulação e fiscalização.

References

ALVIM, R. P. R.; SILVEIRA, A. L.; MACHADO, A. M. R.; GOMES, F. C. O. Estudo das Boas Práticas na Fabricação da cachaça de alambique. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE QUÍMICA, 52, 2012, Recife. Trabalhos... Rio de Janeiro: ABQ. Disponível em: http://www.abq.org.br/cbq/2012/trabalhos/10/1497-14353.html. Acesso em: 08 abr. 2021.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Portaria SVS/MS n. 326, de 30 de julho de 1997. Aprova o Regulamento Técnico; Condições Higiênicos-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Produtores/ Industrializadores de Alimentos. Visalegis. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/svs1/1997/prt0326_30_07_1997.html Acesso em; 07 abr. 2021.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução n. 275 de 21 de outubro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos. Visalegis. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2002/anexos/anexo_res0275_21_10_2002_rep.pdf. Acesso em: 07 abr. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 1428 de 26 de novembro de 1993. Aprova o Regulamento Técnico para inspeção sanitária de alimentos, as diretrizes para o de boas práticas de produção e de prestação de serviços na área de alimentos e o regulamento técnico para o estabelecimento de padrões e identidade e qualidade para serviços e produtos na área de alimentos. Visalegis. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/1993/prt1428_26_11_1993.html. Acesso em: 07 abr. 2021.

CALIARI, M.; SOARES JÚNIOR, M. S.; VIANA, L. F.; NAVES, R. V.; CHAVES, L. J.; SOUZA, C. B. Diagnóstico da produção de cachaça na região de Orizona, estado de Goiás, Brasil. Pesquisa Agropecuária Tropical. v. 39, n. 1, p. 61-71. 2009. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/pat/article/view/4116. Acesso em: 8 abr. 2021.

CAMPELO, E. A. P. Agronegócio da cachaça de alambique de Minas Gerais: panorama econômico e social. Informe agropecuário, v. 23, n. 217, p. 7-18, 2002.

CONCEIÇÃO, V. S.; ROCHA, A. M.; SILVA, M. S.; SOARES, P. M.; LOPES, J. M. A Indicação Geográfica da Cachaça: Um instrumento de desenvolvimento regional e de Inovação. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 6, p. 35137-35155, jun. 2020. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/11265. Acesso em: 07 abr. 2021.

COUTINHO, E. P.; RAMOS; Z. N. S.; ALVES; A. S.; OLIVEIRA, R. E. S. Good Manufacturing Practices of Cachaça from the Alembic: Technical and Business View.

UNOPAR Científica. Ciências Biológicas e da Saúde, v. 14, n. 3, p. 165-70. 2012. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-646042?src=similardocs. Acesso em: 08 abr. 2021.

FERREIRA-D’SILVA, A.; BADOTTI, F.; PINHEIRO, C. S. R.; GONÇALVES, C. M.; HUGHES, F. M.; GÓES-NETO, A.; UETANABARO, A. P. T. Diversity of Saccharomyces cerevisiae strains isolated of the spontaneous fermentation of cachaça from northeastern Brazil. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 5, n. 11, p. 27448-27461, nov. 2019. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/4967. Acesso em 07 abr. 2021.

FORTES, K. S. B.; BRASIL, C. C. B.; SILVA, J. P.; PONTES, B. D.; GRAUPE, M. L. Condições higiênico-sanitárias de unidades de alimentação e nutrição de escolas de educação infantil de Palmeira das Missões-RS. Vigilância Sanitária em Debate, vol. 5, núm. 3, p. 37-43, 2017. Disponível em: https://visaemdebate.incqs.fiocruz.br/index.php/visaemdebate/article/view/959. Acesso em: 07 abr. 2021.

GONÇALVES, C. M. Avaliação das Boas Práticas de Fabricação da cachaça de alambiques no estado da Bahia como suporte para desenvolvimento biotecnológico dos processos produtivos da bebida. Feira de Santana: 2009. 174 fls. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia). Universidade Estadual de Feira de Santana. 2009. Disponível em: https://www.ppgbiotec.com.br/portugues/arquivos/corpo%20discente/mestrado/2007/cleber_miranda_goncalves-dissertacao.pdf. Acesso em 08 abr. 2021.

MENEGHIM, M. C., BARBOSA, R. A. B., RAMALHEIRO, G. C. F., & LORENZO, H. C. (2017). Boas práticas de fabricação e a melhora da qualidade na agricultura familiar: estudo de caso com pequenos produtores de cachaça. Retratos de Assentamentos, v. 20, n. 1, p. 207-231. Disponível em: https://retratosdeassentamentos.com/index.php/retratos/article/view/263. Acesso em: 07 abr. 2021.

SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Plano de reestruturação da cadeia da cachaça de alambique de Minas Gerais. Março 2001.

VILELA, A. F.; OLIVEIRA, E. S. PEREIRA, A. J. G.; SOUZA, E. L. R. Avaliação dos Critérios Tecnológicos e de Boas Práticas de Fabricação de Cachaça de Alambique. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS, 20, 2006, Curitiba. Resumos... Curitiba: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos. 2006. p.1220.

VILELA, A. F.; OLIVEIRA, L. S. C.; MUNIZ, M. B.; MÉLO, B. C. A.; FIGUEIREDO, M. J.; VIEIRA NETO, J. M. Assessment of sensory and physical-chemical quality, and potential for certification of cachaças from the state of Paraíba, Brazil. Food Sci. Technol, Campinas, Publicação eletrônica 08 fev. 2021. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-20612021005004201&lng=en&nrm=iso. Acesso em 08 abr. 2021.

Published

2021-04-27

How to Cite

da Silva, N. C., da Silva, N. S., Vilela, A. F., Viana, A. D., de Figueiredo, M. J., Morais, A. C. de A., Cunha, E. H. M., & de Andrade, R. O. (2021). Avaliação das Boas Práticas de Fabricação na fabricação de cachaça de alambique de três regiões de Minas Gerais e do Sul Fluminense / Evaluation of Good Manufacturing Practices in the manufacture of still cachaça from three regions of Minas Gerais and Southern Fluminense. Brazilian Journal of Development, 7(4), 42441–42456. https://doi.org/10.34117/bjdv7n4-622

Issue

Section

Original Papers